Aplicação de ferramentas arqueométricas no estudo e na conservação do sítio Morro do Letreiro, Palmeirais, Piauí: um estudo de caso

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v36i2.1058

Palavras-chave:

Sítio Morro do Letreiro, Arqueometria, Conservação de arte rupestre

Resumo

A arte rupestre representa um importante patrimônio arqueológico, no entanto, devido à exposição ao ar livre, apresenta uma série de problemas que afetam a sua integridade. Considerando isso, utilizamos uma série de ferramentas arqueométricas não destrutivas a fim de conhecer os principais agentes causadores da degradação e dos componentes das tintas pretéritas do sítio de arte rupestre Morro do Letreiro, localizado no município de Palmeirais/PI. A partir das análises por EDXRF e por microscopia Raman, foi possível entender que o elemento ferro (Fe) é o principal constituinte das tintas rupestres, na forma de hematita (α-Fe2O3). Além disso, foi encontrada uma série de problemas de conservação naturais e antrópicos presentes no sítio, de modo que foram estabelecidas propostas interventivas para sua conservação e que podem ser utilizadas em trabalhos futuros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danyel Douglas Miranda de Almeida, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestre em Arqueologia, pelo Programa de Pós-Graduação em Arqueologia da Universidade Federal do Piauí - UFPI - (2022). Graduado em Arqueologia e Conservação de Arte Rupestre pela UFPI (2019). Foi bolsista PIBIC/UFPI nos períodos de agosto/ 2017 a julho/2018 e agosto/ 2018 a julho/2019, desenvolvendo trabalhos na área de Arqueometria: Análises químicas mineralógicas de cerâmicas arqueológicas e Estudo e conservação de arte rupestre, respectivamente. Efetuou, em sua monografia, estudos arqueológicos no Campo de Concentração da Seca do Patu, localizado no município de Senador Pompeu, Ceará. Faz parte do grupo de pesquisa em Palinologia Arqueológica, Paleoambiente e Paleobotânica (POLARQ) desde 2018 e do grupo de Arqueometria desde 2020. Atualmente é doutorando do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Federal de Minas Gerais, atuando na área de Concentração em Arqueologia. Tem experiência nas áreas de Arqueologia, Arqueometria e Conservação de Arte Rupestre.

Maria Conceição Soares Meneses Lage, Universidade Federal do Piauí

Doutora em Arqueologia Antropologia Etnologia - Université Paris 1 (Panthéon-Sorbonne) (1987/1990). Mestra em Arqueologia (Diplome D'études Aprofondés) - Université de Paris I Panthéon Sorbonne (1986/1987). Especializada em Arqueologia pela UFPI (1983/1984), e Graduada em Química (Licenciatura e Bacharelado) pelas Faculdades de Filosofia Ciências e Letras Oswaldo Cruz (1980), São Paulo - São Paulo, É pesquisadora e conselheira científica da Fundação Museu do Homem Americano (desde 1986) e professora Titular da Universidade Federal do Piauí. Tem experiência na área de Arqueologia, com ênfase em Arqueometria e Conservação de Arte Rupestre, atuando principalmente nos seguintes temas: análise químico-mineralógica de pigmentos pré-históricos e depósitos de alteração, intervenção de conservação de sítios arqueológicos, reconstituição de dieta alimentar através da análise química de ossadas humanas pré-históricas, análises de paleosedimentos objetivando identificar marcadores químicos de antigas ocupações humanas, exames e análises de microvestígios arqueológicos, etc. Presidiu a comissão que criou na UFPI a graduação em Arqueologia e Conservação de Arte Rupestre, sendo sua primeira coordenadora. Chefe do curso de Graduação em Arqueologia da UFPI de setembro de 2011 a março de 2013. Sub-chefe da Pós-Graduação em Arqueologia da UFPI. Diretora do Centro de Ciências da Natureza de março de 2013 a março de 2017. Representante do CA de Arqueologia no triênio novembro 2010 a novembro de 2013. Presidente da Associação Brasileira de Arte Rupestre - ABAR por dois mandatos, de Agosto de 2012 a agosto de 2014; e reconduzida por mais dois anos (2014-2016). Membro permanente dos Programas de Pós-Graduação em Química e em Arqueologia. Lidera o grupo de Pesquisa Arqueometria cadastrado no CNPq desde 1991. Orientou 146 alunos de graduação e de Pós-Graduação (77 bolsistas de IC, 13 monografias de Especialização, 29 TCC, 25 dissertações de mestrado e duas teses de doutorado).

Benedito Batista Farias Filho, Universidade Federal do Piauí

Possui graduação em Química (2008) e mestrado em Química Analítica (2010) pela Universidade Federal do Piauí e doutorado em Ciências - Química (2014) pela Universidade Estadual de Campinas. Atualmente é professor adjunto II do Departamento de Química e membro permanente dos Programas de Pós-graduação em Química e em Arqueologia da UFPI. Foi coordenador dos Cursos de Química no quadriênio 2018-2022. Tem experiência nas áreas de Química, atuando principalmente nos seguintes temas: arqueometria, instrumentação analítica, desenvolvimento de método analítico, análise direta de amostra, LIBS (espectroscopia de emissão óptica em plasma induzido por laser) e espectrometria por Fluorescência de Raios X.

Wilkins Oliveira Barros, Universidade Federal do Piauí

Graduando pela Universidade Federal do Piauí, experiência com trabalhos relacionados com Química Analítica pela mesma instituição. Atualmente é aluno de iniciação científica do laboratório de química analítica, membro do grupo de pesquisa em arqueometria, onde trabalha com métodos de análises sem degradação para material arqueológico, principalmente Fluorescência de Raios X portátil.

Referências

AGUIAR, Robério; GOMES, José Roberto de Carvalho. Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea, estado do Piauí: diagnóstico do município de Palmeirais. Fortaleza: CPRM - Serviço Geológico do Brasil, 2004. Link: https://rigeo.cprm.gov.br/handle/doc/16341

APOLINÁRIO, Juciene Ricarte. Os Akroás e outros povos indígenas nas fronteiras do Sertão: as práticas das políticas indígenas e indigenistas no norte da capitania de Goiás – Século XX. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005. Link: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7522

ARAÚJO, Raphael Neto. Depósitos lacustres rasos da Formação Pedra de Fogo, Permiano da bacia do Parnaíba, Brasil. Dissertação (Mestrado em Geologia e Geoquímica) - Universidade Federal do Pará, Belém, 2015. Link: https://rigeo.cprm.gov.br/handle/doc/14772

BAHN, Paul. A Guide the to decorated Ice Ages caves of Europe. London: Frances Lincoln Publishers, 2012.

BONNEAU, Adelphine; PEARCE, David G.; POLLARD, Alan M. A multi-technique characterization and provenance study of the pigments used in San rock art, South Africa. Journal of Archaeological Science, v. 39, n. 2, p. 287–294, 2012. Doi: 10.1016/j.jas.2011.09.011

CAMPELO, Sônia Maria. Morro do Letreiro, Palmeirais: uma estação no caminho do homem pré-histórico que habitou o Piauí. Cadernos de Pesquisa, Teresina-PI, v. 10, p. 71-87, 1992.

CAVALCANTE, Luís Carlos Duarte. Caracterização químico-mineralógica de eflorescências salinas do sítio arqueológico Pedra do Atlas. Arqueología Iberoamericana, v. 38, p. 55-60, 2018. Doi: 10.5281/zenodo.3474433

CAVALCANTE, Luís Carlos Duarte.; RODRIGUES, Andrews Araújo. Arte rupestre e problemas de conservação do sítio arqueológico Caminho da Caiçara II. Arqueología Iberoamericana, v. 45, p. 93-100, 2020. Doi: 10.5281/zenodo.3903991

CLOTTES, Jean. Cave art. London: Phaidon Press, 2008.

DAEMON, Roberto F. Palinomorfos guia do Devoniano Superior e Carbonífero Inferior das bacias do Amazonas e Parnaíba. Anais da Academia Brasileira de Ciências, v. 46, n. 3/4, pp. 549-587, 1974.

DARVILL, Timothy; FERNANDES, António Pedro Batarda. Open-Air Rock-Art Preservation and Conservation: a current state of affair. In: DARVILL, Timothy.; FERNANDES, António Pedro Batarda (org.). Open-Air Rock-Art Conservation and Management State of the Art and Future Perspectives. Routledge Studies in Archaeology, 2014. p.1-16. Doi: 10.4324/9780203754177

de FARIA, Dalva Lucia A; LOPES, Francisco N.; SOUZA, Luiz Antônio Cruz; CASTELLO BRANCO, Helena David de Oliveira. Análise de pinturas rupestres do Abrigo do Janelão (Minas Gerais) por microscopia Raman. Química Nova, v. 34, n.8, p. 1358-1364, 2011. Doi: 10.1590/S0100-40422011000800012

di LERNIA, Savino; GALLINARO, Marina. Working in a UNESCO WH Site. Problems and Practices on the Rock Art of Tadrart Akakus (SW Libya, Central Sahara). Journal of African Archaeology, v. 9, n. 2, p. 159–175, 2011. Doi: 10.3213/2191-5784-10198

DINO, Rodolfo; PLAYFORD, Geoffrey. Stratigraphic and palaeoenvironmental significance of a Pennsylvanian (Upper Carboniferous) palynoflora from the Piauí Formation, Parnaíba Basin, northeastern Brazil. Paleontological Research, v. 6, n.1, pp. 23- 40, 2002. Doi: 10.2517/prpsj.6.23

DECLARAÇÃO DO MÉXICO, 1985. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/226>. Acesso em: 27 jun. 2021.

FARIAS FILHO, Benedito Batista; LAGE, Maria Conceição Soares Meneses Lage; LIMA, Rássius Alexandre Medeiros. Estudo químico de eflorescências salinas do sítio arqueológico Toca Exú do Jurubeba do Parque Nacional Serra da Capivara, Piauí, Brasil. Química Nova, v. 40, n. 9, p. 983-988, 2017. Doi: 10.21577/0100-4042.20170100

FORDRED, Claire Louisa. The Management And Conservation Of Rock Art Sites And Paintings In The Ukhahlamba-Drakensberg Park, Kwazulu-Natal, South Africa. Dissertação (Mestrado em Geografia) - University of Pretoria, Pretoria, 2011. Link: http://hdl.handle.net/2263/23428

GIALANELLA, Stefano; BELLI, Roberta; DALMERI, Geam Paolo; LONARDELLI, Ivan; MATTARELLI, Maurizio; ONTAGNA, Maurizio; TONIUTTI, Laura. Artificial or natural origin of hematite-based red pigments in archaeological contexts: the case of Riparo Dalmeri (Treno, Italy). Archaeometry, v. 53, n. 5, p. 950-962, 2011. Doi: 10.1111/j.1475-4754.2011.00594.x

GÓES, Ana Maria; FEIJÓ, F.J. Bacia do Parnaíba. Boletim de Geociências da Petrobras, v. 8, n. 1, pp. 57-67, 1994.

GUTIÉRREZ, Rafael Montes. Teorías Interpretativas del Arte Rupestre. Tiempo y sociedade: n. 9, 2012.

JOLLY, Pieter. Two related rock art conservation/education projects in Lesotho. In: SMITH, Benjamin; HELSKOG, Knut; MORRIS, David. Working with Rock Art. Johannesburg: Wits university press, p. 257-271, 2012. Doi: 10.18772/22012125454

JUSTAMAND, Michel. As pinturas rupestres do Brasil: memória e identidade ancestral. REVISTA MEMORARE, v. 1, n. 2, p. 118-141, 2014. Doi: 10.19177/memorare.v1e22014118-141

LAGE, Maria Conceição Soares Meneses. A conservação de sítios de arte rupestre. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, v. 33, p. 95-107, 2007. Link: http://portal.iphan.gov.br/uploads/publicacao/revista_33compressed.pdf

LAGE, Maria Conceição Soares Meneses; BORGES, Joina Freitas; ROCHA JÚNIOR, Simplício. Sítios de Registros Rupestres: Monitoramento e Conservação. Mneme, v. 1, n.1, p. 01-24, 2005. Link: https://periodicos.ufrn.br/mneme/article/view/269

LAGE, Maria Conceição Soares Meneses. Estudo químico de pigmentos de arte rupestre do sudeste do Piauí. Revista de Geologia, v. 9, p. 83-96, 1996.

LAGE, Maria Conceição Soares Meneses.; FARIAS FILHO, Benedito Batista; ARAÚJO, Igor Linhares; LAGE, Welington; ALMEIDA, Danyel Douglas Miranda; LAGE, Pablo Meneses. Arqueologia Social Inclusiva e Conservação da Arte Rupestre dos Sítios Barro Branco I e Templo dos Pilares Alcinópolis-MS. In: CAVALCANTI, V. R. S.; SILVA, A. C. (Org.). Ciências humanas: Caráter polissêmico e projeção interdisciplinar. 1ª ed. Ponta Grossa: Atena Editora, 2021, p. 148-161. Doi: 10.22533/at.ed.31921040612

LAGE, Maria Conceição Soares Meneses.; FARIAS FILHO, Benedito Batista. Arqueometria Aplicada à Conservação de Sítios de Arte Rupestre. CADERNOS DO LEPAARQ (UFPEL), v. 15, n. 30, p. 327-343, 2018. Doi: 10.15210/LEPAARQ.V15I30.13812

LAGE, Maria Conceição Soares Meneses; SILVA, Jacionira Coelho; MAGALHÃES, Sônia Maria Campêlo; CAVALCANTE, Luís Carlos Duarte; MARTINS, Lívia; FERRARO, Lorena. Pedra do Castelo: um exemplo de aplicação da arqueometria na conservação patrimonial. Fumdhamentos, v. IX, p. 1035-1045, 2010.

LEROI-GOURHAN, Andre. Arte y Grafismo en la Europa Prehistoria. Madrid: Colegio Universitario de Ediciones Istmo, 1984.

LIRITZIS, Ioannis.; LASKARIS, Nikos., VAFIADOU, Asimina; KARAPANAGIOTIS, Ioannis; VOLONAKIS, Pantelis; PAPAGEORGOPOULOU, Christina; BRATITSI, Maria. Archaeometry: An Overview. Scientific Culture, v. 6, n. 1, p. 49-98, 2020. Doi: 10.5281/zenodo.3625220

MADARIAGA, Juan Manuel. Analytical chemistry in the field of cultural heritage. Analytical Methods, v. 7, n. 12, p. 4848-4876, 2015. Doi: 10.1039/C5AY00072F

MARTIN, Gabriela. Pré-história do Nordeste do Brasil. 5ª ed., Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2013.

MEIKLEJOHN, Ian; HALL, Kevin; DAVIS, Jacqueline. Weathering of rock art at two sites in the KwaZulu-Natal Drakensberg, southern Africa. Journal of Archaeological Science, 36, pp. 973–979, 2009. Doi: 10.1016/j.jas.2008.11.020

MOYO, Stanley; MPHUTHI, Dikeledi; CUKROWSKA, Ewa; HENSHILWOOD, Christopher S.; NIEKERK, Karenvan; CHIMUKA, Luke. Blombos Cave: Middle Stone Age ochre differentiation through FTIR, ICP OES, ED XRF and XRD. Quaternary International, v. 404, p. 20-29, 2016. Doi: 10.1016/j.quaint.2015.09.041

MURAD, Enver. Identification of minor amounts of anatase in kaolins by Raman spectroscopy. American Mineralogist, v. 82, n. 1–2, p. 203–206, 1997. doi: 10.2138/am-1997-1-222

OLIVEIRA, Ana Stela de Negreiros. O Povoamento Colonial do Sudeste do Piauí: Indígenas e Colonizadores, Conflitos e Resistência. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.

PROUS, André. Arqueologia Brasileira: a pré-história e os verdadeiros colonizadores. 1ª ed. Cuiabá: Achaeo, Carlini & Caniato Editoral, 2019.

SANTOS, Victor Hugo. Sequência Siluro-Devoniana e Eocarbonífera da Bacia do Parnaíba, Brasil, como Análogos para a Exploração de Hidrocarbonetos. Tese (Doutorado em Geociências) - Universidade Federal do Pernambuco, Recife, 2005.

SAUVET, Georges; SAINZ, Cesar Gonzaléz; SANCHIDRIÁN, José Luiz; VILLAVERDE, Valentín. Europe: Prehistoric Rock Art. In: Smith C. (eds) Encyclopedia of Global Archaeology. New York: Springer, 2014, p. 2599-2612. doi: 10.1007/978-1-4419-0465-2_1278

SILVA, Allan Leonardo; OLIVEIRA, Cláudia Alves de. Estudos Sobre Caracterização e Classificação da Decoração da Cerâmica Arqueológica Pintada. Fumdhamentos, v. XVI, n. 1, p. 55-76., 2019.

Downloads

Publicado

2023-05-25

Como Citar

ALMEIDA, Danyel Douglas Miranda de; LAGE, Maria Conceição Soares Meneses; FARIAS FILHO, Benedito Batista; BARROS, Wilkins Oliveira. Aplicação de ferramentas arqueométricas no estudo e na conservação do sítio Morro do Letreiro, Palmeirais, Piauí: um estudo de caso. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 36, n. 2, p. 83–102, 2023. DOI: 10.24885/sab.v36i2.1058. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/1058. Acesso em: 23 abr. 2024.

Edição

Seção

Especial Arqueometria

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)