Corpos fragmentados feitos de olhares: perspectivas Wai Wai e Karaiwa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v36i3.1106

Palavras-chave:

Cerâmica arqueológica, Rio Trombetas, Pesquisadores indígenas, Wai Wai

Resumo

Neste artigo, discutiremos, através de uma experiência compartilhada de pesquisadores indígenas Wai Wai e não indígena [karaiwa], a análise e classificação de artefatos cerâmicos arqueológicos Pocó e Konduri, que fazem parte da coleção da Casa de Cultura da Prefeitura de Oriximiná/PA. Essa diferença de olhares sobre as peças cerâmicas gerou interpretações diversas entre os autores indígenas e não indígenas, bem como entre os próprios indígenas. Além disso, ficou evidente que a perspectiva dos pesquisadores indígenas identificou uma grande diversidade de seres (animais, pessoas, “espíritos da floresta”). Essa variedade de seres identificados é fruto da experiência empírica da caça, do conhecimento de histórias e da absorção da paisagem. As interpretações indígenas são tão legítimas quanto as da arqueologia, e esse trabalho, em conjunto, mostrou que elas vão além da materialidade e morfologia, evocando histórias, sons e memórias individuais e coletivas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, M. L. Objetos distribuídos do Baixo Amazonas: um estudo da cerâmica Konduri. 2019. Dissertação (Mestrado em Arqueologia) – Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019.

ALVES, M. L. Para além de Santarém: os vasos de gargalo na bacia do rio Trombetas. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Série Ciências Humanas, v. 13, n. 1, p. 11-36, 2018.

ALVES, M. L. Revisitando os alter egos: figuras sobrepostas na iconografia Konduri e sua relação com o xamanismo. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Série Ciências Humanas, v. 15, n. 3, e20190105, 2020.

ARAPIUN, Ana Caroline Sousa da Silva. De mãe para filhos: transmissão de conhecimento e (re)apropriação do passado arqueológico. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arqueologia) – Universidade Federal do Oeste do Pará, Santarém, 2018.

ATALAY, S. Community-Based Archaeology: Research with, by, and for Indigenous and Local Communities. Berkeley (US): University of California Press, 2012.

BARATA, F. A arte oleira dos Tapajó: considerações sobre a cerâmica e dois tipos de vasos característicos. Belém: Instituto de Antropologia e Etnologia do Pará, 1950. (Publicações do Instituto de Antropologia e Etnologia do Pará, 2).

BARRETO, C. Meios místicos de reprodução social: arte e estilo na cerâmica funerária da Amazônia antiga. 2009. Tese (Doutorado em Arqueologia) – Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

BARRETO, C. Modos de figurar o corpo na Amazônia Pré-Colonial. In: ROSTAIN, S. (org.). Antes de Orellana: Actas del 3er Encuentro Internacional de Arqueología Amazónica. Quito (EC): Instituto Francés de Estudios Andinos, 2014. p. 123-132.

BARRETO, C.; MACHADO, J. S. Exploring the Amazon, Explaining the Unknown: Views from the Past. In: MCEWAN, C.; BARRETO; C.; NEVES, E. G. (ed.). Unknown Amazon: Studies in Visual and Material Culture. London (GB): The British Museum Press, 2001. p. 232-251.

BEZERRA, M. Com os cacos no bolso: o colecionamento de artefatos arqueológicos na Amazônia brasileira. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, v. 38, p. 85-99, 2018.

CABRAL, M. P. E se todos fossemos arqueólogos?: experiências na terra indígena Wajãpi. Anuário Antropológico Brasília: UnB, v. 39, n. 2, p. 115-132, 2014.

CABRAL, M. P. Sobre el Ronquido del Hacha y otras cosas extrañas: reflexiones sobre la arqueologia y otros modos de conocimento. In: PELLINI, J. R.; ZARANKIN, A.; SALERNO, M. A. (ed.), Sentidos indisciplinados: arqueología, sensorialidad y narrativas alternativas. Madrid (ES): JAS Arqueología SLU, 2017. p. 221-249.

CAIXETA DE QUEIROZ, R. Cosmologia e história Waiwai e Katxuyana: sobre os movimentos de fusão e dispersão dos povos (Yana). In: GRUPIONI, D. F.; ANDRADE, L. M. M. (org.). Entre águas bravas e mansas, índios e quilombolas em Oriximiná. São Paulo: Comissão Pró-Índio de São Paulo: Iepé, 2015. p. 104-132.

CAIXETA DE QUEIROZ, R. Trombetas-Mapuera: território indígena. Brasília, DF: Funai-PPTAL, 2008.

CAIXETA DE QUEIROZ, R.; MESQUITA, C.; MIGLIANO, M. Histórias de Mawary. Belo Horizonte: Associação Filmes de Quintal, 2009. 1 DVD (56 min), son., color.

CARNEIRO DA CUNHA, M. Relações e dissensões entre saberes tradicionais e saber científico. In: CARNEIRO DA CUNHA, M. Cultura com aspas e outros ensaios. São Paulo: Cosac Naify, 2009. p. 301-310.

CHMYZ, I. (org.). Terminologia arqueológica brasileira para cerâmica. Curitiba: UFPR, 1966.

COLWELL-CHANTHAPHONH, C.; FERGUSON, T. J.; LIPPERT, D.; MCGUIRE, R. H.; NICHOLAS, G. P.; WATKINS, J. E.; ZIMMERMAN, L. J. The Premise and Promise of Indigenous Archaeologies. American Antiquity, v. 75, n. 2, p. 228-238, 2010.

CORRÊA, Â. A. Pindorama de mboî e îakaré: continuidade e mudança na trajetória das populações Tupi. 2014. Tese (Doutorado em Arqueologia) – Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, São Paulo. 2014.

CUSICANQUI, S. R. Un mundo ch’ixi es posible: ensayos desde un presente en crisis. Buenos Aires (AR): Tinta Limón, 2018.

DIAS JR., C. Mawari e Woxin: Nossa fala cantada. Amazônia e Outros Temas. Manaus: Editora da Universidade Federal do Amazonas, 2010. p. 145-158. (Textos Antropológicos).

DIAS JR., C. Unidades sociais e padrões de relações; fusão e fissão entre os Waiwai no Jatapuzinho. Estudios Latinoamericanos, n. 23, p. 51-62, 2003.

FOCK, N. Waiwai: Religion and Society of an Amazonian Tribe. Copenhagen (DK): The National Museum of Denmark, 1963.

FRIKEL, P. Tradição tribal e arqueologia no Tumucumaque. Revista do Museu Paulista, v. 14, p. 471-491, São Paulo, 1963.

GASPAR, M. V.; RODRIGUES, I. M. M. Coleções etnográficas e arqueologia: uma relação pouco explorada. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Série Ciências Humanas, v. 15, n. 1, p. 1-19, jan./abr., 2020. DOI: 10.1590/2178-2547-bgoeldi-2019-0018.

GNECCO, C.; ROCABADO, P. A. ¿Qué hacer?: elementos para una discusión. In: GNECCO, C.; ROCABADO, P. A. (ed.), Pueblos indígenas y arqueologia em América Latina. Bogotá (CO): Universidad de Los Andes, 2010. p. 23-47.

GOMES, D. M. Cerâmica arqueológica da Amazônia: vasilhas da coleção tapajônica MAE-USP. São Paulo: Edusp: Fapesp: Imprensa Oficial do Estado, 2002.

GOMES, D. M.; LUIZ, J. G. Contextos domésticos no sítio arqueológico do Porto, Santarém, Brasil, identificados com o auxílio da geofísica por meio do método GPR. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Série Ciências Humanas, v. 8, n. 3, p. 639-656, set./dez. 2013. DOI: 10.1590/S1981-81222013000300010.

GREEN, L. F.; GREEN, D. R.; NEVES, E. G. Conocimento indígena y ciencia arqueológica: los retos de la arqueologia pública en la reserva Uaçá. In: GNECCO, C.; ROCABADO, P. A. (ed.). Pueblos indígenas y arqueologia en América Latina. Bogotá (CO): Universidad de Los Andes, 2010. p. 301-342.

GUAPINDAIA, V. L. C. Além da margem do rio: as ocupações Konduri e Pocó na região de Porto Trombetas/PA. 2008. Tese (Doutorado em Arqueologia) – Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

HAWKINS, R. E. Wai Wai. In: DERBYSHIRE, D. C.; PULLUM, G. K. (ed.). Handbook of Amazonian Languages. Berlin (DE): Mouton de Gruyter, 1998. v. 4, p. 24-224.

HILBERT, P. P. A cerâmica arqueológica da região de Oriximiná. Belém: MPEG, 1955.

HILBERT, P. P.; HILBERT, K. Resultados preliminares da pesquisa arqueológica nos rios Nhamundá e Trombetas, Baixo Amazonas. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Nova Série Antropologia, n. 75, p. 1-14, 1980.

HOWARD, C. V. Wrought identities: the Waiwai expeditions in search of the “unseen tribes” of Northern Amazonia. 2011. Tese (Doutorado em Antropologia) – Faculty of the Division of Social Science, University of Chicago, Chicago (US), 2001.

INGOLD, T. The Perception of the Environment: Essays in Livehood, Dwelling and Skill. London (GB): Routledge, 2000.

JÁCOME, C. P. Dos Waiwai aos Pooco: fragmentos de história e arqueologia das gentes dos rios Mapuera (Mawtohrî), Cachorro (Katxuru) e Trombetas (Kahu). 2017. Tese (Doutorado em Arqueologia) – Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

JÁCOME, C. P. Pelo rio Mapuera: reflexões sobre arqueologia e etnologia indígena na Amazônia e Guiana. 2011. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011.

JÁCOME, C. P., RODRIGUES, I.; WAI WAI, C. Classificação das cerâmicas arqueológicas da coleção da prefeitura de Oriximiná/PA: cruzando os olhares Wai Wai e arqueológico. In: REUNIÃO DA SAB NORTE, 4., 2018, Manaus. Caderno de Resumos […]. Manaus: SAB Norte, 2018.

JÁCOME, C. P.; WAI WAI, J. X. A paisagem e as cerâmicas arqueológicas na bacia Trombetas: uma discussão da Arqueologia Karaiwa e Wai Wai. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Série Ciências Humanas, v. 15, n. 3, e20190140, 2020.

JESUS, Hudson R. M. Patrimônio Tapajowara no Sírio Porto: herança cultural e resistência étnica na região de Santarém, rio Tapajós. Revista de Ciências Humanas CAETÉ, n. 6, v. 2, p. 83-99, 2019.

LANDER, E (org.). A colonialidade do saber, eurocentrismo e ciências sociais: perspectivas latino-americanas. Buenos Aires (AR): CLACSO, 2005.

LATOUR, B. Jamais fomos modernos: ensaios de antropologia simétrica. Rio de Janeiro: Edições 34, 1991.

LÉVI-STRAUSS, C. O pensamento selvagem. Trad. Tânia Pellegrini. 8. ed. Campinas: Papirus, 2008.

LIMA, H.; BARRETO, C.; BETTANCOURT, C. J. Novos olhares sobre as cerâmicas arqueológicas da Amazônia. In: LIMA, H., BARRETO, C. BETTANCOURT, C. J. (org.). Cerâmicas Arqueológicas da Amazônia. Belém: IPHAN: MPEG, 2016. p. 19-31.

LIMA, H.; BARRETO, C.; BOTELHO; G.; MARQUES, F.; BENATHAN, C.; ALHO, F.; SILVA, E.; MORAES, B.; HARPE, K.; SHEPARD JR., G.; PACE. R. OCA – Origens, Cultura e Ambiente: uma proposta de arqueologia colaborativa em Gurupá/PA. Revista de Arqueologia Pública, v. 14, n. 1, p. 96-128, 2020.

MACHADO, J. S. Arqueologias indígenas, os Laklãnõ Xokleng e os objetos do pensar. Revista de Arqueologia, v. 30, n. 1, p. 89-119, 2017.

MACHADO, J. S. História(s) indígena(s) e a prática arqueológica colaborativa. Revista de Arqueologia, v. 26, n.1, p. 72-85, 2013.

MACHADO, J. S. O potencial interpretativo das análises tecnológicas: um exemplo amazônico. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, v. 15/16, p. 87-111, 2005-2006.

MACHADO, J. S.; TSCHUCAMBANG, C.; FONSECA, J. R.; Stones, Clay and People Among the Laklãnõ Indigenous People in Southern Brazil. Archaeologies, v. 16, p. 460-491, 2020. DOI: 10.1007/s11759-020-09405-8.

MEGGERS, B.; EVANS, C. An Experimental Formulation of Horizon Styles in the Tropical Forest of South America. In: LOTHROP, S. (ed.). Essays in Pre-Columbian Art and Archaeology. Cambridge (US): Harvard University Press, 1961. p. 372-388.

MEGGERS, B.; EVANS, C. Como interpretar a linguagem da cerâmica: manual para arqueólogos. Washington, DC (US): Smithsonian Institution, 1970.

MILION, T. Developing an Aboriginal Archaeology: Receiving Gifts from White Buffalo Calf Woman. In: SMITH, C.; WOBST, H. M. Decolonizing Archaeological Theory and Practice. In: SMITH, C.; WOBST, H. M. (ed.). Indigenous Archaeologies: Decolonizing Theory and Practice. London (GB); New York (US): Routledge, 2005. p. 39-51.

MUNDURUKU, Jair Boro. Caminhos para o passado: Ocaõ, Agukabûk e Cultura Material Munduruku. 2019. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arqueologia) – Universidade Federal do Oeste do Pará, Santarém, 2019.

NEVES, E. G.; GUAPINDAIA, V. L. C.; LIMA, H. P.; COSTA, B. L. S.; GOMES, J. A tradição Pocó-Açutuba e os primeiros sinais visíveis de modificação de paisagens na calha do Amazonas. In: ROSTAIN, S. (org.). Antes de Orellana: Actas del 3er Encuentro Internacional de Arqueología Amazónica. Quito (EC): Instituto Francés de Estudios Andinos, 2014. p. 137-158.

NIMUENDAJÚ, C. In Pursuit of a Past Amazon: Archaeological Researches in the Brazilian Guyana and in the Amazon Region. STENBORG, P. (ed.). Ethnological Studies. Göteborg (SE): Elanders Infologistik Väst AB, 2004. v. 45.

OLIVEIRA, E. Corpo de barro, corpo de gente: metáforas na iconografia das urnas funerárias polícromas. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Série Ciências Humanas, v. 15, n. 3, 2020.

PROUS, A. Apuntes para análisis de industrias líticas. In: PROUS, A. Ortegalia 2. Ortigueira (ES): Fundación Federico Maciñeira, 2004.

ROCHA. B.; BELETTI, J.; PY-DANIEL, A. R.; MORAES, C. P.; OLIVEIRA, V. H. Na Margem e à Margem: arqueologia amazônica em territórios tradicionalmente ocupados. Amazônica, v. 6, n. 2, p. 358-384, 2014.

RODRIGUES, I. M. M. Corpos que emergem: vegetais trançados e sua persistência entre os povos do rio Mapuera. Revista de Arqueologia, v. 34, n. 3, p. 146-177, 2021.

RODRIGUES, I. M. M. Tramas da tecnologia: etnoarqueologia da variabilidade dos trançados dos povos do Mapuera. 2022. Tese (Doutorado em Arqueologia) – Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2022.

RODRIGUES, I. M. M.; VOLKMER-RIBEIRO, C.; MACHADO, V. S. Cauixi em cerâmica arqueológica da região de Lagoa Santa, Minas Gerais: inclusão de esponjas processadas ou exploração de depósitos sedimentares com espículas? Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi: Ciências Humanas, v. 12, n.1, p. 85-100, jan./abr. 2017.

ROSSEVELT, A. C. The Rise and Fall of the Amazon Chiefdoms. L’Homme, v. 33, n. 2/4, p. 255-283, avril/déc. 1993.

SCHIFFER, M.B.; SKIBO, J.M. The Explanation of Artifact Variability. American Antiquity, v. 62, n. 1, p. 27-50, 1997.

SILVA, F. A. A etnoarqueologia na Amazônia: contribuições e perspectivas. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi: Ciências Humanas, v. 4, n. 1, p. 27-37, 2009.

SILVA, F. A. As tecnologias e seus significados: um estudo da cerâmica dos Asuriní do Xingu e da cestaria dos Kayapó-Xikrin sob uma perspectiva etnoarqueológica. 2000. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.

SILVA, F. A. O plural e o singular das arqueologias indígenas. Revista de Arqueologia, v. 25, n. 2, p. 24-42, 2012.

SILVA, F. A. Tipos cerâmicos ou modos de vida?: etnoarqueologia e as tradições arqueológicas cerâmicas na Amazônia. In: LIMA, H.; BARRETO, C.; BETTANCOURT, C. J. (org.). Cerâmicas arqueológicas da Amazônia. Belém: IPHAN; MPEG, 2016. p. 40-49.

SILVA, F. A.; BESPALEZ, E.; STUCHI, F. Arqueologia colaborativa na Amazônia: terra indígena Kuatinemu, rio Xingu, Pará. Amazônica, v. 3, p. 1, p. 32-59, 2011.

SMITH, C.; WOBST, H. M. Decolonizing Archaeological Theory and Practice. In: SMITH, C.; WOBST, H. M. (ed.). Indigenous Archaeologies: Decolonizing Theory and Practice. London (GB); New York (US): Routledge, 2005. p. 4-14.

TAYLOR, A. C.; VIVEIROS DE CASTRO, E. Um corpo feito de olhares (Amazônia). Revista de Antropologia, v. 62, n. 3, p. 769-818, 2019. DOI: 10.11606/2179-0892.ra.2019.165236.

VALENTINO, Leonor. As transformações da pessoa entre os Katwena e os Tunayana dos rios Mapuera e Trombetas. 2019. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019.

VALLE, R.; LÓPEZ, G. T. E.; TUYUKA, P. H. T.; MUNDURUKU, J. S. What is Anthropogenic?: On the Cultural Aetiology of Geo-Situated Visual Imagery in Indigenous Amazonia. Rock Art Research, v. 35, n. 2, p. 123-144, 2018.

VIDAL DE OLIVEIRA, L. Figuras zoo-antropomorficas e seus adornos corporais: ponteado, linha incisa e modelagem na cerâmica Konduri (1000-150 AD). Revista de Arqueologia, v. 33, n.1, p. 147-168, 2020. DOI: 10.24885/sab.v33i1.701.

VIVEIROS DE CASTRO, E. Perspectivismo e multinaturalismo na Amazônia indígena. In: VIVEIROS DE CASTRO, E. A inconstância da alma selvagem e outros ensaios de antropologia. São Paulo: Cosac Naify, 2002. p. 345-399.

WAI WAI, C. A cerâmica Wai Wai: modos de fazer do passado e do presente. 2019. Monografia (Bacharelado em Arqueologia) – Instituto de Ciências da Sociedade, Universidade Federal do Oeste do Pará, Santarém, 2019.

WAI WAI, W. P. A mudança no ritual do povo Wai Wai. 2017. Monografia (Bacharelado em Arqueologia) – Instituto de Ciências da Sociedade, Universidade Federal do Oeste do Pará, Santarém, 2017.

WAI WAI. J. X. Levantamento etnoarqueológico sobre a cerâmica Konduri e ocupação dos Wai Wai na região da terra indígena Trombetas-Mapuera (Pará, Brasil). 2017. Monografia (Bacharelado em Arqueologia) – Instituto de Ciências da Sociedade, Universidade Federal do Oeste do Pará, Santarém, 2017.

WAI WAI. Otekmi Kunupira. O Xkmari Wai Wai: produção de raladores pelas anciãs na aldeia Mapuera. 2021 Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arqueologia) – Universidade Federal do Oeste do Pará, Santarém, 2021.

WÜST, I. Observações sobre a tecnologia cerâmica Karajá em Aruanã. Arquivos do Museu de História Nacional, v. 6/7, p. 311-322, 1981-1982.

YDE, J. Material Culture of the Waiwái. Copenhagen (DK): National Museum of Denmark, 1965.

Downloads

Publicado

2023-09-26

Como Citar

JÁCOME, Camila Pereira; RODRIGUES, Igor Morais Mariano; WAI WAI, Cooni. Corpos fragmentados feitos de olhares: perspectivas Wai Wai e Karaiwa. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 36, n. 3, p. 390–423, 2023. DOI: 10.24885/sab.v36i3.1106. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/1106. Acesso em: 25 jun. 2024.