Transgredindo arqueologias: Narrativas outras como práticas libertadoras

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v37i2.1143

Palavras-chave:

colonialidades na ciência, Arqueologia, Pedagogia Radical

Resumo

Situando a arqueologia como espaço político de aprendizagem mútua-plural, torna-se evidente a presença do impasse na notória produção hegemônica que limita seus produtos como ciência. Utilizando a pedagogia radical de bell hooks como base, o objetivo deste artigo é discutir abordagens pedagógicas no ensino arqueológico, enfatizando o papel dessa área do saber e chamando atenção ao local de agente ativo em um tempo e localidade diversa. Analisando estruturas de criação epistemológica, o indivíduo construtivo e as intersecções que abarcam dentro de uma ciência arqueológica, a colonialidade no pensar, ensinar e produzir, se faz presente e com raízes resistentes na modernidade. Refletir isto aponta a interrogação: a arqueologia, de fato, pode ser vista como elemento funcional na desconstrução do pensamento colonial?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lívia Radane, Universidade Federal de Minas Gerais

Graduanda em Arqueologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais (FAFICH), Departamento de Antropologia e Arqueologia (DAA). Membro da Rede de Arqueologia Negra e contemplada pela bolsa do Dossiê Arqueologias Negras.

Referências

ANZALDÚA, Glória. Falando em línguas: uma carta para as mulheres escritoras do terceiro mundo. Revista Estudos Feministas, v. 8, n. 01, pág. 229-236, 2000. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/9880

ARCANJO, Matheus Lucas. Antropologia e Educação Ambiental em Cruzo: Reflexões a partir da vivência na estação ecológica da UFMG. [Monografia de conclusão de curso de Antropologia, Universidade Federal de Minas Gerais], Belo Horizonte, 2022.

BECKER, Howard Saul. Outsiders. Estudos de sociologia do desvio. Rio de Janeiro: Zahar. 232pp. 2008 [1963].

BEZERRA, Marcia. Bicho de nove cabeças: os cursos de graduação e a formação de arqueólogos no Brasil. Revista de Arqueologia, v. 21, n. 2, p. 139-154, 2008. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/SAB/article/view/255

BRAGA, Maria Lúcia de Santana; SILVEIRA, Maria Helena Vargas da. O Programa Diversidade na Universidade e a construção de uma política educacional antirracista. 2007. Disponível em: https://repositorio.faculdadefama.edu.br/xmlui/handle/123456789/28

COLLINS, Patricia Hill; BILGE, Sirma. Interseccionalidade. Boitempo Editorial, 2021.

DE ABREU, Rafael. Deixa meu cabelo em paz e outros contos sobre Arqueologia do Racismo à Brasileira. Revista de Arqueologia, São Paulo, v. 33, n. 2, p. 43-65, Mai-Ago 2020. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/743

DE PAULA PASSOS, Lara. Gotas de um oceano: uma análise bibliométrica feminista de um curso de graduação. Revista de Arqueologia, v. 30, n. 2, p. 130-144, 2017. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/524

DE PAULA PASSOS, Lara. Arqueopoesia: uma proposta feminista afrocentrada para o universo arqueológico. 2019. Dissertação de mestrado. Programa de Pós-graduação em Antropologia - Área de concentração: Arqueologia. Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia da Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte. Disponível em: https://www.academia.edu/42186008/ARQUEOPOESIA_uma_proposta_feminista_afrocentrada_para_o_universo_arqueol%C3%B3gico

FREITAS, Vinicius Siqueira. Materialidade da Desumanização: Arqueologia de uma humanidade vilipendiada. [Monografia de Conclusão do Curso de Bacharelado em Antropologia, Habilitação em Arqueologia, Universidade Federal de Minas Gerais]. Belo Horizonte. 2021.

GOLDMAN, Marcio. Alteridade e experiência: antropologia e teoria etnográfica. Etnográfica. Revista do Centro em Rede de Investigação em Antropologia, v. 10, n. 1), p. 159-173, 2006.

GRAMSCI, Antônio. Cadernos do cárcere. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001. v. 1.

GRAMSCI, Antônio. Escritos políticos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004. v. 2.

HARTEMANN, Gabby; DE MORAES, Irislane Pereira. Contar histórias e caminhar com ancestrais: por perspectivas afrocentradas e decoloniais na arqueologia. Vestígios-Revista Latino-Americana de Arqueologia Histórica, v. 12, n. 2, p. 9-34, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/vestigios/article/view/12196

hooks, bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade. São Paulo Martins Fontes, 2013.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Cobogá, 2019.

MIGNOLO, Walter. DESOBEDIÊNCIA EPISTÊMICA: A Opção Descolonial e o Significado de Identidade em Política*. In: Cadernos de Letras da UFF – Dossiê: Literatura, língua e identidade, no 34, p. 287-324, 2008

MORAES, Irislane Pereira. Arqueologia ‘na flor da terra’quilombola: ancestralidade e movimentos Sankofa no território dos povos do Aproaga-Amazônia Paraense. 2021.

PONTALIS, Jean-Baptiste; LAPLANCHE, Jean. Vocabulário da psicanálise. Santos: Martins, 2001.

RIBEIRO, Loredana; FORMADO, Bruno Sanches Ranzani da Silva; SCHIMIDT, Sarah; DE PAULA PASSOS, Lara. A saia justa da Arqueologia Brasileira: mulheres e feminismos em apuro bibliográfico. Revista Estudos Feministas, v. 25, p. 1093-1110, 2017.

RUFINO, Luiz - Pedagogia das encruzilhadas - JUNIOR, Luiz Rufino Rodrigues. Pedagogia das encruzilhadas. Periferia, v. 10, n. 1, p. 71-88, 2018.

SOLTYS, Fernando Alexandre. Caleidoscópio, narrativas e subjetividade na Arqueologia Pública. Dissertação (Mestrado em Antropologia) - Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Antropologia, Belo Horizonte, 2010.

TRIGGER, Bruce Graham. História do pensamento arqueológico: Ordep Trindade Serra; [revisao tecnica Lucas de Melo Bueno, Juliana Machado J. Sao Paulo: Odysseus Editora, 2004. Título original: A history of archaeological thought Bibliografia.

Downloads

Publicado

2024-05-15

Como Citar

RADANE, Lívia. Transgredindo arqueologias: Narrativas outras como práticas libertadoras. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 37, n. 2, p. 44–57, 2024. DOI: 10.24885/sab.v37i2.1143. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/1143. Acesso em: 24 jun. 2024.