Retalhos afetivos de tecidos coletivos: vivências decoloniais nas comunidades de São Braz do Piauí

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v37i1.1154

Palavras-chave:

arqueologias afetivas e decoloniais, arqueologia pública, São Braz do Piauí

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo apresentar o resumo da dissertação de mestrado intitulada “Retalhos Afetivos de Tecidos coletivos: Vivências decoloniais nas comunidades de São Braz do Piauí, desenvolvida no âmbito do programa de pós-graduação em Arqueologia da Universidade Federal do Vale do São Francisco- PPArque/UNIVASF. Neste trabalho, busquei refletir criticamente sobre os patrimônios arqueológicos de São Braz do Piauí, a partir de abordagens de Arqueologias públicas, colaborativas e leituras decoloniais, considerando sua inserção no presente e suas possibilidades de associação. Desse modo, a arqueologia aqui é entendida como uma forma de ver e interpretar o mundo, um lugar de conflitos e de compartilhamento de saberes, sendo expressão diferentes interesses.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Géssika Sousa Macêdo, Universidade Federal de Pernambuco

Graduada em Arqueologia e Preservação Patrimonial pela Uiversidade Federal do Vale do São Francisco e mestra em Arqueologia pela mesma universidade. Doutoranda em Arqueologia pela Universidade Federal de Pernambuco e bolsista Capes.

Referências

ANZALDÚA, Gloria. “La conciencia de la mestiza: rumo a uma nova consciencia”. Revista Estudos Feministas. Florianópolis: UFSC, 13(3): 704-719, setembro-dezembro, 2005. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/S0104-026X2005000300015. Acessado em: Acessado em: 07/07/2023.

ASSIS, Rafael da Silva. Índios do Território Serra da Capivara: História, Memória e Ensino. Dissertação. (Mestrado Profissional em Ensino de História). Universidade Federal Do Tocantins, Araguaína, 2016.

BEZERRA, Márcia. Teto e afeto. Sobre as pessoas, as coisas e a Arqueologia na Amazônia. 1 ed. Belém: PA: GKNoronha, 2017.

BRANDÃO, Tânya Maria Pires. O escravo na formação social do Piauí: perspectiva histórica do século XVIII. Teresina, Editora da UFPI, 1999.

CABRAL, Mariana Petry. “‘E Se Todos Fossem arqueólogos?’: Experiências Na Terra Indígena Wajãpi”. Anuário Antropológico, v.39, n.2, p.115-32, 2014. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/anuarioantropologico/article/view/6821. Acessado em: 07/07/2023.

CARDOSO, Cláudia Pons. Amefricanizando o feminismo: o pensamento de Lélia Gonzalez. Estudos Feministas, vol. 22, n°3, p. 965-986, 2014.

COLLINS, Patricia Hill. Epistemologia feminista negra. In: BERNARDINO-COSTA, Joaze; MALDONADO-TORRES, Nelson; GROSFOGUEL, Ramon. (org.). Decolonialidade e Pensamento Afrodiaspórico. Belo Horizonte: Autêntica, 2019.

CHAGAS, Mário & GOUVÊIA, Inês. Museologia social: reflexões e práticas (à guisa de apresentação). Cadernos do CEOM, vol. 27, n°41, p. 9 -22, 2014.

EVARISTO, Conceição. Literatura negra: uma poética de nossa afro-brasilidade. Scripta, vol. 13, n° 25, p.17-31, 2009.

FAVRET-SAADA, Jeanne. Ser Afetado. Tradução de Paula Siqueira. Cadernos de Campo, n° 13, p.155-161, 2005.

GONÇALVES, Reginaldo. Ressonância, materialidade e subjetividade: as culturas como patrimônios. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, v. 11, n. 23, p. 15-36, 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ha/a/wRHHd9BPqsbsDBzSM33NZcG/?lang=pt#. Acessado em: 07/07/2023.

GONZALEZ, Lélia. Racismo e Sexismo na Cultura Brasileira. Revista Ciências Sociais Hoje, Anpocs, 1984, p. 223-244 . Disponível em: https://ria.ufrn.br/jspui/handle/123456789/2298 . Acessado em: 07/07/2023.

_________, Lélia. A categoria político-cultural de amefricanidade. Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, v. 92, n. 93, p. 69-82, (jan./jun.), 1988b, p. 69-82.

GUIDON, Niede.; FELICE, Gisele Daltrini.; LIMA, C. F. M. Salvamento arqueológico na área da Adutora do Garrincho. Fumdhamentos, v. 1, n. 6, p. 125-167, 2007.

GUIDON, Niede; BUCO, Cristiane. IGNÁCIO, Elaine. Região da Serra da Capivara e Corredor Ecológico. Parceria entre IPHAN e FUMDHAM. Relatório. Fumdhamentos, v. 1, n. 8, p. 134-153, 2009.

HARRISON, Rodney. Arqueologias de Futuros e Presentes Emergentes. Vestígios, vol. 12, n° 2, p. 84-104, 2018.

HARTEMANN, G.; MORAES, I. P. de. Contar histórias e caminhar com ancestrais: por perspectivas afrocentradas e decoloniais na arqueologia. Vestígios - Revista Latino-Americana de Arqueologia Histórica, v. 12, n. 2, p. 9–34, 2022. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/vestigios/article/view/12196. Acessado: Acessado em: 07/07/2023.

HAMILAKIS, Yannis. Etnografia Arqueológica: Um Ponto de Encontro Multitemporal para Arqueologia e Antropologia. Annual Review Anthropology, vol. 40, p.399–414, 2011. Disponível em: https://www.annualreviews.org/doi/abs/10.1146/annurev-anthro-081309-145732. Acessado em: 07/07/2023.

HOOKS, Bell. Ensinando a transgredir: educação como prática de liberdade. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

KILOMBA, Grada. Memórias da Plantação. Episódios de Racismo Cotidiano. Tradução de Jess Oliveira. Rio de Janeiro: Editora Cobogó, 2019.

LUGONES, M. Colonialidad y Género. Tabula Rasa. Bogotá - Colombia, n.9, p. 73-101, 2008. Disponível em: https://www.revistatabularasa.org/numero09/. Acessado em: 07/07/2023.

LYDON, J.; RIZVI, U.Z. Introduction: Postcolonialism and archaeology. In: J. Lydon e U.Z. Rizvi (Eds.). Handbook of Postcolonial Archaeology. Walnut Creek, Left Coast Press INC. 2010, p. 17-33.

MACÊDO, Géssika Sousa. Retalhos Afetivos de Tecidos coletivos: Vivências de arqueologias decoloniais em São Braz do Piauí. Dissertação (Mestrado em Arqueologia). Universidade Federal do Vale do São Francisco, São Raimundo Nonato, Piauí, 2021.

MACÊDO, Géssika Sousa & MAGESTE, Leandro Elias Canaan. Aqui, onde cavar acha pote’: patrimônio arqueológico nos quintais dos moradores de São Braz do Piauí – PI e seus usos e significados no presente. Revista Fumdhamentos, v. XVII, n. 2, p. 129-156, 2020. Disponível em: http://fumdham.org.br/cpt_revistas/fumdhamentos-xvii-2020-n2/. Acessado em: 07/07/2023.

MAGESTE, Leandro Elias Canaan; MACEDO, Géssika Sousa.; PAES, Evanilza Lopes Castro.; SANTOS, Carlos Eduardo Ferreira. As Arqueologias de São Braz do Piauí: apontamentos iniciais sobre as narrativas e usos dos bens arqueológicos no presente. Cadernos do Lepaarq, v. XVII, n.34, 164-182, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/lepaarq/article/view/19412. Acessado em: 07/07/2023.

MAGESTE, Leandro Elias Canaan; AMARAL, Alencar de Miranda. As arqueologias afetivas na produção discente da Universidade Federal do Vale do São Francisco: desdobramentos históricos e interfaces teóricas na construção da Arqueologia no Sudeste e Sudoeste do Piauí. Artigos Científicos. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Cienc. Hum. v. 17, n.2. 2022. Disponível em: https://doi.org/10.1590/2178-2547-BGOELDI-2020-0115. Acessado em: 07/07/2023.

MARANCA, Silvia. Segundo relatório da segunda missão de estudos no Piauí. Universidade de São Paulo. São Paulo: Ed. Universitária,1974.

MIGNOLO, Walter D. Desobediência epistêmica: a opção descolonial e o significado de identidade em política. Cadernos de Letras da UFF, n.34, p.287-324, 2008.

NOAVAES, Luciana de Castro Nunes. Arqueotextura e o esboço de uma antecipação: O princípio simétrico na escrita dos Atos, Materiais e Ambientes. Revista de Arqueologia Pública. Campinas, SP v.12 n.1, 2018. Disponível em https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rap/article/view/8652675. Acessado em 15/07/2023.

OLIVEIRA, Ana Stela de Negreiros. O Povoamento Colonial do Sudeste do Piauí: Indígenas e Colonizadores, Conflitos e Resistência. Tese (Doutorado em História). Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.

OLIVEIRA, João Pacheco de Oliveira. Pardos, Mestiços ou Caboclos: Os Índios nos censos nacionais no Brasil (1872-1980). Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 3, n. 6, p. 61-84, out. 1997.

PASSOS, Lara de Paula. ARQUEOPOESIA: uma proposta feminista afrocentrada para o universo arqueológico. Dissertação (Mestrado em Antropologia com ênfase em Arqueologia). Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte-MG, 2019.

PERUZZO, Cicilia M. Krohling. Epistemologia e método da pesquisa-ação. Uma aproximação aos movimentos sociais e à comunicação. In: XXV Encontro Anual da Compós, na Universidade Federal de Goiás, Goiânia, de 7 a 10 de junho de 2016, disponível em https://proceedings.science/compos/compos-2016/trabalhos/epistemologia-e-metodo-da-pesquisa-acao-uma-aproximacao-aos-movimentos-sociais-e?lang=pt-br. Acessado em 07/07/2023.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, Eurocentrismo e América Latina. In: LANDER, Edgardo (Coord). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales – CLACSO, 2005, p. 117-142. Disponível em: http://biblioteca.clacso.edu.ar/ar/libros/lander/pt/lander.html. Acessado em: 07/07/2023.

RICHARDSON. Lorna-Jane.; ALMANSA-SÁNCHEZ, Jaime. Do you even know what public archaeology is? Trends, theory, practice, ethics. World Archaeology, v. 47, n. 2, 194-211, 2015.

SANTOS, Antônio Bispo. Colonização, Quilombos. Modos e Significados. Brasília: INCTI/UnB, 2015.

SARLENO, Virginia. Pensar la arqueología desde el sur. Complutum, vol. 23, n°2, p. 191-203, 2012. Disponível em: http://repositorio.filo.uba.ar/handle/filodigital/13006. Acessado em: 07/07/2023.

SILVA, Déborah Gonsalves. Laços Familiares e de Compadrio Escravo numa Freguesia Piauiense (São Raimundo Nonato, Século XIX). Sociedade Brasileira de Estudo Oitocentos, vol. 3, s/p, 2019.

SILVA, Lucas Antonio. (Re) Visitando pessoas e as coisas: a etnoarqueologia enquanto uma Arqueologia do Presente. Revista de Arqueologia, vol. 30, n°1, p. 175-185, 2017.

VIANA, Nayanne Magna Ribeiro. Traquejos e Labutas: Trabalhadores escravizados no sertão do Piauí. (São Raimundo Nonato, segunda metade século XIX). Dissertação. (Mestrado em História). Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, 2018.

WICHERS, Camila de Moraes. Museus e antropofagia do patrimônio arqueológico: (des) caminhos da prática brasileira. Tese (Doutorado em Sociomusologia). Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa, 2010.

Downloads

Publicado

2024-01-31

Como Citar

SOUSA MACÊDO, Géssika. Retalhos afetivos de tecidos coletivos: vivências decoloniais nas comunidades de São Braz do Piauí. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 37, n. 1, p. 117–125, 2024. DOI: 10.24885/sab.v37i1.1154. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/1154. Acesso em: 21 fev. 2024.