Sítio arqueológico do Quilombo Saracura: A insurgência do movimento negro pelo direito à memória na cidade de São Paulo.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v37i2.1159

Palavras-chave:

quilombo urbano, movimento social/negro, memória

Resumo

O sítio arqueológico Saracura/Vai-Vai foi identificado durante obras de implantação da Linha 6 do Metrô da cidade de São Paulo, se configurando em uma das descobertas arqueológicas mais relevantes sobre o passado da população negra dessa cidade. O sítio do Quilombo Saracura se desvenda para, ao lado dos sítios do Quilombo dos Palmares (AL), Cais do Valongo (RJ), Quilombo do Ambrósio (MG), compor territórios afrodiaspóricos referências do patrimônio cultural e histórico nacional, fundamentais para o fortalecimento e (re)conhecimento desta e das gerações futuras da memória e história de africanos neste país. Porém, apesar da inquestionável relevância deste sítio, sua visibilidade é fruto da organização comunitária dos moradores do Bixiga, que se juntaram junto a diversos movimentos sociais na defesa desse importante patrimônio cultural. Sob o lema “Metrô sim, mas sem destruição do patrimônio histórico”. Este artigo traz algumas reflexões sobre um processo que está em andamento, a partir de uma breve revisão da legislação pertinente e destaca a importância da mobilização social nesse processo, que promete se manter organizada e atuante até ter assegurada a proteção sítio arqueológico Saracura/Vai-Vai, de seus achados e ter garantias que serão adotadas medidas de extroversão desse patrimônio cultural da memória negra paulistana e nacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patricia Marinho Carvalho, Arqueologia pelo Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo

Sou Patrícia Marinho de Carvalho (Paty Marinho), mulher preta, cis, umbandista, arqueóloga da Rede de Arqueologia Negra (NEGRARQUEO), doutora em Arqueologia pelo Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE-USP), pesquisadora do Laboratório de Estudos Interdisciplinares sobre Tecnologia e Território (LINTT-MAE).

Rossano Lopes Bastos, Universidade de São Paulo

Sou Rossano Lopes Bastos, arqueólogo da Rede de Arqueologia Negra (NEGRARQUEO), doutor e livre docente em Arqueologia pelo Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE-USP).

Referências

A LASCA arqueologia: programa de arqueologia preventiva da Linha 6 – Laranja do Metrô de São Paulo. São Paulo: Abril, 2022.

A SARACURA. Correio Paulistano, 3 out. 1907.

AZEVEDO, Amailton M. Os sambas e as Áfricas em São Paulo na voz de Geraldo Filme. Histórica, n. 40, fev. 2010.

BASTOS, Rossano Lopes. O papel da arqueologia na inclusão social. Revista do IPHAN, n. 33, p. 289-303, 2007.

BASTOS, Rossano Lopes. Registro arqueológico como instrumento de memória social. Arqueologia Pública, n. 4, p. 52-60, 2011. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rap/article/view/8635793/3490. Acesso em: 10 jul. 2023.

BASTOS, Rossano Lopes; GOMES, Cinthia. Próxima estação: Saracura Vai-Vai. Folha de S.Paulo, São Paulo, 13 set. 2022. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2022/09/proxima-estacao-saracura-vai-vai.shtml. Acesso em: 6 mar. 2024.

BENTO, Cida. O pacto da branquitude. São Paulo: Companhia das Letras, 2022.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, [2016]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/ Constituiçao.htm. Acesso em: 15 jul. 2023.

BRASIL. Decreto nº 3.551, de 4 de agosto de 2000. Institui o Registro de Bens Culturais de Natureza Imaterial que constituem patrimônio cultural brasileiro, cria o Programa Nacional do Patrimônio Imaterial e dá outras providências. Diário Oficial da União, 7 ago. 2000. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3551.htm. Acesso em: 15 jul. 2023.

BRASIL. Decreto-lei n° 25, de 30 de novembro de 1937. Organiza a proteção do patrimônio histórico e artístico nacional. Diário Oficial da União, 6 dez. 1937. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del0025.htm. Acesso em: 15 jul. 2023.

BRASIL. Lei nº 3.924, de 26 de julho de 1961. Dispõe sobre os monumentos arqueológicos e pré-históricos. Diário Oficial da União, 27 jul. 1961. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/1950-1969/l3924.htm. Acesso em: 15 jul. 2023.

CARTA Internacional sobre a proteção e a gestão do património arqueológico. Tradução Flávio Lopes e Miguel Brito Correia. Lausanne (CH): ICOMOS, 6-11 out. 1990.

CARVALHO, Patrícia M. Arqueología afrocentrada de una comunidade remanente de quilombo en Mato Grosso, Brasil. Revista de Arqueología Histórica y Latinoamericana, v. 15, n. 2, jul.-dez. 2021.

CARVALHO, Patrícia M. A travessia atlântica de árvores sagradas: estudos de paisagem e arqueologia em área de remanescente de quilombo em Vila Bela/MT. 2012. Mestrado (Dissertação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

CARVALHO, Patrícia M. Visibilidade do negro: arqueologia do abandono na comunidade quilombola do Boqueirão, Vila Bela/MT. 2018. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.

CASTRO, Márcio S. Quilombos urbanos. Revista Aventuras na História, n. 21, maio 2005.

CIDA, Bento. O pacto da branquitude. São Paulo: Companhia das Letras, 2022.

DIAS, Maria Odila Leite. Quotidiano e poder em São Paulo no século XIX. São Paulo: Brasiliense. 1995.

DUTENKEFER, Eduardo. Mapa topográfico do Sara Brasil (1930) sobreposto às imagens atuais de satélite do Google Earth. GEOUSP: Espaço e Tempo, São Paulo, v. 19, n. 1, p. 156-159, 2015.

GERALDO FILME. Tradição (vai no Bexiga pra ver) [1974]. In: Memória Eldorado. São Paulo: Eldorado, 1982. Faixa 1 (2 min 47 s). Disponível em: https://www.letras.mus.br/geraldo-filme/763068/. Acesso em: 17 jun. 2022.

GOMES, Nilma Lino. O movimento negro educador: saberes construídos nas lutas por emancipação. Petrópolis: Vozes, 2017.

ICOMOS – INTERNATIONAL COUNCIL ON MONUMENTS AND SITES. Carta para a proteção e a gestão do patrimônio arqueológico: Carta de Lausanne. Lausanne (CH): ICOMOS; ICAHM, 1990. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Carta%20de%20Lausanne%201990.pdf. Acesso em: 10 jul. 2023.

INSTITUTO BIXIGA. Curso de formação Bixiga Chão de Muitos Povos: de Trilha Indígena a Reduto Multicultural de São Paulo. São Paulo: Instituto Bixiga, 2021.

IPHAN – INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL. Portaria nº 230, de 17 de dezembro de 1988. Brasília, DF: IPHAN, 1988. Disponível em http://portal.iphan.gov.br/uploads/legislacao/Portaria_n_230_de_17_de_dezembro_de_2002.pdf. Acesso em: 15 jul. 2023.

IPHAN – INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL. Instrução Normativa nº 1, de 25 de março de 2015. Estabelece procedimentos administrativos a serem observados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional nos processos de licenciamento ambiental dos quais participe. Brasília, DF: IPHAN, 2015. Disponível em http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Instru%C3%A7%C3%A3o%20normativa.pdf. Acesso em: 15 jul. 2023.

IPHAN – INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL. Referencial estratégico. Brasília, DF: IPHAN, [2014]. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/314#:~:text=A%20Miss%C3%A3o%20do%20Instituto%20%C3%A9,o%20desenvolvimento%20socioecon%C3%B4mico%20do%20pa%C3%ADs.%E2%80%9D. Acesso em: 25 maio 2023.

LIMA, Alessandra Rodrigues. Patrimônio cultural afro-brasileiro: as narrativas produzidas pelo IPHAN a partir da ação patrimonial. Brasília, DF: IPHAN, 2012.

LIMA, Alessandro L. L. Vestígios de um quilombo paulistano: uma análise da paisagem arqueológica do bairro do Bixiga. Argumentos, v. 17, n. 1, jan./jun. 2020.

LUCENA, Célia T. Bairro do Bexiga: a sobrevivência cultural. São Paulo, Brasiliense, 1984.

MARZOLA, Nádia. Bela Vista. São Paulo: Departamento do Patrimônio Histórico; Divisão do Arquivo Histórico; Prefeitura do Município de São Paulo, 1985. (História dos Bairros de São Paulo, 15).

MIGNOLO, Walter D. Histórias locais, projetos globais: colonialidade, saberes subalternos e pensamento liminar. Tradução de Solange Ribeiro de Oliveira. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2020.

MORAES, Iris P. Arqueologia na “Flor da Terra” quilombola: ancestralidade e movimentos Sankofa no território dos povos do Aproaga, Amazônia Paraense. 2021. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2021.

MORAES, Iris P.; COSTA, Luciana A.; JESUS, Luciana L. de. Arqueologia, lugar de fala e conexões afrodiaspóricas: experiências no território quilombola dos povos do Aproaga, Amazônia Paraense. Cadernos do LEPAARQ, v. 19, n. 37, jan./jun. 2022.

NASCIMENTO, Larissa A. C. do. “Lembrança eu tenho da Saracura”: notas sobre a população negra e as reconfigurações urbanas no bairro do Bexiga. Intratextos, Rio de Janeiro, v. 6, n. 1, p. 25-50, 2015.

O’DWYER, Eliane Cantarino. Os quilombos e a prática profissional dos antropólogos. In: O’DWYER, Eliane Cantarino (org.). Quilombos: identidade étnica e territorialidade. Rio de Janeiro: Editora FGV. 2002.

PASSOS, Lara de Paula. Arqueopoesia: uma proposta feminista afrocentrada para o universo arqueológico. 2019. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2019.

PAZ, Iolanda. Inclusão racial começa a ganhar força dentro das empresas. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 14 jul. 2022.

PENTEADO, Fernando. Primeira entrevista do projeto Negros do Bixiga. [S. l.: s. n.] 23 maio 2023. 1 vídeo (1 h 54 min 15 s). Publicado pelo canal Projeto Negros do Bixiga. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=-iR6XZQuYv4. Acesso em: 24 jan. 2024.

PINTO, Elaine dos S. Arqueologia quilombola: os processos de ocupação em Murumurutuba. 2003. Monografia (Trabalho de conclusão de curso em Antropologia e Arqueologia) – Universidade Federal do Oeste do Pará, Santarém, 2003

PINTO, Rafaela dos S. Estudar a história de um quilombo é uma forma de resistir: estudo de caso Murumurutuba/PA. 2003. Monografia (Trabalho de conclusão de curso em Antropologia e Arqueologia) – Universidade Federal do Oeste do Pará, Santarém, 2003.

QUIJANO, Aníbal. La colonialidad del poder y la experiencia cultural latino-americana. In: BRICENO-LEÓN, Roberto; Sontag, Heinz R. (ed.). Pueblo, época y desarrollo: la sociología de América Latina. Caracas (VE): CENDES; LASCO; Nova sociedade, 1998

QUIJANO, Aníbal; WALLERSTEIN, Immanuel. Americanity as a Concept, or the Americas in the Modern World-System. ISSAI, n. 134, p. 547-549, 1992.

RIBEIRO, Loredana, Empreendimentos econômicos, violação de direitos humanos e o silêncio da arqueologia no Brasil. Revista de Arqueologia, v. 28, n. 2, p. 172-186, 2015.

ROCHA, Danielle Franco da; CASTILHO, Edimilsom Peres; CASTILHO, Eribelto Peres. O visível que oculta e o invisível que revela: tensões e disputas na construção da história de um território. Revista Memoricidade, ano 1, n. 1, dez. 2020.

ROCHA, José G.; OLIVEIRA, Rosane C. de O.; ALVES, Marcos V. P. Influências e implicações das matrizes africanas na cultura brasileira e a questão da intolerância religiosa. Revista da ABPN, v. 11, n. 29, p. 198-213, jun./ago. 2019.

SILVA, Vagner G. da. Religião e identidade cultural negra: afro-brasileiros, católicos e evangélicos. Afro-Ásia, v. 56, p. 83-128, 2017.

UNESCO – ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA. Recomendação de Nova Delhi. Paris (FR): UNESCO, dez. 1956. Disponível em http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Recomendacao%20de%20Nova%20Dheli%201956.pdf. Acesso em: 15 jul. 2023.

UNESCO – ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA. Recomendação sobre a preservação de bens culturais ameaçados por obras públicas ou privadas. Tradução Flávio Lopes e Miguel Brito Correia. Paris (FR): UNESCO, 19 nov. 1968.

UNESCO-PNUD – ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA-PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO. Normas de Quito, de novembro/dezembro de 1967. Paris: UNESCO-PNUD, 1967. Disponível em http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Normas%20de%20Quito%201967.pdf. Acesso em: 15 jul. 2023.

VAZ, Beatriz Accioly. Quilombos. In: GRIECO, Bettina; TEIXEIRA, Luciano; THOMPSON, Analucia (org.). Dicionário IPHAN de Patrimônio Cultural. 2. ed. rev. ampl. Rio de Janeiro; Brasília: IPHAN; DAF; Copedoc, 2016.

VIRGÍLIO, Marcos. Lembrança eu tenho da Saracura: escavando histórias soterradas por uma avenida. In: HIKIJI, Rose Satiko Gitirana; SILVA, Adriana de Oliveira (org.). Bixiga em artes e ofícios. São Paulo: Edusp, 2014.

Downloads

Publicado

2024-05-15

Como Citar

CARVALHO, Patricia Marinho; BASTOS, Rossano Lopes. Sítio arqueológico do Quilombo Saracura: A insurgência do movimento negro pelo direito à memória na cidade de São Paulo. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 37, n. 2, p. 81–101, 2024. DOI: 10.24885/sab.v37i2.1159. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/1159. Acesso em: 24 jun. 2024.