Estudo preliminar dos ritos funerários do sítio do Caju, RJ

Autores

  • Lilia Cheuiche Machado Instituto de Arqueologia Brasileira
  • Glaucia Malerba Sene Bolsista do CNPq
  • Laura P. Ribeiro Silva Instituto de Arqueologia Brasileira

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v8i1.465

Palavras-chave:

Ritos Funerários , Tradição Una, Enterramentos

Resumo

O Sítio do Caju, localizado na cidade de Campos, RJ, foi descoberto durante o PRONAPA e, atualmente, está inserido no Projeto
Litoral Fluminense (coordenação: Dias Jr., IAB) e na Fase Mucuri, Tradição Una. Datação do século VI ao XVI.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BINFORD, L. L. Mortuary practices : Their study and their potential. Approaches to the social dimensions of mortuary practices. Memoirs of the Society for American Archaeology. New York, no. 25,1972.

DIAS JR, O. F. . Resultados preliminares do segundo ano de pesquisas do estado do Rio de Janeiro. Programa Nacional de Pesquisas Arqueológicas. Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém, 2: 119-734,1969.

_______ ,A mudança do paradigma e a pesquisa arqueológica. Anaís da VI Reunião Científica da Sociedade de Arqueologia Brasileira. Rio de Janeiro, Universidade Estácio de Sá, 1:18-27,1991.

DIAS JR, O. F. & CARVALHO, E. T. A pré-história da serra fluminense e a utilização das grutas do estado do Rio de Janeiro. Pesquisas, São Leopoldo, RS, Instituto Anchietano de Pesquisas, 31: 43-86, 1980

DIAS JR., O. F. ;SOUZA, M. B. A. ;VIANA, S. A.; SILVA, M. E. & OCHOA, M. Tradição Una no estado do Rio de Janeiro: estudo comparativo do material cerâmico funerário. Resumos. VII Reunião Científíca da SAB, João Pessoa, PB, 1993.

MACHADO, L. M. C. Análise dos remanescentes ósseos humanos do sftio Corondó. Aspectos biológicos e culturais. Série Monografia,s, Instituto de Arqueologia Brasileira, Rio de Janeiro, 1, 425 p., 1984.

_______, Biologia dos grupos indlgenas pré-históricos do sudeste do Brasil, As Tradições Itaipu e Una Prehistoria Sudamericana, Nuevas Perspectivas. Betty J. Meggers Ed., Taraxacum, Washington D. C., 77-103, 1992.

MACHADO, L. M. C.; SILVA, L. P. R. & SENE, G. M. Padrões mortuários e adaptação ecológica. Tradição Una, RI. Anais da VI Reunião da SAB, Rio de Janeiro, Universidade Estácio de Sá, 2: 476-483,1991.

MC KERN, T. W. & STEWART, T. D. Skeletal age changes in young american males. Headquarters, Quartermaster Research and Development Command, Technical Report EP-45. Natick, Massachussets, 1957.

MERCHANT, V. L. & UBELAKER, D. H. Skeletal growth of the protohistoric Arikara. American Journal of Physical Anthropology, 46 (1): 61-72, 1977.

MUNIZAGA, J. R. Antropologia fsica de los Andes del sur. Prehistoria Sudamericana. Nuevas Perspectivas. Betty J. Maggers Ed., Taraxacum, Washington D.C., 65-75,

SERVICE, E. R. Os caçadores. Rio de Janeiro, Zahar, 148 p., 1971

SIMONSEN,I.; MENDONÇA DE SOUZA, A. A. C. ; OLIVEIRA, A. P.;MENDONÇA DE SOUZA , S. M. F. & MENDONÇA DE SOUZA, M. A. C. Projeto Bacia do Paranã III. Escavações arqueológicas na Gruta do Salitre, A Fase Palma. Universidade Federal de Goiás, Museu Antropológico, GO, 49 p., 1981.

STEWART, T. D. The rate of development of vertebral osteoarthritis in american whites and its significance in skeletal age identification. The Leech, 28 (3-4-5): 144-151, 1958.

_______, Archaeological exploration of Patawomeke: the Indian Town site (44 ST2). Smithsonian Contribuitions to Anthropology, S. I. Press, Washington D. C., 96 p., 1992

TODD, T. w. Age changes in the public bone. American Journal of Physical Anthropology, 4(1): 1-70, 1921.

UBELAKER, D. H. Human skeletal remains:excavation, analysis, interpretation, Aldine Mannuals on Archaeology, Chicago, Aldine Publishing Company, 166 p., 1978.

Downloads

Publicado

1994-06-30

Como Citar

CHEUICHE MACHADO, L. .; MALERBA SENE, G. .; RIBEIRO SILVA, L. P. . Estudo preliminar dos ritos funerários do sítio do Caju, RJ. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 75–90, 1994. DOI: 10.24885/sab.v8i1.465. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/465. Acesso em: 27 set. 2022.

Edição

Seção

Artigo