O Lajeado de Soledade, Apodi (RN)

Um exemplo de preservação do patrimônio cultural brasileiro

Autores

  • Eduardo Bagnoli PETROBRÁS/DEBAR

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v8i1.477

Palavras-chave:

Lajeado de Soledade, gestão do patrimônio cultural, Preservação do patrimônio cultural

Resumo

O Lajedo de Soledade, situado no município de Apodi (RN) é a maior exposição de rocha calcária da Bacia Potiguar. Suas ravinas e cavernas abrigam lindas pinturas rupestres e fósseis de animais da era glacial. Este patrimônio estava ameaçado de destruição pela exploração de calcário para a fabricação de cal, promovida pelos habitantes da região. Em 1991 um grupo de geólogos da PETROBRÁS tomou a iniciativa de convencer estas pessoas a preservar as áreas mais significativas e criou uma associação com este fim. A partir de 1992, com apoio financeiro da PETROBRÁS, 3 áreas foram cercadas e posteriormente pesquisadas por arqueológos, paleontólogos e espeleólogos. Construiu-se um museu para atuar como pólo de atração turística, proporcionando uma nova oportunidade econômica para a comunidade local.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BERTANI, Renato Tadeu & BAGNOLI, Eduardo. Relatório de viagem de campo à Bacia Potiguar. PETROBRÁS/DEBAR, Natal, Relat. SIEX 106-6565, 1988, 31p.

BAGNOLI, Eduardo. Contribuição ao levantamento do patrimônio arqueológico, paleontológico, geológico e ecológico do extremo nordeste brasileiro. In: 1º Seminário de Interpretação Exploratória. Angra dos Reis, 1989. Anais, Angra dos Reis, PETROBRÁS/ DEPEX, 1989, pp.351-366.

Downloads

Publicado

1994-06-30

Como Citar

BAGNOLI, E. O Lajeado de Soledade, Apodi (RN): Um exemplo de preservação do patrimônio cultural brasileiro. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 239–253, 1994. DOI: 10.24885/sab.v8i1.477. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/477. Acesso em: 27 set. 2022.

Edição

Seção

Artigo