Acessibilidade dos sítios de grupos da Tradição Tupiguarani na Chapada do Araripe-PE

o uso das ferramentas SIG no estudo da mobilidade pré-histórica

Autores

  • Alencar de Miranda Amaral Universidade Federal do Vale do São Francisco
  • Grégoire van Havre Universidade Federal do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v30i1.502

Palavras-chave:

Mobilidade, Acessibilidade, Chapada do Araripe

Resumo

A Arqueologia espacial passou por expressivos desenvolvimentos teóricos e metodológicos nos últimos trinta anos, perquirindo novas problemáticas, sobretudo com a aplicação de tecnologias como os SIG (Sistema de Informação Geográfica), cujas ferramentas ainda são pouco exploradas nas investigações sobre a mobilidade pretérita. Estudos têm demonstrado a sua relevância na análise do contexto ambiental para a circulação humana. Neste trabalho, buscamos calcular dados vetoriais a partir de um Modelo Digital de Elevação e analisar mapas de acessibilidade entre 21 sítios de grupos da tradição ceramistaTupiguarani alocados em Araripina – PE, na Chapada do Araripe. As configurações da acessibilidade dos sítios indicam um contexto diferente na área fluvial e na área da chapada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-06-30

Como Citar

AMARAL, A. de M. .; VAN HAVRE, G. Acessibilidade dos sítios de grupos da Tradição Tupiguarani na Chapada do Araripe-PE: o uso das ferramentas SIG no estudo da mobilidade pré-histórica. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 30, n. 1, p. 56–72, 2017. DOI: 10.24885/sab.v30i1.502. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/502. Acesso em: 16 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigo