O Sambaqui Porto da Mina e a cerâmica utilizada como material construtivo

um estudo de caso

Autores

  • Paulo Roberto do Canto Lopes Museu Paraense Emílio Goeldi
  • MaDu Gaspar Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Denise Maria Cavalcante Gomes Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v31i1.521

Palavras-chave:

Sambaquis da costa norte, Cerâmica Antiga, Arqueologia Amazônica

Resumo

A retomada recente da pesquisa arqueológica no sambaqui Porto da Mina (PA-SA-5), litoral do Pará, foi feita a partir da abordagem metodológica proposta pela Arqueologia Estratégica, buscando compreender aspectos associados à formação do registro arqueológico. O primeiro autor analisou a coleção formada por Mário Simões nas décadas de 1960/70 e obteve novos dados com o estudo da seção de perfil de uma das áreas escavadas e com a análise de material da coluna zooarqueológica retirada do sambaqui. A análise da cerâmica proveniente das duas pesquisas destaca a inexistência de vasilhames inteiros e pequenas dimensões dos fragmentos, características que levaram a considerar a hipótese de que os vasilhames cerâmicos foram utilizados em diversas atividades rotineiras e, posteriormente, seus fragmentos reutilizados como material construtivo para consolidação do sambaqui.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARNOLD III, P. J., 1999.Tecomates, residential mobility, and early formative occupation in coastal lowland mesoamerica. In: SKIBO, J. M. & FEINMAN, G. M. (Ed.). Pottery and people: a dynamic interaction. Salt Lake City: University of Utah Press, pp. 157-170.

BANDEIRA, A. M., 2016. A cerâmica mina no Maranhão. In: BARRETO, C., LIMA, H.P. & BETANCOURT, C. J. (Org.). Cerâmicas arqueológicas da Amazônia: rumo a uma nova síntese. Belém: IPHAN; Ministério da Cultura, 2016. p. 147-157. Disponível em: http://www.academia.edu/26924057/BANDEIRA_2016_A_CER%C3%82MICA_MINA_NO_MARANH%C3%83O.pdf. Acesso em: jul. 2016.

BANDEIRA, A. M., 2012. Ocupações humanas pré-coloniais na Ilha de São Luis – MA: inserção dos sítios arqueológicos na paisagem, cronologia e cultura material cerâmica. Tese (Doutorado em Arqueologia) - Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

CHMYZ, I. 1966. Terminologia arqueológica brasileira para a cerâmica. Curitiba: UFPR, (Manuais de Arqueologia, 1).

DEBLASIS, P. & ASSUNÇÃO, D. 2013. Prospectando sambaquis. In: GASPAR, M. D. SOUZA, S. M. (Org.). Abordagens estratégicas em sambaquis. Erechim: Habilis, 2013. p. 33-48.

FIGUTI, L. Economia/alimentação na pré-história do litoral de São Paulo. In: TENÓRIO, M. C. (Org.). 1999. Pré-história da terra brasilis. Rio de Janeiro: UFRJ, pp. 197-203.

FIGUTI, L. 1992. Les sambaquis COSIPA (4200 à 1200 ans BP): étude de la subsistance chez les peuples préhistoriques de pêcheurs-ramasseurs de bivalves de la côte centrale de l’état de São Paulo, Brésil. Thèse (Doctorat) - Museum National d’Histoire Naturelle, Paris, 1992.

GASPAR, M. D. & SILVEIRA, M.I., 1999. Os pescadores-coletores-caçadores do litoral norte Brasileiro. In: TENÓRIO, M. C. (Org.). Pré-história da terra brasilis. Rio de Janeiro: UFRJ, pp. 247-256.

GASPAR, M. D.; KLOKLER, D. & BIANCHINE, G. 2013. Sambaqui de Amourins: mesmo sítio, perspectivas diferentes. Arqueologia de um sambaqui 30 anos depois. Revista del Museo de Antropología, 6: 7-20.

GASPAR, M. D. & SOUZA, S. M. de (Org.). 2013. Abordagens estratégicas em sambaquis. Erechim: Habilis.

GASPAR, M.; KLOKLER, D. & BIANCHINI, G.F. 2013. Arqueologia estratégica e o estudo de sambaqui. In: GASPAR, M. D. & SOUZA, S. M. de (Org.). Abordagens estratégicas em sambaquis. Erechim: Habilis, pp. 49-74.

GIANNINI, P. C. F. et al., 2010. Interações entre evolução sedimentar e ocupação humana pré-histórica na costa centro-sul de Santa Catarina, Brasil. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Cienc. Hum., Belém, v. 5, n. 1, p. 105-128, jan./abr.

GOMES, D. M. C., 2008. Cotidiano e poder na Amazônia pré-colonial. São Paulo: Edusp.

LOPES, P. R. C. 2016. Caracterização do modo de vida dos sambaqueiros que ocuparam o litoral paraense: Quatipuru, Pará, Brasil. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Museu Nacional do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

LOPES, P. R. C.1999. A colonização portuguesa da Ilha de Marajó: espaço e contexto arqueológico-histórico na Missão Religiosa de Joanes. Dissertação (Mestrado em Arqueologia) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

OLIVEIRA, E. R. & SILVEIRA, M. I. 2016. A cerâmica mina no estado do Pará: oleiras das águas salobras da Amazônia. In: BARRETO, C.; LIMA, H. P.; BETANCOURT, C. J. (Org.). Cerâmicas arqueológicas da Amazônia: rumo a uma nova síntese. Belém: IPHAN; Museu Paraense Emílio Goeldipp. 125-146.

PROST, M. T. & MENDES, A. C.. 2011. Dinâmica morfosedimentar dos mangues amazônicos: Guiana Francesa, Amapá e Pará. In: MENDES, A. C.; PROST, M. T. & CASTRO, E. M. R. (Org.). Ecossistemas amazônicos: dinâmicas, impactos e valorização dos recursos naturais. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi.

PUGLIESE Jr., F. A.; ZIMPEL NETO, C.A. & NEVES, E. G. 2017. Los concheros de la Amazonía y la historia indígena profunda de América del Sur. ROSTAIN, S. & BETANCOURT, C. J. (Eds.). Las Siete Maravillas de la Amazonía Precolombina. La Paz: Plural Editores, pp. 27-46.

RAYMOND, J. S. 1995. From potsherds to pots: a first step in constructing cultural context from tropical forest archaeology. STAHL, Peter W. (Ed.). Archaeology in the lowland american tropics: current anaytical methods and recent applications. Cambridge: Cambridge University Press, pp. 224-242.

RIBEIRO NETO, B. S. 2011. Ecologia de paisagem aplicada à análise ambiental da planície costeira do município de Quatipuru, Pará. Relatório técnico, Bolsa DTI-7G. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi.

RIBEIRO NETO, B. et al 2011. Mapeamento geoecológico da costa atlântica amazônica aplicado ao município de Quatipuru - Pará, Brasil. Trabalho apresentado ao 15º Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Curitiba, 2011. p. 3772-3779. Disponível em: http://www.dsr.inpe.br/sbsr2011/files/p0723.pdf. Acesso em: out. 2013.

RICE, P. M. 1987. Pottery analysis: a sourcebook. Chicago: University of Chicago Press.

RICE, P. M. 1999. On the origins of pottery. Journal of Archaeological Method and Theory 6 (1):6-54.

ROOSEVELT, A. C. 1995. Early pottery in the Amazon: twenty years of scholary obscurity. In: BANRETT, W. K. & HOOPES, J. (Ed.). The emergence of pottery: technology and innovation in ancient societies. Washington: Smithsonian Institution Press, pp. 115-131.

ROOSEVELT, A. C. HOUSLEY, R.A.; SILVEIRA, M. I.; MARANCA, S. & JOHNSON, R. 1991. Eighth millennium pottery from a prehistoric shell midden in the Brazilian amazon. Science, v. 254, p. 1621-1624.

SCHAAN, D. P. 2001. Estatuetas antropomorfas marajoara: o simbolismo de identidades de gênero em uma sociedade complexa amazônica. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Antropologia, Belém, v. 17, n. 2, p. 437-77.

SCHEEL-YBERT, R.; KLÖKLER, D.; GASPAR, M. D. & FIGUTI, L. 2006. Proposta de Amostragem Padronizada Para Macro-Vestígios Bioarqueológicos: Antracologia, Arqueobotânica, Zooarqueologia Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia/USP. v.15-16 pp.: 139-163.

SENNA, C. S. F. 2008. Análise palinológica e sucessão vegetal durante o holoceno nos ecossistemas costeiros do município de Quatipuru – Pará. Relatório de Pesquisa. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi.

SENNA, C. S. F. 2002a. Mapeamento de paisagem litorânea por sensoriamento remoto. Belém: Programa de Estudos de Ecossistemas Costeiros Amazônicos (ECOLAB). Mimeografado.

SENNA, C. S. F. 2002b. Mudanças da paleovegetação e dos paleoambientes holocênicos da planície costeira da região nordeste do estado do Pará, entre as baías de Marapanim e Maracanã. Tese (Doutorado em Ecologia) – Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Manaus.

SENNA, C. S. F.; ABSY, M. L. 2003. Paleoecologia. In: FERNANDES, M. E. B. (Org.). Os manguezais da costa norte brasileira. São Luís: Fundação Rio Bacanga, p. 29-44.

SENNA, C. S. F.; OLIVEIRA, D. S. & ABSY, M. L. 2011. Composição, abundância e diversidade de tipos polínicos em paleoambientes holocênicos do estuário do rio Marapanim, estado do Pará. In: MENDES, A. C.; PROST, M. T.; CASTRO, E. (Org.). Ecossistemas amazônicos: dinâmicas, impactos e valorização dos recursos naturais. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi, pp. 79-97.

SHEPARD, A. 1956. Ceramics for the archaeologist. Washington: Carnegie Institution of Washington. Disponível em: http://publicationsonline.carnegiescience.edu/publications_online/Ceramics_arch.pdf. Acesso em: set. 2013.

SIMÕES, M. F. 1981. Coletores-pescadores ceramistas do litoral do Salgado (Pará). Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Antropologia, Belém, n. 78, p. 1-32.

SIMÕES, M. F. 1970. Relatório de pesquisa arqueológica na Região do Salgado (Projeto Salvamento). Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi.

SILVEIRA, I. M. 1979. Quatipuru: agricultores, pescadores e coletores em uma vila amazônica. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi.

SILVEIRA, M. I., OLIVEIRA, E.R., KERN, D.C.; COSTA, M.L. & RODRIGUES, S.F.S. 2011. O sítio Jabuti, em Bragança, Pará, no cenário arqueológico do litoral amazônico. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, v.6, n.2, p. 335-345.

SINOPOLI, C. M. 1999. Levels of complexity: ceramic variability at Vijayanagara. In: SKIBO, James; FEIN MAN, Gary M. (Ed.). Pottery and people: a dynamic interaction. Salt Lake City: University of Utah Press, pp. 115‐136.

SKIBO, J. M. 1992. Pottery function: a use-alteration perspective. New York: Plenum.

SOUZA FILHO, P. W. M.; EL-ROBRINI, M.. 1996. Morfologia, processos de sedimentação e litofácies dos ambientes morfo-sedimentares da planície costeira bragantina, nordeste do Pará, Brasil. Geonomos, Belo Horizonte, v. 4, n. 1, p. 1-16, [1996]. [s.d]. Disponível em: http://www.igc.ufmg.br/geonomos/PDFs/4_2_01_16_SouzaFilho.pdf. Acesso em: out. 2012.

SOUZA FILHO, P. W. M. et al. 2009. The subsiding macrotidal barrier estuarine system of the eastern amazon coast, northern Brazil. In: DILLENBURG, Sérgio F.; HESP, Patrick A. (Org.). Geology and geomorphology of holocene coastal barriers of Brazil. New York: Springer, 2009. v. 1, p. 347-375. Disponível em: http://www.goat.fis.ufba.br/uploads/userfiles/192.pdf. Acesso em: abr. 2012.

Downloads

Publicado

2018-06-30

Como Citar

LOPES, P. R. do C.; GASPAR, M.; CAVALCANTE GOMES, D. M. O Sambaqui Porto da Mina e a cerâmica utilizada como material construtivo: um estudo de caso. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 31, n. 1, p. 52–72, 2018. DOI: 10.24885/sab.v31i1.521. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/521. Acesso em: 15 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigo