Vestígios, atividades e paisagens

tecnologia lítica em um sítio a céu aberto na Serra Leste de Carajás, Amazônia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v34i1.642

Palavras-chave:

paisagem, tecnologia lítica, Serra dos Carajás - Amazônia

Resumo

O artigo objetiva refletir sobre a tecnologia lítica na Serra Leste Carajás como uma forma de habitar a paisagem conforme a perspectiva ingoldiana. Assim, ao habitar as paisagens, as pessoas realizam diferentes tarefas, que deixam vestígios nos espaços habitados, e, consequentemente, essas atividades realizadas contribuem para a formação das paisagens nas quais essas pessoas estiveram. A partir dessa base teórica, será feita uma breve revisão bibliográfica das pesquisas sobre indústrias líticas realizadas na região de Carajás e, posteriormente, será apresentado o estudo de caso da indústria lítica do sítio Serra Leste 1, localizado na Serra Leste de Carajás, a fim de caracterizar a taskscape lítica existente nesse sítio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AIRES DA FONSECA, João. Aspectos teóricos e metodológicos no uso de modelos arqueológicos preditivos: uma abordagem na Amazônia brasileira. In: MAGALHÃES, Marcos. (Org.), Amazônia Antropogênica. Belém: Museu Paraense Emilio Goeldi, 2016, p. 177-198.

BUENO, Lucas; PEREIRA, Edithe. Indústrias líticas em sítios cerâmicos na Amazônia: um estudo do sítio Domingos, Canaã dos Carajás, Pará. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, v. 17, p.99-126, 2007.

BRUIJN, Natasja. Lithic landscapes and taskscapes: obsidian procurement, production and use in west central Sardinia, Italy. PhD thesis. Department of Archaeology. Scotland, University of Glasgow, 2006.

CALDARELLI, Solange; COSTA, Fernanda; KERN, Dirse. Assentamentos a céu aberto de caçadores-coletores datados da transição Pleistoceno final / Holoceno inicial no sudeste do Pará. Revista de Arqueologia, v. 18, p. 95-108, 2005.

DRISCOLL, Killian. Approaching the Mesolithic through taskscapes: a case study from western Ireland. In: RAJALA, Ulla; MILLS, Philip. (Ed.), Forms of Dwelling: 20 years of Taskscapes in Archaeology. Oxford & Philadelphia: Oxbow Books, 2017, p. 41-61.

DUARTE-TALIM, Deborah. (Re)visitando a Amazônia: análise tecnológica das indústrias líticas dos sítios antigos da passagem Pleistoceno-Holoceno e do Holoceno inicial. Tese Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Antropologia. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2019.

FALCI, Catarina; RODET, Maria Jacqueline. Adornos corporais em Carajás: a produção de contas líticas em uma perspectiva regional. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, Belém, v. 11, n. 2, p. 481-503, 2016.

HEIDDEGER, Martin. Ser e Tempo. Tradução de Marcia Sá Cavalcante Schuback. 15ª Edição. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2005.

HILBERT, Klaus. Organização e uso do Espaço de Grupos Caçadores-Coletores Préhistóricos na Gruta do Gavião, Serra de Carajás (PA). Porto Alegre: Relatório, PUC/Rio Grande do Sul, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, 1993.

IHDE, Don. Technology and the Lifeworld: from garden to earth. Bloomington and Indianapolis: Indiana University Press, 1990.

INGLIS, Fred. Nation and community: a landscape and its morality. The Sociological Review, v. 25, n. 3, p. 489-514, 1977.

INGOLD, Tim. The temporality of the landscape. In: INGOLD, Tim (Ed.), The perception of the environment: essays on livelihood, dwelling and skill. London: Routledge, 2000, p. 189-208.

INGOLD, Tim. Toward an Ecology of Materials. Annual Review of Anthropology, v. 41, p. 427-442, 2012.

INGOLD, Tim. Taking taskscape to task. In: RAJALA, Ulla; MILLS, Philip. (Ed.), Forms of Dwelling: 20 years of Taskscapes in Archaeology. Oxford & Philadelphia: Oxbow Books, 2017, p.16-27.

JORGE, Ana; DIAS, Maria; DAY, Peter. Plain pottery and social landscapes: reinterpreting the significance of ceramic provenance in the Neolithic. Archaeometry, v. 55, n. 5, p. 1-27, 2012.

KIPNIS, Renato; CALDARELLI, Solange; OLIVEIRA, Wesley. Contribuição para a cronologia da colonização amazônica e suas implicações teóricas. Revista de Arqueologia, v. 18, p. 81-93, 2005.

LAZZARI, Marisa. The texture of things: objects, people, and landscape in northwest Argentina (First Millennium A.D.). In: MESKELL, Lynn (Ed.), Archaeologies of materiality. Blackwell Publishing, 2005, p. 126-161.

LEROI-GOURHAN, André. O Gesto e a Palavra I: Técnica e Linguagem. Lisboa, Vila Nova de Gaia, Rio de Janeiro: Edições 70, LDA. 237p., 1964.

LEROI-GOURHAN, André. Evolução e Técnicas. I – O homem e a matéria. Lisboa: Edições 70, 1984.

LIMA, Ângelo. As cavidades, as fontes minerais e as pessoas nos platôs da Serra Norte de Carajás durante o Holoceno. Dissertação de Mestrado. Programa de Póa-Graduação em Antropologia. Belém: Universidade Federal do Pará, 2013.

MAIA, Renata. A Tecnologia lítica dos antigos grupos humanos de Carajás: sítio Capela (PA-AT-337: S11D 47/48). Dissertação Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Antropologia. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2017.

MAGALHÃES, Marcos P. Arqueologia de Carajás: a presença pré-histórica do homem na Amazônia. Companhia Vale do Rio Doce, Rio de Janeiro, 1995.

MAGALHÃES, Marcos P. A phýsis da origem: o sentido da história da Amazônia. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi, 2005.

MAGALHÃES, Marcos P. Caçadores-coletores na Amazônia: o Padrão Arqueológico Carajás. Edited by O. Agaia. www.recantodasletras.com.br/trabalhosacademicos/1631409: Recanto das Letras, 2009.

MAGALHÃES, Marcos P. A Cultura Tropical e a gênese da Amazônia Antropogênica. In: MAGALHÃES, Marcos (Org.), Amazônia Antropogênica. Belém: Museu Paraense Emilio Goeldi, 2016, p. 241-258.

MAGALHÃES, Marcos; BARBOSA, Carlos; FONSECA, João Aires; SCHMIDT, Morgan; MAIA, Renata; MENDES, Kelton; MATOS, Amauri; MAURITY, Gabriela. Carajás. Carajás. In: MAGALHÃES, M. (Org.), Amazônia antropogênica. Belém: MPEG, 2016, p. 259-308.

MAGALHÃES, Marcos; GUAPINDAIA, Vera; CHUMBRE, Gizelle; Silva Santos, Ronize; Lima, Pedro; PAIVA, Jéssica. A Cultura Neotropical e a Amazônia Antropogênica. In: MAGALHÃES, Marcos Pereira (Org.). Amazônia antropogênica. Belém: MPEG, 2016, p. 311-337.

MATOS, Amauri Assis. As indústrias líticas do sítio Gruta da Garganta da Jararaca, Carajás (PA). Dissertação Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Antropologia. Belém: Universidade Federal do Pará, 2019.

MENDES, Kelton Lima. Organização e uso do espaço interno em cavidades por grupos humanos antigos na Amazônia Central: primeiros apontamentos sobre o sítio Gruta dos Ananás, em Carajás-PA. Dissertação Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Antropologia. Belém: Universidade Federal do Pará, 2019.

MICHELAKI, Kostalena; BRAUN, Gregory; HANCOCK, Ronald. Local cay sources as histories of human-landscape interactions: a ceramic taskscape perspective. Journal of Archaeological Method, v. 22, n. 2, p.783-827, 2014.

NYLAND, Astrid. Materialized taskscapes? Mesolithic lithic procurement in Southern Norway. In: RAJALA, Ulla; MILLS, Philip. (Ed.), Forms of Dwelling: 20 years of Taskscapes in Archaeology. Oxford & Philadelphia: Oxbow Books, 2017, p. 125-150.

OLIVEIRA, Wesley. Caçador Coletores na Amazônia: eles existem. Dissertação Mestrado. Museu de Antropologia e Arqueologia. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2007.

PELEGRIN, Jacques; KARLIN, C.; Bodu, Pierre. Chaînes opératoires: un outil pour le préhistorien, CNRS. Notes et monographies techniques v. 25, p. 55-62, 1988.

PERLÈS, Catherine. Economie de la matière première et économie du débitage: deux exemples grecs. Préhistoire et Technologie lithique., J. Tixier (dir.), Journées d'Etudes, 1, Paris, 11-13 juin, Editions CNRS, Publ. URA 28 du CRA, p. 37-41, 1980.

PERLÈS, Catherine. Économie des matière premières et économie du débitage: deux conceptions opposées? In: 25 ans d’études technologiques en préhistoire: Bilan et perspectives. Actes des XI e rencontres internationales d’Archéologie et d’Histoire d’Antibes 1, 1991, p. 35-46.

POLITIS, Gustavo. Moving to produce: Nukak mobility and settlement patterns in Amazonia. World Archaeology, v. 27, p. 492–511, 1996.

POLITIS, Gustavo. Foragers of the Amazon: the last survivors or the first to succeed? In: MCEWAN, C.; BARRETO, C. NEVES, E. (Ed.), Unkown Amazon: Culture in Nature in Ancient Brazil. The British Museum Press, 2001, p. 26-49.

POLITIS, Gustavo. Nukak: ethnoarchaeology of an Amazonian people. Translated by B. Alberti. California: Left Coast Press, 2007.

RAJALA, Ulla, MILLS, Philip. Introduction: form taskscape to cerimiscene and beyond. In: RAJALA, U. & MILLS, P. (Ed.), Forms of Dwelling: 20 years of Taskscapes in Archaeology. Oxford & Philadelphia: Oxbow Books, 2017, p.16-27.

RODET, Maria Jacqueline; DUARTE TALIM, Déborah; SILVEIRA, Maura. The production of beads and lithic pendants in the Salobo river basin, Para, Brazil. In: MANSUR, E.; LIMA, M.; MAIGROT, Y. (Ed.), Traceology Today: Methodological Issues in the Old World and the Americas. Oxford: Archaeopress, BAR International Series, n. 2643, 2014, p.61-68.

ROOSEVELT, Anna C. et al. Paleoindian cave dwellers in the Amazon: the peopling of the Americas. Science New Series, v. 272, n. 5260, p. 373-384, 1996.

SANTOS, Ronize; LIMA, Pedro; COELHO-FERREIRA, Márlia; ALBERNAZ, Ana Luisa; FELICIANO, Ana Lícia; SCHEEL-YBERT, Rita. Estudos botânicos realizados em Carajás e as perspectivas para uma abordagem etnobiológica e paleoetnobotânica. In: MAGALHÃES, Marcos (Org.). Amazônia antropogênica. Belém: MPEG, 2016, p. 199-214.

SCHAAN, Denise. Programa de Arqueologia Preventiva em Serra Leste, Curionópolis, Pará. Relatório Final. Inédito, 153 p., 2016.

SCHAAN, Denise; LIMA, Ângelo. Programa de Prospecções e Educação Patrimonial em Serra Leste, Curionópolis/PA. Relatório Final. Volume II, 2012.

SCHAAN, Denise; OLIVEIRA, Wesley; ALMEIDA, Marcia. Programa de Prospecção e Educação Patrimonial em Serra Leste, Curionópolis/PA. Primeiro Relatório Parcial. PPGA / UFPA. Inédito, 116 p., 2011.

SCHAAN, Denise; SANTOS, André; OLIVEIRA, André. Programa de Prospecção e Educação Patrimonial em Serra Leste, Curionópolis/PA. Segundo Relatório Parcial. PPGA / UFPA. Inédito, 157 p., 2011.

SCHIFFER, Michell. Formation Process of the Archaeological Record. University of Utah Press, 1996..

SCHMIDT, Morgan. A Formação de Terra Preta: análise de sedimentos e solos no contexto arqueológico. In: MAGALHÃES, Marcos (Org.). Amazônia antropogênica. Belém: MPEG, pp.121-176, 2016.

SILVEIRA, Maura. Estudos sobre estratégia de subsistência de caçador-coletores pré-históricos do sítio Gruta do Gavião, Carajás/PA. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. São Paulo: Universidade de São Paulo, 1995.

SILLITOE, Paul; HARDY, Karen. Living Lithics: etchnoarchaeology in Highland Papua New Guinea. Antiquity, v. 77, p. 555 – 567, 2003.

SILVEIRA, Maura; RODRIGUES, Maria Christina; OLIVEIRA, Elisangela; LOSIER, Louis-Martin. Seqüência Cronológica de Ocupação na Área do Salobo (Pará). Revista de Arqueologia, v. 21, n. 1, p. 61-84, 2008.

TEIXEIRA, Vanderlei; BEISEGEL, João Batista. Carajás: geologia e ocupação humana. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi, 2006.

TIXIER, Jacques. INIZAN, Marie-Louise; ROCHE, Helene. Préhistoire de la pierre taillée: Terminologie et technologie. Antibes: Cercle de recherches et d'Études Préhistorique, 1980.

THOMAS, Julian. Concluding remarks: landscape, taskscape, life. In: RAJALA, Ulla; MILLS, Philip. (Ed.), Forms of Dwelling: 20 years of Taskscapes in Archaeology. Oxford & Philadelphia: Oxbow Books, 2017, p. 268-279.

Downloads

Publicado

2021-01-31

Como Citar

ARAUJO DA SILVA, T. S. Vestígios, atividades e paisagens: tecnologia lítica em um sítio a céu aberto na Serra Leste de Carajás, Amazônia. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 34, n. 1, p. 18–44, 2021. DOI: 10.24885/sab.v34i1.642. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/642. Acesso em: 16 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigo