História de vida de uma urna marajoara

reconectando contextos e significados

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v33i3.837

Palavras-chave:

coleções arqueológicas, cerâmica marajoara, história de vida de objetos

Resumo

Este artigo se propõe a recuperar informações sobre a história de vida de uma importante urna funerária marajoara que integra o acervo arqueológico do Museu Paraense Emílio Goeldi, de modo a refletir sobre ações museais que tendem a desconectar objetos de seus contextos e individualizá-los.  Ao analisarmos outros objetos encontrados no mesmo contexto arqueológico e evidenciar sua individualização e visibilização privilegiada em ações de extroversão, percebemos a construção de uma relação diferenciada entre objeto e público. A partir da análise de sua história de vida, avaliamos que uma nova proposta de alocação espacial da urna dentro da reserva técnica, junto às peças de seu contexto original de deposição, pode trazer novas possibilidades de releituras e ressignificações às coleções arqueológicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBERTI, Samuel J. Objects And The Museum. Isis, v. 96, P. 559-571, 2005.

ALMEIDA, José Echeverría. Betty J. Meggers: personalidades y dilemas en la Arqueología ecuatoriana. Quito, Ecuador: Ediciones Abya-Yala, 1996.

AMORIM, Lilian Bayma de. Cerâmica Marajoara: a comunicação do silêncio. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi, 2010.

APPADURAI, Arjun. A vida social das coisas: As mercadorias sob uma perspectiva cultural. Niterói: EdUFF. 2008.

ARAÚJO, Lucas Monteiro. Listagem final de exposições levantadas nos arquivos da Reserva Técnica de Arqueologia Mário Ferreira Simões, no Arquivo Guilherme De La Penha e na Biblioteca Domingos Soares Ferreira Penna. Documento não publicado cedido pelo autor. Curadoria da Reserva Técnica Mário Ferreira Simões/Museu Paraense Emílio Goeldi. Belém, 2019.

ARAÚJO, Lucas Monteiro. Lista de Exposições com Artefatos Marajoaras – Arqueologia e Arquivo MPEG. Documento não publicado cedido pelo autor. Curadoria da Reserva Técnica Mário Ferreira Simões/Museu Paraense Emílio Goeldi. Belém, 2019.

BARRETO, Cristiana. Meios místicos de reprodução social. Arte e estilo na cerâmica funerária da Amazônia antiga. 2009.Tese de doutorado, MAE-USP, São Paulo.

BARRETO, Cristiana. Cerâmica e complexidade social na Amazônia antiga: uma perspectiva a partir de Marajó. In.: PEREIRA, E., GUAPINDAIA, V. (orgs.). Arqueologia Amazônica. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi. 2010. p.193-212.

BARRETO, Cristiana. Corpo, comunicação e conhecimento: reflexões para a socialização da herança arqueológica na Amazônia. Revista de Arqueologia, v. 26, n.1, 112-128. 2013.

BARRETO, Cristiana. O que a cerâmica marajoara nos ensina sobre fluxo estilístico na Amazônia? In: BARRETO, Cristiana, LIMA, Helena P., BETANCOURT, Carla Jaimes (org.). Cerâmicas arqueológicas da Amazônia: rumo a uma nova síntese. Belém: IPHAN / Museu Paraense Emílio Goeldi, 2016, p. 115-124.

BARRETO, Cristiana. Do teso marajoara ao sambódromo: agência e resistência de objetos arqueológicos da Amazônia. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, vol. 15, n. 3, 2020. e20190106. doi: 10.1590/2178-2547-BGOELDI-2019-0106.

BARRETO, Cristiana; OLIVEIRA, Erêndira. Para além de potes e panelas; Cerâmica e ritual na Amzônia antiga. Habitus, v. 14, n.1, p. 51-72

BARROS, Líliam; SEVERIANO, Rafael (org.). Arqueologia Musical Amazônica. Belém: Paka-tatu, 2018.

BEZERRA DE ALMEIDA, Marcia. O Público e o Patrimônio Arqueológico: Reflexões Para a Arqueologia Pública No Brasil. Habitus, Goiânia, v.1, nº 2, jul-dez. pp. 275-295. 2003.

BEZERRA DE ALMEIDA, Marcia. Signifying Heritage In Amazon: A Public Archaeology Project at Vila de Joanes, Marajó Island, Brazil. Chungara (Arica, Impresa), v. 44, pp. 533-542. 2012.

BEZERRA DE ALMEIDA, Marcia. A urna bordada: artesanato e arqueologia na Amazônia contemporânea. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, vol. 15, n. 3, 2020. e20190124. doi: 10.1590/2178-2547-BGOELDI-2019-0124

BEZERRA, Marcia; NAJJAR, Rosana P. M. Semióforos da Riqueza: Um Ensaio Sobre o Tráfico de Objetos Arqueológicos. Habitus (UCG. Impresso), v. 7, p. 289-307. 2009.

BRAGA, Gedley. Conservação e restauro de cerâmicas arqueológicas. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, v.10, p. 323-327. 2000.

CONVERSAS COM OBJETOS: “História da Arte e Cultura Material”, Conferência/vídeo organizado pelo Instituto Goethe. Belém/PA. 2016. (6 min e 36s). Disponível em: https://youtu.be/9HKH-ZXLrvQ

GELL, Alfred. The technology of enchantment and the enchantment of technology. In: COOTE, Jeremy e SHELTON, Anthony (eds.). Anthropology, Art and Aesthetics. Oxford: Oxford University Press, p. 40-63, 1992.

GELL, Alfred. Art and Agency, an Anthropological Theory. Oxford: Oxford University Press. 1998.

HENRIQUE, Marcio C.; LINHARES, Anna M. Cerâmica marajoara e Círio de Nazaré: significação e sacralização do patrimônio cultural brasileiro. Topoi (Rio de Janeiro), v.20, n.41, 394-420. Epub August 15, 2019. https://dx.doi.org/10.1590/2237-101x02004106.

HOLTORF, Cornelius. Notes on the life history of a pot sherd. Journal of Material Culture, v.7, n.1, p. 49-71, 2002.

HOSKINS, Janet. Agency, Biography and Objects. In: TILLEY, C., KEANE, W., KÜCHLER, S., ROWLANDS, M. (Eds.) Handbook of Material Culture (pp. 74-84). London: Sage Publications Ltd. 2006.

KOPYTOFF, Igor. A Biografia Cultural Das Coisas: A Mercantilização Como Processo. In: Appadurai, Arjun. A Vida Social Das Coisas. Niterói: EdUFF. 2008.

LAMBRECHT, Helen Kaufmann; SOUZA, Daniel Maurício Viana de; RIBEIRO, Diego Lemos. Alma e biografia dos objetos como formas de avivamento de coleções em museus. Revista Contribuciones a las Ciencias Sociales. Septiembre, 2018.

LIMA, Helena Pinto. Patrimônio para quem? Por uma arqueologia sensível. Revista Habitus (UCG.Impresso), v. 17, n. 1, p. 25-38, 2019.

LIMA, Helena Pinto; BARRETO, Cristiana. Uma nova política para um antigo acervo: a redescoberta das coleções arqueológicas do Museu Goeldi. Revista de Arqueologia, n. 33 (3), 2020 (no prelo).

LIMA, Helena Pinto; BARRETO, Cristiana; FERNANDES, Camila. Museus no século 21: Ações pela salvaguarda e socialização do acervo arqueológico do Museu Goeldi. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, n. 38, p. 145-161, 2018.

LIMA, Tania Andrade. Cultura material: a dimensão concreta das relações sociais. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, Belém, v.6, n.1. p. 11-23, jan.-abr. 2011.

LINHARES, Anna M. Um grego agora nu: índios marajoara e identidade nacional brasileira. Curitiba: Ed. CRV. 2017.

MAIA, Lorena Porto; SANJAD, Thaís; LIMA, Helena Pinto. A teoria contemporânea do restauro e as cerâmicas arqueológicas da Amazônia. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi: Ciências Humanas. (no prelo).

MEGGERS, Betty J., EVANS, Clifford. Uma interpretação das culturas da Ilha de Marajó. Instituto de Antropologia e Etnologia do Pará. Sede Provisória Museu Goeldi. Belém. Publicação nº7. 1954.

MEGGERS, Betty J., EVANS, Clifford. Archeological investigations at the mouth of the Amazon. Bureau of American Ethnology, Bulletin 167. Washington D.C., Smithsonian Institutions Press, 1957.

NOBRE, Emerson. Objetos e imagens no Marajó antigo: agência e transformação na iconografia das tangas cerâmicas. (Dissertação de Mestrado), Programa de Pós-graduação em Arqueologia, Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, São Paulo. 2017.

PEREIRA, Edithe. O Museu Goeldi e a pesquisa Arqueológica: Panorama dos últimos dezessete anos. Bol. Mus. Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, Belém, v.4, n.1, p. 171-190, Jan-Abr 2009.

PROUS, André. O Brasil antes dos brasileiros. A pré-história de nosso país. Rio de Janeiro: 2ª Edição, Jorge Zahar Editor. 2007.

ROOSEVELT, Anna C. Moundbuilders of the Amazon: geophysical archaeology on Marajo island, Brazil. San Diego: Academic Press. 1991.

SANJAD, Nelson. Ciência dos potes quebrados: nação e região na arqueologia brasileira do século XIX. Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, 19 (1): 134-164. 2011.

SANJAD, Nelson. A Coruja de Minerva: O Museu Paraense entre o Império e a República (1866-1907). Brasília: Instituto Brasileiro de Museus; Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi; Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz. 2010.

SCHAAN, Denise. Into the labyrinths of Marajoara pottery: status and cultural identity in prehistoric Amazonia. In. MCEWAN, C., BARRETO, C., NEVES, E. (eds), Unknown Amazon,Culture and Nature in Ancient Brazil. Londres: The British Museum Press, pp. 108–33, 2001.

SCHAAN, Denise P. The Camutins Chiefdom. Rise and development of complex societies on Marajó Island, Brazilian Amazon. (Tese de Ph.D.), Universidade de Pittsburgh, Pittsburgh, PA, EUA. 2004.

SCHAAN, Denise P. Arqueologia, público e comodificação da herança cultural: o caso da cultura Marajoara. Revista Arqueologia Pública, São Paulo, nº 1, p. 19-30. 2006.

SCHAAN, Denise P. A Arte da Cerâmica Marajoara: encontros entre o passado e o presente. Revista Habitus (UCG, Impresso), v. 5, n.1, p. 99-117, 2008.

SCHIFFER, Michael. Archaeological Context and Systemic Context. American Antiquity, vol. 37, p.156–65, 1972.

SILVEIRA, Maura Imázio; DUTRA,Vanessa de Castro; SILVA, Camila Fernandes Alencar; FERREIRA, Regina Maria de Farias; JALLES, Cíntia. Coleções arqueológicas do Museu Paraense Emílio Goeldi. Panorama da reserva técnica e os desafios da conservação. In: CAMPOS, G.N. e GRANATO, M.(eds.). Preservação do patrimônio arqueológico: desafios e estudos de caso. Rio de Janeiro: Museu de Astronomia e Ciências Afins, 2017, p. 169-191.

SIMAS, Maria S. et al. Cada instituição, um fragmento: problemática da dispersão da coleção arqueológica marajoara Dita Acatauassu (Amazónia, Brasil). Conservar Patrimônio, v. 32, 2019.

SIMÕES, Mário F. As pesquisas arqueológicas no Museu Paraense Emílio Goeldi (1870-1981). Acta Amazônica, v. 11, n. 1, p. 149-165, 1981.

SOMBRIO, Mariana Moraes de Oliveira. Em busca pelo campo: ciências, coleções, gênero e outras histórias sobre mulheres viajantes no Brasil em meados do século XX. 2014. Tese de Doutorado, Unicamp, Campinas.

TROUFFLARD, Joanna. Abordagem da prática colecionista através de um conjunto de peças Marajoara do Museu Nacional de Etnologia em Lisboa (Portugal). Amazônica-Revista de Antropologia, v. 3, n. 1, 2011.

VAN VELTHEM, Lúcia H.; PEREIRA, Edithe; GALÚCIO, Ana Vilacy. Acervos Culturais do Museu Paraense Emílio Goeldi: 150 Anos de História e Perspectivas Futuras. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi, 2019.

Downloads

Publicado

2020-12-28

Como Citar

SOUZA LIMA, M. R. de; BARRETO, C.; LIMA, H. P. História de vida de uma urna marajoara: reconectando contextos e significados. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 33, n. 3, p. 396–418, 2020. DOI: 10.24885/sab.v33i3.837. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/837. Acesso em: 7 ago. 2022.