Desafios e estratégias para a gestão de coleções de remanescentes humanos na Amazônia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v33i3.856

Palavras-chave:

coleções arqueológicas funerárias, curadoria, arqueologia do Amapá

Resumo

Neste texto destacamos a situação das coleções formadas por remanescentes de corpos humanos recuperados de contextos arqueológicos na Amazônia. Os desafios de conservação e acondicionamento desses acervos se relacionam tanto a fatores técnicos quanto a prática arqueológica em si. Através do histórico de pesquisa dos remanescentes humanos do sítio Curiaú Mirim – I, AP, desde sua escavação até a recente revisão dos processos curatoriais, desejamos observar problemas comuns a instituições e coleções na Amazônia. As soluções e reflexões apresentadas, embora não esgotem o problema, apontam para a importância dos processos curatoriais para a gestão desses acervos. Ademais, debatemos a necessidade de profissionais especializados, de abordagens mais éticas sobre materiais sensíveis e de fortalecimento das redes de colaboração entre pessoas e instituições.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BALACHANDRAN, Sanchita. Among the dead and their possessions: a conservator’s role in the death, life, and after life of human remains and their associated objects. Journal of the American Institute for Conservation, v. 48, p. 197-219, 2009.

BALÉE, William. Historical ecology: premises and postulates. In: Balée, William (ed.) Advances in historical ecology, New York: Columbia University Pressp. 1998. p. 13-29.

BARBOSA, Carlos Augusto P. As iconografias das urnas funerárias antropomorfas Maracá (Amapá) – A coleção Gruta das Caretas. Revista de Arqueologia, v. 24, n. 2, p. 140-143, 2011.

BARRETO, Cristiana. Meios místicos de reprodução social: arte e estilo na cerâmica funerária da Amazônia Antiga. 2009. Tese (Doutorado em Arqueologia) – Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, São Paulo. 2008

BARRETO, Cristiana. A construção de um passado pré-colonial: uma breve história da arqueologia no Brasil. Revista USP, v. 44, p. 32-51, 1999-2000.

BARRETO, Cristiana; LIMA, Helena Pinto; BETANCOURT, Carla J. (ed.). Cerâmicas arqueológicas da Amazônia: rumo a uma nova síntese. Belém (Pará/Brasil): IPHAN/Museu Paraense Emílio Goeldi, 2016.

BEZERRA, Ivone; SILVA, Hilton P. Tirando do pó: uma introdução metodológica sobre o tratamento de remanescentes ósseos humanos de origem arqueológica. Revista de Arqueologia, v. 22, n. 2, p. 121-135, 2009.

BEZERRA, Marcia. Com os cacos no bolso: o colecionamento de artefatos arqueológicos na Amazônia brasileira. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, v. 38, p. 85-99, 2018.

BRUNO, Maria Cristina de Oliveira. Museus, identidades e patrimônio cultural. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, Suplemento 7, p. 145-151, 2008.

BUIKSTRA, Jane E.; BECK, Lane A. (ed.) Bioarchaeology: the contextual analysis of human remains. Burlington (Massachusetts/EUA): Academic Press, 2006.

BUIKSTRA, Jane E.; UBELAKER, Douglas H. Standards for data collection from human skeletal remains: proceedings of a seminar at the Field Museum of Natural History. Fayetteville (Arkansas/EUA): Arkansas Archaeological Survey, 1994.

CABRAL, Mariana P. E se todos fossem arqueólogos? Experiências na Terra Indígena Wajãpi. Anuário Antropológico, n. II, p. 115-132, 2014.

CASSMAN, Vicki; ODEGAARD, Nancy; POWELL, Joseph (ed.) Human remains: guide for museums and academic institutions. Lanham (Maryland/EUA): Altamira Press, 2007.

COSTA, Ádrea G. M.; et al. Contextos e práticas funerárias no Baixo Tapajós: um estudo dos sepultamentos em urna no sítio Paraná de Arau-é-pá. 2015. Dissertação (Mestrado em Arqueologia) – Universidade Federal de Sergipe, Laranjeiras, 2015.

DUDAY, Henri; COURTAUD, Patrice; CRUBEZY, Éric; SELLIER, Pascal; TILLIER, Anne-Marie. L’anthropologie “de terrain”: reconnaissance et interpretácion des gestes funeráries. Bulletins et Mémoires de la Société d'anthropologie de Paris, tomo 2, n. 3-4, p. 29-49, 1990.

FAGAN, Brian M. Archaeology’s Dirty Secret. Archaeology, v. 48, n. 4, p. 14-17, 1995.

FONSECA, Diego B. Práticas funerárias no baixo rio tapajós, Amazônia. Amazônica. Revista de Antropologia, v. 10, n. 1, p. 298-326, 2018.

FRONER, Yacy-Ara. Tópicos em conservação preventiva – 8: Reserva Técnica. Belo Horizonte (Minas Gerais/Brasil): LACICOR-EBA-UFMG, 2008.

GAMBIN JÚNIOR., Avelino. Corpo, Vida e Morte na Foz do Rio Amazonas: as estruturas funerárias do sítio Curiaú Mirim - I/AP. 2016. Dissertação (Mestrado em Arqueologia) - Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.

GAMBIM JÚNIOR, Avelino.; RODRIGUES-CARVALHO, Claudia.; SALDANHA, João. D. M.; CABRAL, Mariana. P. Adornos, contas e pingentes na foz do Rio Amazonas: estudo de caso do sítio Curiaú-Mirim I. Amazônia, Revista de Antropologia, v. 10, n. 2, p. 638-673, 2018.

GOELDI, Emílio A. Excavações archeologicas em 1895. 1ª parte: As cavernas funerarias Atificiaes dos indios hoje extinctos no rio Cunany (Goanany) e sua ceramica. Série Memórias do Museu Goeldi. Museu Paraense Emílio Goeldi, p .1-43, 1905

GORDON, Clarice C.; BUIKSTRA, Jane E. Soil pH, boné preservation, and sampling bias at mortuary sites. American Antiquity, v. 46, n. 3, 566-571, 1981.

GUICHÓN, Ricardo. Construyendo preguntas em el caminho. Comunidades originarias y científicas. Revista del Museo de Antropología, v. 9, n. 2, p. 27-36, 2016.

GUAPINDAIA, Vera. Práticas Funerárias Pré-históricas na Amazônia: as Urnas Maracá. Margens/Márgenes, v. 5, p. 36-49, 2004.

HECKENBERGER, Michael J.; NEVES, Eduardo G.; PETERSEN, James B. De onde surgem os modelos? As origens e expansões Tupi na Amazônia Central. Revista de Antropologia, v. 41, n. 1, p. 69-96, 1998.

HILBERT, Peter P. Contribuição a arqueologia do Amapá: Fase Aristé. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi (Antropologia), v. 1, p. 1-37, 1957.

KERSEL, Morag M. Storage wars: solving the archaeological curation crisis? Journal of Eastern Mediterranean Archaeology and Heritage Studies, v. 3, n. 1, p. 42-54, 2015.

KRUTA, Venceslas. Archéologie et numismatique: la phase initiale du monnayage celtique. Études celtiques, v. 19, n. 1, p. 69-82, 1982.

LESSA, Andrea. Conceitos e métodos em curadoria de coleções osteológicas humanas. Arquivos do Museu Nacional, v. 68, n. 1-2, p. 3-16, 2011.

LESSA, Andrea. Do pó que viemos ao pó que retornaremos: pontuando reflexões sobre preservação de remanescentes esqueléticos arqueológicos humanos. In: Campos, G. N.; Granato, M. (org.) Preservação do Patrimônio arqueológico: desafios e estudos de caso. Rio de Janeiro: Museu de Astronomia e Ciências Afins, 2017. p. 233-252.

McGOWAN, Gary S.; LaROCHE, Cheryl J. The ethical dilema facing conservation: care and treatment of human skeletal remains and mortuary objects. Journal of American Institute for Conservation, v. 35, n. 2, p. 109-121, 1996.

MEGGERS, Betty J.; EVANS, Cliffrod. Archaeological investigation at the mouth of the Amazon. Smithsonian Institution Bulletin, n. 167, p. 1-664, 1957.

MEISTER, Nicolette B. A guide to the preventive care of archaeological collections. Advances in Archaeological Practice, v. 7, n. 3, p. 267-273, 2019.

MENDONÇA DE SOUZA, Sheila. M. F. O silêncio bioarqueológico da Amazônia: entre o mito da diluição demográfica e o da diluição biológica na floresta tropical. In: Pereira, Edith; Guapindaia, Vera. (org.) Arqueologia Amazônica 1. Belém: MPEG, IPHAN, SECULT, 2010. p. 425-445.

MENDONÇA DE SOUZA, Sheila M. F.; RODRIGUES-CARVALHO, Cláudia. Ossos no chão: para uma abordagem dos remanescentes humanos em campo. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi (Ciências Humanas), v. 8, n. 3, p. 551-566, 2013.

MENDONÇA DE SOUZA, Sheila. M. F.; GUAPINDAIA, Vera; RODRIGUES-CARVALHO, Cláudia. A necrópole Maracá e os problemas interpretativos em um cemitério sem enterramentos. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi (Antropologia), v. 17, n. 2, p. 479-520, 2001.

NEVES, Eduardo Góes. Não existe neolítico ao sul do equador: as primeiras cerâmicas da Amazônia e sua falta de relação com a agricultura. In: Barreto, Cristiana; Lima, Helena P. Lima; Betancourt, J.(org.). Cerâmicas Arqueológicas da Amazônia: Rumo a uma nova síntese. Belém: IPHAN/Museu Paraense Emilio Goeldi, 2016. p. 32-39.

NEVES, Walter A. Uma proposta pragmática para cura e recuperação de esqueletos humanos de origem arqueológica. Boletim do Museu Paraense de História Natural e Ethnographia Emílio Goeldi, v. 4, n. 1, p. 3-26, 1988.

NICHOLAS, George P. Native peoples and archaeology. Encyclopedia of archaeology, v. 3, p. 1660-1669, 2008.

PEARCE, Susan M. Archaeological curatorship. Smithsonian Institution Press, 1990.

PEREIRA, Daiane. Perspectivas da curadoria arqueológica: o caso do Laboratório de Arqueologia Peter Hilbert. 2012. Monografia (Especialização em Patrimônio Arqueológico da Amazônia), Universidade do estado do Amapá, Macapá. 2012.

PEREIRA, Daiane; CABRAL, Mariana P. Guia de boas práticas do laboratório de arqueologia Peter Hilbert. Macapá (Amapá/Brasil): NUPAR/IEPA, 2010.

RAPP PY-DANIEL, Anne. Arqueologia da morte no sítio Hatahara durante a fase Paredão. 2009 Dissertação (Mestrado em Arqueologia) – Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, São Paulo. 2009. doi: 10.11606/D.71.2009.tde-01022010-104205

RAPP PY-DANIEL, Anne. Os contextos funerários na Arqueologia da Calha do Rio Amazonas. 2015. Tese (Doutorado em Arqueologia) – Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, São Paulo. 2015. doi: 10.11606/T.71.2015.tde-03062015-152650

RAPP PY-DANIEL, Anne. Práticas funerárias na Amazônia: a morte, a diversidade e os locais de enterramento. Habitus, v. 14, n. 1, p. 87-106, 2016.

ROCHA, Bruna. C.; JÁCOME, Camila.; STUCHI, Francisco. F.; MONGELÓ, Guilherme. Z.; VALLE, Raoni. Arqueologia pelas gentes: um manifesto. Constatações e posicionamentos críticos sobre a arqueologia brasileira. Revista de Arqueologia, v. 26, n. 1, p. 130-140, 2013.

SALDANHA, João D. M.; CABRAL, Mariana. P. Projeto de Resgate Arqueológico na Cerâmica João de Barro, Macapá, AP – Relatório de Pesquisa. Relatório Final de Campo. Macapá, Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do estado do Amapá, 2012.

SALDANHA, João D. M.; CABRAL, Mariana. P. O estuário do Amazonas revisitado: recentes pesquisas junto ao canal norte. Arquivos do Museu de História Natural e Jardim Botânico, v. 25, n. 1, p. 194-235, 2016.

SALDANHA, João D. M.; CABRAL, Mariana P.; NAZARÉ, Alan S.; LIMA, Jelly S.; SILVA, Michel B. F. da Os complexos cerâmicos do Amapá: proposta de uma nova sistematização. In: Barreto, Cristiana; Lima, Helena P. Lima; Betancourt, J.(org.). Cerâmicas Arqueológicas da Amazônia: Rumo a uma nova síntese. Belém: IPHAN/Museu Paraense Emilio Goeldi, 2016.

SCHAAN, Denise P. Uma janela para a história pré-colonial da Amazônia: olhando além - e apesar - das fases e tradições. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi (Ciências Humanas), v. 2, n. 1, p. 77-89, 2007.

SCHEUER, Louise; BLACK, Sue. Developmental juvenile osteology. San Diego (California/EUA): Elsevier Academic Press, 2000.

SILVA, S. F. S. M; GHETTI, N. C.; SANTOS, C. R. B. Ensaio sobre preservação de materiais arqueológicos de natureza orgânica da RETEC-ARq da UFPE: remanescentes ósseos humanos. In: Campos, Guadalupe do Nascimento; Granato, Marcus (org.) Anais do IV Seminário de Preservação de Patrimônio Arqueológico. Rio de Janeiro: MAST, 2016. pp. 402-457.

SILVEIRA, Maura. I.; de CASTRO Dutra, Vanessa; SILVA, Camila F. A.; de FARIAS Ferreira, Regina M., & JALLES, Cíntia. Coleções arqueológicas do Museu Paraense Emílio Goeldi-panorama da reserva técnica e os desafios da conservação. In: Campos, G. N.; Granato, M. (org.) Preservação do Patrimônio arqueológico: desafios e estudos de caso. Rio de Janeiro: Museu de Astronomia e Ciências Afins, 2017. p. 169-191.

SIMÕES, Mário F. Programa Nacional de Pesquisas Arqueológicas na Bacia Amazônica. Acta Amazônica, v. 7, n. 3, p. 297-300, 1977.

THE ROLE OF THE ARCHAEOLOGICAL EXCAVATION IN THE 21ST CENTURY. Archaeological Dialogues, v. 18, n. 1, p. 1-3, 2011. doi: 10.1017/S1380203811000031.

VOSS, Bárbara L. Curation as research. A case study in orphaned and underreported archaeological collections. Archaeological Dialogues, v. 19, n. 2, p. 145-169, 2012. doi: 10.1017/S1380203812000219

WESOLOWSKI, Verônica. 2014. The dance of the bones: concern and thoughts about curatorial care of skeletal series. The 83rd Annual Meeting of the American Association of Physical Anthropologists, Calgary, Canada.

WESOLOWSKI, Verônica. 2019. Coming back to light: curatorial recovery of old Human Remains Collections. Paleopathology Association 8th Meeting in South America, São Paulo, Brazil.

Sites consultados

https://www.salsa-tipiti.org/pt/news/munduruku-reclaim-funerary-urns/.

Acessado em: 22/02/2020.

Downloads

Publicado

2020-12-28

Como Citar

STABILE, R. A.; RAPP PY-DANIEL, A.; SANTOS COUTINHO, A. dos; COSTA LEITE, L. F.; PEREIRA, D. Desafios e estratégias para a gestão de coleções de remanescentes humanos na Amazônia. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 33, n. 3, p. 257–278, 2020. DOI: 10.24885/sab.v33i3.856. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/856. Acesso em: 7 ago. 2022.