Paisagem e suas interfaces em pesquisas sobre arte rupestre

Um estudo de caso em Serra Negra, alto vale do Araçuaí, Minas Gerais, Brasil

Autores

Palavras-chave:

arqueologia, paisagem, arte rupestre

Resumo

Este artigo discute possibilidades de uso do conceito de paisagem (culturalista) em estudos sobre conjuntos rupestres. Inicialmente, dedica-se à discussão teórica sobre a paisagem, entendida enquanto uma produção humana sincrônica e diacrônica, composta por múltiplos compartimentos e camadas de trajetórias históricas a partir das quais as pessoas dão sentido à vida. Para tanto, são apresentadas pesquisas sobre arte rupestre e paisagem, desenvolvidas por meio da abordagem simbólico-culturalista, mas com diferentes perspectivas teórico-metodológicas. Por fim, concentra-se nos 04 estudos de sítios de arte rupestre localizados em Serra Negra (MG). O objetivo deste estudo é discutir os dados dessas pesquisas, ressaltando a diversidade teórico-metodológica de análises que consideram tais vestígios arqueológicos apoiados ao conceito de paisagem. Concluímos com a discussão que tanto a arte rupestre quanto a paisagem são marcas remanescentes de uma mesma construção humana que é sempre simbólica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wellington dos Santos Greco, Laboratório de Arqueologia e Estudo da Paisagem (UFVJM)

Bacharel em História (UFOP). Bacharel e Mestre em Ciências Humanas pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM

Arkley Marques Bandeira, Universidade Federal do Maranhão

Docente Adjunto do Ensino do Departamento de Oceanografia e Limnologia da Universidade Federal do Maranhão.

Marcia Arcuri Suñer, Universidade Federal de Ouro Preto

Docente Adjunta do Departamento de Museologia da Escola de Direito, Turismo e Museologia da Universidade Federal de Ouro Preto (DEMUL/EDTM/UFOP).

Referências

ACEVEDO, Agustín. Arte, composición visual y paisaje: Un estudio de la producción rupestre de los grupos cazadores-recolectores de la región Extremo Sur del Macizo del Deseado (Provincia de Santa Cruz, Argentina). Tese (Doutorado em Arqueologia) - Facultad de Filosofía y Letras, Universidad de Buenos Aires, Buenos Aires, 2017. Disponível em: https://ri.conicet.gov.ar/handle/11336/83874 Acesso em: 15 de fevereiro de 2021.

ACEVEDO, Agustín; FIORE, Danae; FERRARI, Alejandro A. Rock art landscapes. A systematic study of images, topographies and visibility in south-central Patagonia (Argentina). Journal of Anthropological Archaeology, v. 56, 2019. URL: https://doi.org/10.1016/j.jaa.2019.101101 Acesso em: 15 de fevereiro de 2021.

ALCÂNTARA E SILVA, Henrique. Serras e caminhos na compreensão dos sítios com grafismos rupestres numa perspectiva de fluxos e paisagens: Monjolos e Diamantina - MG. Dissertação (Mestrado em Antropologia) - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2018.

BERQUE, Augustin. Paysage-empreinte, paysage-matrice: éléments de problématique pour une géographie culturelle. Espace géographique, v. 13, n. 1, p. 33-34, 1984. Disponíel em: https://doi.org/10.3406/spgeo.1984.3890 . Acesso em: 15 de fevereiro de 2021.

BERQUE, Augustin. Milieu, trajet de paysage et déterminisme géographique. Espace géographique, tome 14, n. 2, p. 99-104, 1985. URL: http://www.persee.fr/doc/spgeo_0046-2497_1985_num_14_2_4009. Acesso em: 15 de fevereiro de 2021.

COLLOT, Michel. Pontos de vista sobre a percepção das paisagens. Tradução de Denise Grimm. Literatura e Paisagem em Diálogo. Rio de Janeiro: Edições Makunaima, 2012 [1995]. Disponível em: http://www.academia.edu/download/32109386/literatura_epaisagem.pdf#page=12. Acesso em: 15 de fevereiro de 2021.

COLLOT, Michel. Poesia, Paisagem e Sensação. Revista de Letras, v. 1, n. 34, 2015. Disponível em: http://www.academia.edu/download/32109386/literatura_epaisagem.pdf#page=12. Acesso em: 15 de fevereiro de 2021.

COSGROVE, Denis. Social formation and symbolic landscape. London: Croom Helm, 1984.

COSGROVE, Denis. Landscape and Landschaft. Bulletin of the GHI Washington, n.35, p. 56-71, 2004. Disponível em: https://perspectivia.net/servlets/MCRFileNodeServlet/ploneimport3_derivate_00003034/cosgrove_landscape.pdf Acesso em: 15 de fevereiro de 2021.

COSGROVE, Denis. Modernity, Community and the Landscape Idea. Journal of Material Culture, v. 11, n. 49, p. 49-66, 2006. Disponível em: https://doi.org/10.1177/1359183506062992 Acesso em: 15 de fevereiro de 2021.

COSGROVE, Denis. A geografia está em toda parte: cultura e simbolismo nas paisagens humanas. In: CORRÊA, Roberto Lobato; ROSENDAHL, Zeny. (orgs). Geografia Cultural – uma antologia. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2012. p. 219-238.

COSGROVE, Denis. Em direção a uma Geografia Cultural Radical: problemas da teoria. In: In: CORRÊA, Roberto Lobato; ROSENDAHL, Zeny (orgs). Introdução à Geografia Cultural. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2014. p.103-134.

FAGUNDES, Marcelo. Arqueologia em Serra Negra: uma síntese interdisciplinar das ocupações humanas antes da conquista nas paisagens do Alto Vale do Araçuaí, Minas Gerais. In: BONADIMAN, Heron et al. Diálogos Interdisciplinares no Vale do Jequitinhonha. Curitiba: CRV, 2019. p. 221-247.

FAGUNDES, Marcelo; ARCURI-SUÑER, Marcia M.; GONTIJO, Bernardo M.; VASCONCELOS, Alessandra M.C..; BUENO, Flávia B.B..; MAFRA, Luís Fernando R.O.. As estruturas arqueológicas em Cerro Ventarrón – marcos sociogeográficos, lugares e paisagem durante o Formativo Inicial, Lambayeque, Peru. Revista Espinhaço, 8 (2), p. 13-24, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.5281/zenodo.3583290. Acesso em: 15 de fevereiro de 2021.

GAMBASSI Jr., Roberto P. Arte rupestre e a construção da paisagem regional: um estudo dos sítios Cabeças, Alto Araçuaí, Minas Gerais. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) – Faculdade Interdisciplinar em Humanidades, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, Diamantina, 2020.

GRECO, Wellington S. Espelho de pedra: a estrutura emergente da arte rupestre nas matas do alto Araçuaí (Felício dos Santos, MG). Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) – Faculdade Interdisciplinar em Humanidades, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, Diamantina, 2019. Disponível em: http://acervo.ufvjm.edu.br/jspui/handle/1/2283 Acesso em: 15 de fevereiro de 2021.

INGOLD, Tim. The temporality of the landscape. World Archaeology, 25 (2), p. 152–174, 2010 [1993]. Disponível em: https://doi:10.1080/00438243.1993.9980235. Acesso em: 15 de fevereiro de 2021.

INGOLD, Tim. Estar vivo: ensaios sobre o movimento, conhecimento e descrição. Tradução de Fábio Creder. Petrópolis: Vozes, 2015.

LEITE, Valdinêy. A. Flores e pinturas na paisagem: análise espacial e intra-sítio em Campo das Flores. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/BUOS-ARLGWL . Acesso em: 15 de fevereiro de 2021.

PALHARES, Danilo. Pintando a paisagem: uma análise da arte rupestre e do comportamento humano no Complexo Arqueológico Três Fronteiras, Minas Gerais. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) – Faculdade Interdisciplinar em Humanidades, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, Diamantina, 2018.

PROUS, André. Arqueologia Brasileira. Brasília: Editora UnB, 1992.

SAUER, Carl O. A Morfologia da Paisagem. In: CORRÊA, Roberto Lobato; ROSENDAHL, Zeny (orgs). Paisagem, tempo e cultura. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2004. p. 12 - 74.

SMITH, A. T. Introduction: Surveying the political landscape. The political landscape. Constellations of authority in Early complex societies. University of California Press, Berkeley, p. 1-29, 2003.

TILLEY, Christopher; CAMERON-DAUM, K. An Anthropology of Landscape: The Extraordinary in the Ordinary. Londres: UCL Press, University College London, 2017.

TOBIAS Jr, Rogerio. A arte rupestre de Jequitaí entre práticas gráficas “padronizadas” e suas manifestações locais: Interseções estilísticas no sertão mineiro. Dissertação (Mestrado em Antropologia) - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/338868234_A_arte_rupestre_de_Jequitai_entre_praticas_graficas_padronizadas_e_suas_manifestacoes_locais_Intersecoes_estilisticas_no_sertao_mineiro/link/5e30aaaf299bf1cdb9f943a2/download Acesso em: 15 de fevereiro de 2021.

TRONCOSO, Andres. M. Espacio y Poder. Boletín de la Sociedad Chilena de Arqueología, n. 32, p. 10-23, 2001. Disponível em: http://repositorio.uchile.cl/bitstream/handle/2250/121988/Troncoso_RN_002_2001.pdf?sequence=1 Acesso em: 15 de fevereiro de 2021.

ZEDEÑO, Maria N.; BOWSER, Brenda J. The Archaeology of Meaningful Places. In: ZEDEÑO, Maria N.; BOWSER, Brenda J. (Eds.). Archaeology of Meaningful Places. Salt Lake City: University of Utah Press, 2009, p. 1-14.

Downloads

Publicado

2021-05-30

Como Citar

FAGUNDES, M.; DOS SANTOS GRECO, W.; MARQUES BANDEIRA, A.; ARCURI SUÑER, M. Paisagem e suas interfaces em pesquisas sobre arte rupestre : Um estudo de caso em Serra Negra, alto vale do Araçuaí, Minas Gerais, Brasil. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 34, n. 2, p. 74–103, 2021. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/904. Acesso em: 19 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigo