Para além da monumentalidade

o papel social da Arqueologia da Arquitetura no reconhecimento e valorização de narrativas e patrimônios invisibilizados

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v35i2.918

Palavras-chave:

Arqueologia da Arquitetura, Patrimônio Edificado, Pelotas - RS

Resumo

Este texto propõe debater sobre os processos de seleção e sobre as políticas de preservação de Bens Culturais em Pelotas-RS. Uma análise sobre o reconhecimento do conjunto histórico, que buscou entender as articulações municipais e federais na proposta de preservação, evidenciou uma predileção à valorização da arquitetura eclética dos séculos XIX e XX como Bens Culturais representativos da história local. A partir de uma aproximação entre a perspectiva crítica dos estudos sobre patrimônio e a Arqueologia da Arquitetura, procuramos identificar tratativas contradiscursivas sobre o patrimônio edificado local, evidenciando o papel social do fazer arqueológico no reconhecimento de patrimônios invisibilizados. Como exemplos serão abordados o Passo do Negros e a zona industrial do Porto de Pelotas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALFONSO, Louise P.; RIETH, Flavia. Narrativas de Pelotas e Pelotas Antiga: a cidade enquanto Bem Cultural. In: SCHIAVON, Carmem B.; PELEGRINI, Sandra de Cássia (org.). Patrimônios Plurais: Iniciativas e desafios. 1. ed. Rio Grande: Editora da FURG, 2016. p. 131–147.

ATENCIO, Lautaro N. Tráfico de metales en el área centro-sur andina: factos y expectativas. Cuadernos del Instituto Nacional de Antropología y Pensamiento Latinoamericano, v. 12, n. 1, p. 73-105, 1987. Disponível em: https://revistas.inapl.gob.ar/index.php/cuadernos/article/view/414

BRASIL. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Ministério da Cultura. Parecer da relatora do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural ao processo de tombamento n° 1.512-T-03. Conjunto Histórico de Pelotas. 2018.

CALDARELLI, Solange B. Pesquisa Arqueológica em projetos de infraestrutura: a opção pela preservação. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico nacional – Patrimônio Arqueológico: o desafio da preservação. n. 33, p. 153-173, 2007. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/uploads/publicacao/revista_33compressed.pdf

ESSINGER, Cintia V. Entre a fábrica e a rua: a Companhia Fiação e Tecidos e a criação de um espaço operário. Bairro da Várzea, Pelotas, RS (1953 – 1974). Dissertação (Mestrado em Memória e Patrimônio Social) – Instituto de Ciências Humanas, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2009. Disponível em: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/123456789/970

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: Nascimento da prisão. 42ª ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2014.

GEEUR. Dossiê pela Patrimonialização do Passo dos Negros. Universidade Federal de Pelotas. Pelotas, 2019.

GRALHA, Julio C. M. Mundo Antigo na Cidade Rio de Janeiro: Arquitetura e Iconografia como Legitimidade nas Relações de Poder. In: Simpósio Nacional de História – ANPUH, XXVI., 2011, São Paulo. Anais eletrônicos [...]. São Paulo: ANPUH, 2011. Disponível em: http://www.snh2011.anpuh.org/resources/anais/14/1300214921_ARQUIVO_MundoAntigonaCidadedoRiodeJaneiro.pdf

GUTIERREZ, Ester J. B. Negros, Charqueadas e Olarias: um estudo sobre o espaço pelotense. Pelotas: Ed. UFPel, 2001.

GUTIERREZ, Ester J. B. Barro e sangue: mão-de-obra, arquitetura e urbanismo em Pelotas 1777-1888. Tese (Doutorado em História do Brasil) – Escola de Humanidades, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1999.

HERÉDIA, Vania B. M.; TRONCA, Bruna. Patrimônio Industrial e Turismo: a vila operária de Galópolis. ROSA DOS VENTOS, v. 8, p. 343-358, 2016. doi: http://dx.doi.org/10.18226/21789061.v8i3p343

IPHAN. Programa monumenta: Porto Alegre. Organização de Briane Bicca. Brasília: IPHAN, 2010.

IPHAN. Pelotas (RS) recebe certificado de Patrimônio Cultural. IPHAN, 30 mai. 2018. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/rs/noticias/detalhes/4675/pelotas-rs-recebe-certificado-de-patrimonio-cultural#:~:text=Os%20dois%20instrumentos%20de%20prote%C3%A7%C3%A3o,Conselho%20Consultivo%20do%20Patrim%C3%B4nio%20Cultural.

JOYCE, Rosemary A. Solid histories for fragile nations: archaeology as cultural patrimony. In: MESKELL, Lynn; PELS, Peter. (org.). Embedding ethics. London: Bloomsbury Academic, 2005. p. 253-274. doi: http://dx.doi.org/10.5040/9781474214759.ch-011

KOHL, Philip L. Making the Past Profitable in an Age of Globalization and National Ownership: Contradictions and Considerations. In: ROWAN, Yorke M.; BARAM, Uzi. (org.) Marketing heritage: Archaeology and the consumption of the past. Walnut Creek: Altamira Press, 2004. p. 295-301.

KÜHL, Beatriz M. História e Ética na Conservação e na Restauração de Monumentos Históricos. Revista CPC, São Paulo, v.1, n.1, p. 16-40, 2006.

LITTLE, Barbara J. What can archaeology do for justice, peace, Community and the Earth? Historical Archaeology, v. 43, n.4, p.115-119, 2009. Disponível em: www.jstor.org/stable/25617585

LUMBRERAS, Luis G. La arqueología como ciencia social. Lima: Ediciones Histar, 1974.

MCGUIRE, Randall H. Contested Pasts: Archaeology and Native Americans. In: MESKEL, Lynn; PREUCEL, Robert W. A companion to socila archaeology. Oxford: Backwell Publishing, 2007.

MAESTRI, Mário. Breve história do Rio Grande do Sul: da Pré-História aos dias atuais. Passo Fundo: Editora UPF, 2010.

MATHIAS, Simone Fernandes. Passo dos Negros: entre narrativas, etnografias e conflitos. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Instituto de Ciências Humanas, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2020. Disponível em: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/6907

MORSE, Michael A. Seeking an Ethical Balance in Archaeological Practice in Ecuador. Journal of Anthropological Research, v.50, n.2, p. 169-182, 1994. Disponível em: http://www.jstor.org/stable/3630457

MORTENSEN, Lena. (2007) Working Borders: Contextualizing Copán Archaeology. Archaeologies: Journal of the World Archaeological Congress, v.3, n.2, p. 132-152, 2007.

POBLETE, Daniella J. A Proposal for Approaching the Archaeological Heritage of the Belém Community (Region of Tarapacá, Chile). Chungara, Revista de Antropologia Chilena. v. 35, n. 2, p. 327-335, 2003.

PELOTAS. Prefeitura Municipal. LEI Nº 5.502, DE 11 DE SETEMBRO DE 2008. Institui o Plano Diretor Municipal e estabelece as diretrizes e proposições de ordenamento e desenvolvimento territorial no Município de Pelotas. Pelotas: 2008.

PELOTAS. Prefeitura Municipal. LEI Nº 6.636 DE 03 DE OUTUBRO DE 2018. Institui o Plano Diretor Municipal e estabelece as diretrizes e proposições de ordenamento e desenvolvimento territorial no Município de Pelotas. Pelotas: 2018.

RELATÓRIOS PROJETO DE EXTENSÃO NARRATIVAS DO PASSO DOS NEGROS: EXERCÍCIO DE ETNOGRAFIA COLETIVA PARA ANTROPOLÓGOS/AS EM FORMAÇÃO (2016). Pelotas: UFPel, 2016.

ROCHA, Marcelo G. da R. Arqueologia da Escravidão e Patrimônio Cultural no Passo dos Negros (Pelotas, Brasil). Dissertação (Mestrado em Memória Social e Patrimônio Cultural) - Instituto de Ciências Humanas, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2014. Disponível em: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/5390

RODRÍGUEZ, Mauricio U.; ALFARO, Leonor A. Archaeology, Cultural Heritage and Native Populations: Reflections from the Atacama Desert. Chungara, Revista de Antropologia Chilena. v. 35, n. 2, p. 295-304, 2003.

ROSA, Rita de C. F. O graffiti e a pixação como atrativo turístico para o bairro Porto em Pelotas: O olhar dos/as moradores/as e frequentadores/as. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Turismo) - Faculdade de Administração e Turismo, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2018.

SÁ BRITTO, Natalia D. S. (2016) Da cidade industrial segregada à cidade pós-industrial fragmentada: reflexões sobre a (re)produção do espaço urbano de Pelotas-RS. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), v. 20, n. 3, p. 585-602, 2016. doi: https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2016.89283

SAID, Edward. O orientalismo: o Oriente como invenção do Ocidente. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

SCHLEE, Andrey R. O ecletismo na arquitetura pelotense até as décadas de 30 e 40. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) – Departamento de Arquitetura, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1993.

SILVEIRA, Flávio L. Abreu da; BEZERRA, Marcia. Educação Patrimonial: Perspectivas e Dilemas. In: LIMA FILHO, Manuel F.; ECKERT, Cornelia; BELTRÃO, Jane F.(org.). Antropologia e patrimônio cultural: diálogos e desafios contemporâneos Blumenau: Nova Letra, 2007. p. 81-97.

SILVEIRA, Melina M. da. O complexo industrial do engenho Pedro Osório a partir da arqueologia da arquitetura. In: ENCONTRO DE PESQUISAS ARQUEOLÓGICAS INVISIBILIZADAS, 1, 2019, Pelotas. Caderno de Resumos [...]. Rio Grande: ARCHE, 2020a. p. 64-66. Disponível em: https://arche.furg.br/anais-de-eventos/11-caderno-de-resumos-do-i-epai

SILVEIRA, Melina M. da. Territorialidades em disputa: normativas e narrativas do Passo dos Negros em Pelotas, RS. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2020b.

SOUZA, Newan A. O. de. Onde ficam as bacabeiras na cidade das bacabas? Arqueologia das paisagens e seus palimpsestos em uma capital no meio do mundo. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Arqueologia) – Instituto de Ciências Humanas e da Informação, Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, 2019.

THIESEN, Beatriz V. Arqueologia industrial ou arqueologia da industrialização? Mais que uma questão de abrangência. Revista Eletrônica do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, v.4, p. 1-4, 2006. Disponível em: http://www.labjor.unicamp.br/patrimonio/materia.php?id=161

ZARANKIN, Andrés. Paredes que Domesticam: Arqueologia da Arquitetura Escolar Capitalista. Tese (Doutorado em História Social) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2001. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/280101

ZARANKIN, Andrés; FUNARI, Pedro P. A. Arqueología de la Arquitectura, uma mirada desde América del Sur. Arqueología de la Arquitectura, n. 17, p. e103, 2020. doi: https://doi.org/10.3989/arq.arqt.2020.011

Downloads

Publicado

2022-06-01

Como Citar

SILVEIRA, M. M. da; ALFONSO, L. P.; SOUZA, N. A. O. de . Para além da monumentalidade: o papel social da Arqueologia da Arquitetura no reconhecimento e valorização de narrativas e patrimônios invisibilizados. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 35, n. 2, p. 181–207, 2022. DOI: 10.24885/sab.v35i2.918. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/918. Acesso em: 7 out. 2022.

Edição

Seção

Artigo