Pelos caminhos das infâncias paulistanas entre os séculos XIX e XX: A cultura material associada às crianças do sítio arqueológico Praça das Artes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v36i1.948

Palavras-chave:

Crianças, Cultura material, Sítio arqueológico Praça das Artes

Resumo

Este texto analisou a cultura material associada às crianças identificada no sítio arqueológico Praça das Artes, localizado no atual Centro Histórico da cidade de São Paulo. Buscou-se, em fontes escritas, delinear as realidades sociais das crianças que viveram naquele espaço urbano durante o século XIX e primeiras décadas do século XX. A partir da memória literária No Tempo de Dantes, de Maria Paes de Barros (1998), procurou-se refletir acerca das vivências das crianças sob a perspectiva das próprias crianças.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Alves, Universidade de São Paulo. Museu de Arqueologia e Etnologia

Doutoranda em Arqueologia no Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo. Bolsista Capes.

Referências

AZEVEDO, Aroldo de. São Paulo, cidade trimilionária. In: AZEVEDO, A. A cidade de São Paulo. Estudos de geografia urbana, v. I. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1958, p. 5-40.

BAGNIEWSKI, Alexandre. B.; MANGUEIRA, Renato. S. Biografia dos cachimbos: estudo de caso na Praça das Artes - Vale do Anhangabaú - empreendimento do Consórcio Construcap/Triunfo, projeto de pesquisa da Scientia Consultoria Científica. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, Suplemento 11, p. 119-124, 2011.

BARROS, Maria Paes de. No tempo de dantes. São Paulo: Paz E Terra, 1998.

BENJAMIN, Walter. Velhos brinquedos. Sobre a exposição de brinquedos no Märkische Museum (1928). In: BENJAMIN, W. Reflexões sobre a criança, o brinquedo e a educação. São Paulo: Editora 34 Ltda, 2017, p. 81-87.

CÓDIGO DE INSTRUÇÃO PÚBLICA DA PROVÍNCIA DE SÃO PAULO. São Paulo: Typographia Dous de Dezembro, 1857.

COHN, Clarice. Noções sociais de infância e desenvolvimento infantil. Cadernos de Campo, n. 9, p. 13-26, 2001.

COLEMAN, Dorothy S.; COLEMAN, Elizabeth A.; COLEMAN, Evelyn J. The collector’s encyclopedia of dolls. New York: General Publishing Company Limited, 1968.

DAVIES, Peter. Writing slates and schooling. Australasian Historical Archaeology, n. 23, p. 63-69, 2005.

FLETCHER, James C.; KIDDER, D. P. Brazil and the Brazilians. Boston: Little, Brow, and Company, 1879.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. Nascimento da prisão. Petrópolis: Editora Vozes, 1999.

FORMANEK-BRUNELL, Miriam. Made to play house. Dolls and the commercialization of American girlhood, 1830-1930. Baltimore and London: The Johns Hopkins University Press, 1998.

FREITAS, Affonso Antonio de. Tradições e reminiscências paulistanas. São Paulo: Edição da Revista do Brasil. Monteiro Lobato & Cia, 1921.

GOREN, Charles Henry. Goren’s Hoyle encyclopedia of games. With official rules and pointers on play including the latest laws of contract bridge. New York: Greystone Press, 1961.

IRMÃO, Marques J. Almanak administrativo, mercantil e industrial da província de São Paulo para o anno de 1857. São Paulo: Typographia Imparcial, 1856.

JOY, Jody; GUNN, Imogen.; HARKNETT, Sara-Jane.; WILKINSON, Eleanor. Hide and seek. Looking for children in the past. Cambridge: Museum of Archaeology and Anthropology, University of Cambridge, 2016.

KING, Constance Eileen. The collector’s history of dolls. London and New York: Robert Hale Limited, St. Martin’s Press, 1978.

KOENIGSWALD, Gustav. São Paulo. São Paulo, 1895.

LIMA, Tânia Andrade. Brinquedos subliminares: doutrinação de crianças e introjeção de papéis sociais no Rio de Janeiro oitocentista. In: LIMA, T. A. (Org.). A (in) visibilidade de crianças no registro arqueológico. Série Livros Digital 16. Rio de Janeiro: Museu Nacional, 2019.

LOPES DE LIMA, Alessandro Luis. Uma arqueologia dos territórios negros: contas e miçangas no triângulo histórico de São Paulo (sécs. XIX-XX). Dissertação (Mestrado em Arqueologia). Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019.

LUNÉ, Antonio José Baptista de; FONSECA, Paulo Delfino da. Almanak da província de São Paulo para 1873. Primeiro Anno. São Paulo: Typographia Americana, 1873.

MACHIN, David; LEEUWEN, Theo Van. Toy as a discourse: children’s war toys and the war on terror. Critical Discourse Studies, v. 6, n. 1, p. 51-63, 2009.

MARTINS, Antonio Egydio. São Paulo antigo (1554-1910). Primeiro Volume. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves & C., 1911.

MARTINS, Antonio Egydio. São Paulo antigo (1554-1910). Segundo Volume. São Paulo: Typographia do Diario Official, 1912.

MAYNE, Alan; MURRAY Tim. The archaeology of urban landscapes. Explorations in slumland. Cambridge: Cambridge University Press, 2001.

MEZZARILA, Isabel Maria Alves; FLANDOLI, Ornella Regina. O hospício de alienados da Província de São Paulo. Histórica-Revista Eletrônica do Arquivo Público do Estado de São Paulo, nº 51, p. 1-14, 2011.

MIRANDA, Kátia Rodrigues Mello; AZEVEDO, Sílvia Maria. Revista popular (1859-1863) e Jornal das Famílias (1863-1878): um perfil dos periódicos de Garnier. TriceVersa, v. 3, n. 2, p. 156-166, 2010.

MORRISON, Wendy; CRAWFORD, Sally. Re-assessing toys in the archaeological assemblage: a case study from Dorchester-on-Thames. Childhood in the Past. An International Journal, v. 6, n. 1, p. 52-65, 2013.

MOYA, Beatriz Alcubierre; SOSENSKI, Susana. Espacios y cultura material para la infância en América Latina (siglos XIX y XX). Secuencia. Edición Especial, p. 2-14, 2018.

MUNITA, Doina; MERA, C. Rodrigo. Por aquellos olvidados...Niños y niñas en la arqueologia histórica industrial de Valdivia. Revista Austral de Ciencias Sociales, n. 31, p. 131-144, 2016.

NASIR, Na’ilah Suad. Individual cognitive structuring and the sociocultural context: strategy shifts in the games of dominoes. The Journal of Learning Sciences, v. 14 (1), p. 5-34, 2005.

PEDAGOGIA PAULISTA – A ESCHOLA PUBLICA. ENSAIO DE PEDAGOGIA PRACTICA. São Paulo: Typographia Paulista, 1895.

PINTO, Alfredo Moreira. A cidade de São Paulo em 1900. Impressões de viagem. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1900.

QUEFFÉLEC-DUMASY, Lise. Le roman-feuilletons français au XIXe siècle. Paris: Presses Universitaries de France, 1989.

RAFFAINI, Patricia Tavares. As meninas são de pano e os meninos são de chumbo? Cultura material e literatura. Revista Secuencia. Edición Especial, p. 177-187, 2018.

SANT’ANNA, Nuno. São Paulo histórico. Aspectos, lendas e costumes, volume V. São Paulo: Departamento de Cultura de São Paulo, 1944.

SANT’ANNA, Nuno. Metrópole. Histórias da cidade de São Paulo também chamada São Paulo de Piratininga e São Paulo do Campo em tempos de El-Rei, o cardeal Dom Henrique, da dinastia de Aves, volume I. São Paulo: Departamento de Cultura de São Paulo, 1950.

SANT’ANNA, Nuno. Metrópole. Histórias da cidade de São Paulo também chamada São Paulo de Piratininga e São Paulo do Campo em tempos de El-Rei, o cardeal Dom Henrique, da dinastia de Aves, volume II. São Paulo: Departamento de Cultura de São Paulo, 1952.

SCIENTIA CONSULTORIA CIENTÍFICA. Monitoramento e resgate arqueológico da área destinada à implantação da Praça das Artes – Operação Urbana Centro, município de São Paulo – SP. São Paulo: Relatório Técnico, 2012.

SECKLER, Jorge. Almanach administrativo, commercial e industrial da Província de São Paulo para o anno de 1886. São Paulo: Jorge Seckler & Cia, 1886.

SEVCENKO, Nicolau. Introdução. O prelúdio republicano, astúcias da ordem e ilusões do progresso. In: SEVCENKO, N. (Org.). História da Vida Privada no Brasil. República da Belle Époque à Era do Rádio. São Paulo: Companhia das Letras, v. 3, p. 7-48, 1998.

SOUSA, Alberto. Estudos demográficos: a população de São Paulo no último decênio, 1907-1916. São Paulo: Typographia Piratininga, 1917.

TORRES, Maria Celestina Teixeira Mendes. Um lavrador paulista do tempo do Império. Piracicaba: Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba, 2010.

VANN, Katharine. Frozen Charlotte dolls used in toy cradles from the plains and plateau. Whispering Wind, v. 46, n. 5, 2018.

VLAHOS, Margaretha Marie Louise. Developing an archaeology of childhood. Experiences in Australia 1788-1901. Tese (Doutorado em Filosofia). School of Social Science. University of Queensland, Austrália, 2014.

WELLINGTON, Donald. C.; GALLO, Joseph. C. The march of toy soldier: the market for a collectible. Journal of Cultural Economics, v. 5, n. 1, p. 69-75, 1981.

WILKIE, Laurie A. Not merely child’s play. Creating a historical archaeology of children and childhood. In: Children and Material Culture. London and New York: Routledge Taylor & Francis Group, 2000, p.100-114.

Downloads

Publicado

2023-01-18

Como Citar

ALVES, Daniela. Pelos caminhos das infâncias paulistanas entre os séculos XIX e XX: A cultura material associada às crianças do sítio arqueológico Praça das Artes. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 36, n. 1, p. 245–261, 2023. DOI: 10.24885/sab.v36i1.948. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/948. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigo