A fábrica de manteiga e queijo das fazendas nacionais do Piauí: um artefato remanescente da industrialização, persistente na memória social

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v35i3.991

Palavras-chave:

Fábrica de manteiga e queijo, Arqueologia histórica, Arqueologia industrial, Memória social

Resumo

Encravada no meio do sertão piauiense, a Fábrica de Manteiga e Queijo das Fazendas Nacionais do Piauí, localizada no atual município de Campinas do Piauí, foi a primeira no ramo de laticínios do Nordeste e a segunda do Brasil, configurando-se como um marco da industrialização nacional. O objetivo deste artigo é evidenciar, sob o viés da Arqueologia Histórica e da Arqueologia Industrial, essa antiga edificação como um artefato remanescente da industrialização brasileira, que se mantém persistente na memória social da população local. Observou-se que até hoje a fábrica continua sendo reconhecida como uma referência para a cidade de Campinas do Piauí, outrora localidade Campos, considerando que a ocupação humana da área se deu no entorno da edificação fabril, estando intimamente ligada à instalação, ápice e declínio desta. A relação construída entre a comunidade campinense e a edificação mostra-se como uma trama que envolve memórias individuais e coletivas, acontecimentos e um lugar. Assim, a antiga fábrica é elemento participante da vida cotidiana local, que estabelece uma constante conexão entre o passado e o presente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caroline Carvalho Almeida, Universidade Federal do Piauí

Bacharel em Arqueologia, pela Universidade Federal do Piauí, e mestranda em Arqueologia, pela mesma instituição.

Sônia Maria Campelo Magalhães, Universidade Federal do Piauí

Doutora em História, pela Universidade Federal Fluminense, e Mestre (DEA) em Pré-História, Etnologia e Antropologia, pela Université de Paris I - Pantheon-Sorbonne. Professora associada da Universidade Federal do Piauí, desde 1984, onde atua na Graduação e no Mestrado em Arqueologia.

Luis Carlos Duarte Cavalcante, Universidade Federal do Piauí

Doutor em Ciências (Química) pela Universidade Federal de Minas Gerais e mestre em Química
pela Universidade Federal do Piauí. Professor associado da Universidade Federal do Piauí, desde
2008, onde atua na Graduação e no Mestrado em Arqueologia.

Referências

ACHA, Milena. Os processos da paisagem pastoril: caracterizando lugar e movimento. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, v. 13, n. 1, p. 69-87, 2018.

ALMANAK LAEMMERT - Almanak Administrativo, Mercantil e Industrial do Rio de Janeiro. Estado do Piauhy. Rio de Janeiro: Companhia Typographica do Brazil, 1905. p. 1907-1918.

ALMANAK LAEMMERT - Almanak Administrativo, Mercantil e Industrial do Rio de Janeiro. Estado do Piauhy. Rio de Janeiro: Companhia Typographica do Brazil, 1906. p.1711-1719.

ALMANAK LAEMMERT - Almanak Administrativo, Mercantil e Industrial do Rio de Janeiro. Estado do Piauhy. Rio de Janeiro: Companhia Typographica do Brazil, 1907. p. 2065-2077.

ALMANAK LAEMMERT – Annuario Administrativo, Agricola, Profissional, Mercantil e Industrial dos Estados Unidos do Brazil. Estado do Piauhy. Rio de Janeiro: Companhia Typographica do Brazil, 1908. p. 610-625.

ALMANAK LAEMMERT – Annuario Administrativo, Agricola, Profissional, Mercantil e Industrial dos Estados Unidos do Brazil. Estado do Piauhy. Rio de Janeiro: Companhia Typographica do Brazil, 1909. 23 p.

ALMANAK LAEMMERT – Annuario Administrativo, Agricola, Profissional, Mercantil e Industrial dos Estados Unidos do Brazil. Estado do Piauhy. Rio de Janeiro: Companhia Typographica do Brazil, 1910. 19 p.

ALMEIDA, Caroline Carvalho. Do rastro do leite ao silêncio do apito: a fábrica de laticínios de Campinas do Piauí, PI. Monografia (Graduação em Arqueologia) – Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2014.

ALMEIDA, Caroline Carvalho; MAGALHÃES, Sônia Maria Campelo. Do rastro do leite ao silêncio do apito: a Fábrica de Laticínios de Campinas do Piauí, PI. In: CAVALCANTE, Francisca Verônica; LAGE, Maria Conceição S. M.; CARVALHO, Maria do Amparo A.; SILVA, Márcio Douglas de C. (org.). Religiões, ritos e patrimônios culturais. Teresina: EdUFPI, 2021. p. 301-314.

ANDRADE, Cyntia. Lugar de memória .... memórias de um lugar: patrimônio imaterial de Igatu, Andaraí, BA. Pasos. Revista de Turismo y Patrimonio Cultural, v. 6, n. 3, p. 569-590, 2008.

ANDRÈS, Luiz Phelipe C. C. Parecer de Tombamento dos estabelecimentos das Fazendas Nacionais do Piauí. 2014. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Banco_de_Pareceres_Tombamento_Estabelecimento_das_Fazendas_Nacionais_do_Piaui.pdf. Acesso em: 01 jun. 2021.

BEZERRA, Marcia. Teto e afeto: sobre as pessoas, as coisas e a arqueologia na Amazônia. Belém: GKNoronha, 2017.

BRITO, Francisco Borges da S. Francisco Borges da Silva Brito: depoimento [set, 2019]. Entrevistadores: C. C. Almeida; S. M. C. Magalhães e L. C. D. Cavalcante. Campinas do Piauí: 2019. Entrevista concedida ao Projeto de pesquisa de Mestrado: A Fábrica de Manteiga e Queijo das Fazendas Nacionais do Piauí: uma ousadia no sertão piauiense.

BUCHANAN, R. Angus. History and Heritage: The Development of Industrial Archaeology in Britain. The Public Historian, v. 11, n. 1, p. 5-16, 1989. Disponível em: <http://www.jstor.org/stable/3378474> Acesso em: 10 mai. 2021.

CARDOSO, André Felipe S. Viver, transformar e criar a partir do sertão: Centro de Educação em Agroecologia e Agricultura Familiar de Campinas do Piauí. Monografia (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) – Centro Universitário UNINOVAFPI, Teresina, 2019.

CARVALHO, Maria do Amparo A. Batalha do Jenipapo: reminiscências da cultura material em uma abordagem arqueológica. Tese (Doutorado em História) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

CERDÀ, Manuel. Arqueología Industrial: teoría y práctica. Espanha: PUV, 2008.

CLAUDINO, João Vicente. Fábrica dos Sonhos. Brasília: Senado Federal, 2007.

COPÉ, Silvia Moehlecke; ROSA, Carolina Aveline Deitos. A Arqueologia como uma prática interpretativa sobre o passado no presente: Perspectivas Teórico-metodológicas. In: PINTO, Celi Regina J.; GUAZZELLI, Cesar Augusto (org.). Ciências humanas: pesquisa e método. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008. p. 97-124.

COSTA, Alcília Afonso de Albuquerque. O processo de preservação da Fábrica de Lacticínios das Fazendas Nacionais em Campinas do Piauí. Labor e Engenho, v. 4, n. 4, p. 78-92, 2010.

DIAS, João Castanho. As raízes leiteiras do Brasil. São Paulo: Barleus, 2012.

ESTADO DO PIAUHY. Piauhy 1935. Teresina: Directoria Geral de Estatistica do Estado do Piauhy, 1935. Disponível em: http://memoria.org.br/pub/meb000000491/piaui1935/piaui1935.pdf. Acesso em: 4 mai. 2021.

FENTRESS, James; WICKHAM, Chris. Memória Social: Novas perspectivas sobre o passado. Tradução de Telma Costa. Lisboa: Editorial Teorema, 1992.

FERREIRA, Maria Leticia Mazzucchi. Os fios da memória: fábrica Rheingantz entre passado, presente e patrimônio. Horizontes Antropológicos, v. 19, n. 39, p. 69-98, 2013.

FERREIRA, Maria Letícia Mazzucchi. Patrimônio: as várias dimensões de um conceito. História em Revista, v. 10, p. 29-39, 2004.

FUNARI, Pedro Paulo A. Teorias e métodos na Arqueologia contemporânea: o contexto da Arqueologia Histórica. Mneme – Revista de Humanidades, v. 6, n. 13, p. 1-5, 2004/2005. Disponível em: https://www.periodicos.ufrn.br/mneme/article/view/267/243. Acesso em: 2 ago. 2021.

GONDAR, Jô. Quatro proposições sobre memória social. In: GONDAR, Jô; DODEBEI, Vera (orgs). O que é memória social? Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria, 2005. p. 11-26.

GONZÁLEZ-RUIBAL, Alfredo. Returning to where we have never been: excavating the ruins of modernity. In: OLSEN, Bjørnar; PÉTURSDÓTTIR, Þóra (eds.). Ruin Memories Materialities, Aesthetics and the Archaeology of the Recent Past. London: Routledge, 2014.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais LTDA, 1990.

IPHAN. Aprovado tombamento de imóveis rurais no Piauí. 2014. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/noticias/detalhes/287. Acesso em: 02 mai. 2021.

IPHAN-PI. A ocupação do Piauí durante os séculos XVIII e XVI: estabelecimento das Fazendas Nacionais do Piauí. Dossiê de Tombamento, v. 1. Teresina: IPHAN-PI, 2008.

JOSÉ, Maria. Maria José: depoimento [set. 2019]. Entrevistadores: C. C. Almeida; S. M. C. Magalhães e L. C. D. Cavalcante. Campinas do Piauí: 2019. Entrevista concedida ao Projeto de pesquisa de Mestrado: A Fábrica de Manteiga e Queijo das Fazendas Nacionais do Piauí: uma ousadia no sertão piauiense.

LIMA, Tania Andrade. Cultura material: a dimensão concreta das relações sociais. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, v. 6, n. 1, p. 11-23, 2011.

LIMA, Tania A. El huevo de la serpiente: una arqueología del capitalismo embrionario en el Rio de Janeiro del siglo XIX. In: ZARANKIN, Andrés; ACUTO, Félix A. (org). Sed non satiata. Teoría social en la Arqueología Latinoamericana contemporánea. Buenos Aires: Ediciones del Tridente, 1999. p. 189-238.

MARIANO FILHO, José. José Mariano Filho: depoimento [abr. 2007]. Entrevistadores: M. William e R. Augusto. Campinas do Piauí: 2007. 1 DVD. Entrevista concedida ao IPHAN-PI para elaboração do vídeo A Fábrica de Manteiga e Queijo das Fazendas Nacionais do Piauí: uma história contada pelos seus trabalhadores. Produzido pela 19ª Superintendência Regional do IPHAN-PI em parceria com a Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-Metragistas no Piauí.

MENDES, Felipe. Economia e desenvolvimento do Piauí. Teresina: Fundação Monsenhor Chaves, 2003.

MENDES, José M. Amado. A arqueologia industrial: uma nova vertente de conservação do património cultural. Revista Portuguesa de História, n. 26, p. 111-124, 1991.

MOURA, Joyce N. Sociabilidade e interação entre operários da Fábrica de Laticínios de Manteiga Puro Leite, em Campinas Piauí: retratos de uma época de 1897 a 1947. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) – Universidade Federal do Piauí, Picos, 2013.

MOURA, Maria do Socorro A. Maria do Socorro Alves de Moura: depoimento [set. 2019]. Entrevistadores: C. C. Almeida; S. M. C. Magalhães e L. C. D. Cavalcante. Campinas do Piauí: 2019. Entrevista concedida ao Projeto de pesquisa de Mestrado: A Fábrica de Manteiga e Queijo das Fazendas Nacionais do Piauí: uma ousadia no sertão piauiense.

NORA, Pierre. Entre mémoire et histoire, la problématique des lieux. In: NORA, Pierre. (Dir.). Les lieux de mémoire. Partis: Gallimard, 1984. p. 17-42.

OLIVEIRA, Eduardo R. Arqueologia Industrial, Patrimônio Industrial e sua Difusão Cultural. In: FUNARI, Pedro Paulo A.; CAMPOS, Juliano B.; RODRIGUES, Marian Henen S. G. (orgs). Arqueologia Pública e Patrimônio: Questões Atuais. Criciúma: UNESC, 2015. p. 197-225.

ORSER Jr., Charles E. Introdução à Arqueologia Histórica. Belo Horizonte: Oficina de Livros, 1992.

PALMER, Marilyn; NEAVERSON, Peter. Industrial Archaeology. Principles and practice. Londres: Routledge, 1998.

PAULA, Angela Teberga; HERÉDIA, Vania Beatriz Merlotti. A “turistificação” de um lugar de memória é possível? Um estudo sobre o sítio arqueológico do Cais do Valongo (Rio de Janeiro, Brasil). Anais Brasileiros de Estudos Turísticos, v. 8, n. 1, p. 8-22, 2018. Disponível em: http://each.usp.br/turismo/publicacoesdeturismo/ref.php?id=24839. Acesso em: 20 mai. 2021.

RÊGO, Antônia de Deus. Antônia de Deus Rêgo: depoimento [nov. 2019]. Entrevistadores: C. C. Almeida; S. M. C. Magalhães e L. C. D. Cavalcante. Campinas do Piauí: 2019. Entrevista concedida ao Projeto de pesquisa de Mestrado: A Fábrica de Manteiga e Queijo das Fazendas Nacionais do Piauí: uma ousadia no sertão piauiense.

REIS, Carlos Rubem Campos. Carta de Campinas do Piauí. Campinas do Piauí, 2019.

REIS, Carlos Rubem Campos. Proposta de tombamento formal da Fábrica de Laticínios dos Campos. In: CLAUDINO, João Vicente. Fábrica dos Sonhos. Brasília: Senado Federal, 2007. p. 30-35.

RIBEIRO, João Bosco Pinheiro. Entre Memórias e Narrativas: A classe operária da Fábrica de Laticínios dos Campos. Revista Piauiense de História Social e do Trabalho, Ano III, n. 4, p. 30-40, 2017.

ROCHA, Odeth V. Maranduba: memória do nordeste contada de viva voz, de mãe para filho, de avó para neto, para que não se percam nossos começos e tropeços. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Sindical, 1994.

RODRIGUES, Donizete. Patrimônio cultural, memória social e identidade: interconexões entre os conceitos. Letras Escreve, v. 7, n. 4, p. 337-361, 2017. Disponível em: https://periodicos.unifap.br/index.php/letras/article/view/4071/0. Acesso em: 01 dez. 2021.

ROSA, Carolina Lucena. O patrimônio industrial: a construção de uma nova tipologia de patrimônio. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 25., 2011, São Paulo. Anais... São Paulo: ANPUH-SP, 2011.

SAMPAIO, Antônio J. Descrição geral do estado do Piauí. Tradução de Maria Cacilda Ribeiro Gonçalves. Teresina: Imprensa oficial, 1963.

SAMPAIO, Antônio J. Petição dirigida aos ilustres membros do Congresso Nacional [sobre o arrendamento] das fazendas nacionaes do Estado do Piauhy. Rio de Janeiro: Mont’Alverne, 1899.

SANTANA, Ascinete. Ascinete Santana: depoimento [set. 2019]. Entrevistadores: C. C. Almeida; S. M. C. Magalhães e L. C. D. Cavalcante. Campinas do Piauí: 2019. Entrevista concedida ao Projeto de pesquisa de Mestrado: A Fábrica de Manteiga e Queijo das Fazendas Nacionais do Piauí: uma ousadia no sertão piauiense.

SANTANA, Valdemar. Valdemar Santana: depoimento [set. 2019]. Entrevistadores: C. C. Almeida; S. M. C. Magalhães e L. C. D. Cavalcante. Campinas do Piauí: 2019. Entrevista concedida ao Projeto de pesquisa de Mestrado: A Fábrica de Manteiga e Queijo das Fazendas Nacionais do Piauí: uma ousadia no sertão piauiense.

SHANKS, Michael; TILLEY, Christopher. Re-Constructing Archaeology: Theory and Practice. Cambridge: Cambridge University Press, 1987. Disponível em: https://www.academia.edu/4016575/Reconstructing_Archaeology. Acesso em: 02 jun. 2021.

SILVA, Josenias dos Santos. Almanack da Parnahyba: no tempo dos bons ventos fluviais. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA CULTURAL ESCRITAS DA HISTÓRIA, IV., 2013, Teresina. Anais... Teresina: Universidade Federal do Piauí, 2013. p. 1-11.

SILVA, Ronaldo André R.; CORDEIRO, José Manuel L. Reflexões acerca do conceito de patrimônio cultural sob a ótica do patrimônio industrial e da Arqueologia Industrial. Faces da História, v. 4, n. 1. p. 7-29, 2017.

SILVA FILHO, Olavo Pereira. Carnaúba, Pedra e Barro na Capitania de São José do Piauhy. Belo Horizonte. Ed. do autor, 2007. v. 3. Urbanismo.

SOUSA, José B. José Belém de Sousa: Entrevista concedida a J. N. de Moura, em Teresina, 2013, para o trabalho de conclusão de curso (Graduação em História): Sociabilidade e interação entre operários da Fábrica de Laticínios de Manteiga Puro Leite, em Campinas Piauí: retratos de uma época de 1897 a 1947. Universidade Federal do Piauí, Picos, 2013.

TEIXEIRA, Maria Lages G. Teresina (1890 – 1920): indústria, ferrovia e arquitetura. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade de São Paulo, São Carlos, 2019.

THIESEN, Beatriz Valladão. Fábrica, Identidade e Paisagem Urbana: Arqueologia da Bopp Irmãos (1906-1924). Tese (Doutorado em História) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

TICCIH - THE INTERNATIONAL COMMITTEE FOR THE CONSERVATION OF THE INDUSTRIAL HERITAGE. Carta de Nizhny Tagil sobre o Patrimônio Industrial. Nizhny Tagil: TICCIH, 2003.

VALE, Ana. A Arqueologia e as coisas: a disciplina e as correntes pós-humanistas. Revista Al-Madan, II série, n. 20. Tomo 1. p. 41-49, 2015. Disponível em: https://www.academia.edu/14446470/A_Arqueologia_e_as_Coisas_A_disciplina_e_as_correntes_p%C3%B3s_humanistas. Acesso em: 20 mai. 2021.

VILHENA, Marcos Aurélio G. Vôo de Ícaro: tensões e drama de um industrial no sertão. Teresina: Edição do autor, 2006b.

VILHENA, Marcos Aurélio G. Vôo de Ícaro: tensões e drama de um industrial no sertão. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2006a.

ZANETTINI, Paulo Eduardo. Maloqueiros e seus palácios de barro: o cotidiano doméstico na casa bandeirista. Tese (Doutorado em Arqueologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

ZARANKIN, Andrés; SALERNO, Melisa A. “Todo está guardado en la memória”. Reflexiones sobre los espacios para la memoria de la dictadura en Buenos Aires (Argentina). In: ZARANKIN, Andrés; SALERNO, Melisa A.; PEROSINO, María Celeste (Eds). Histórias desaparecidas: Arqueología, memoria y violencia política. Córdoba: Encuentro Grupo Editor, 2012. p. 143-171.

Downloads

Publicado

2022-09-30

Como Citar

ALMEIDA, C. C. .; MAGALHÃES, S. M. C.; CAVALCANTE, L. C. D. A fábrica de manteiga e queijo das fazendas nacionais do Piauí: um artefato remanescente da industrialização, persistente na memória social. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 35, n. 3, p. 91–118, 2022. DOI: 10.24885/sab.v35i3.991. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/991. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigo