A importância da materialidade e dos fazeres na composição dos Barquinhos de Iemanjá no Rio Grande do Sul

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v37i1.1151

Palavras-chave:

oferendas, artefatos afro-religiosos, terreiro

Resumo

O artigo versa sobre o conjunto de materialidades e fazeres presentes em preparos ritualísticos dentro de um terreiro do Rio Grande do Sul – Brasil. O objetivo é discutir sobre a importância dos diversos elementos envolvidos na constituição dos Barquinhos de Iemanjá no Centro Africano Ogum e Iansã. A pesquisa de campo, seguindo os princípios da etnografia, é a estratégia de investigação adotada para este estudo. Como resultado, o fazer Barquinhos de Iemanjá com as materialidades que portam propiciam uma série de associações e encadeamentos que fazem vida e, do mesmo modo, presenciam Iemanjá. Portanto, práticas rituais dotadas de materialidade, como as “oferendas”, implicam na composição e na recomposição de lugares, modos de existência e conhecimentos, possibilitando diálogos com estudos arqueológicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANJOS, José Carlos Gomes dos. A filosofia política da religiosidade Afro-Brasileira como Patrimônio Cultural Africano. Debates do NER, v. 9, n. 13, p. 77–96, 2008.

ANJOS, José Carlos Gomes dos. No território da linha cruzada: a cosmopolítica afro-brasileira. Porto Alegre: Editora da UFRGS/ Fundação Cultural Palmares, 2006.

CORRÊA, Norton Figueiredo. O batuque do Rio Grande do Sul: uma visão panorâmica. In: TRIUMPHO, Vera (org.). Rio Grande do Sul: aspectos da negritude. Porto Alegre: Martins Livreiro, 1991. p. 145–166.

DORNELES, Dandara Rodrigues; ANJOS, José Carlos Gomes dos. Oferendas? Preparos e composições afro-religiosas em dois mundos. Revista Espaço Acadêmico, n. 227, p. 130-141, 2021.

DORNELES, Dandara Rodrigues; SANTOS, Luís Henrique Sacchi dos. Saberes, fazeres e educação na terreira: ensinamentos durante o preparo dos Barquinhos de Iemanjá. Revista Educação e Cultura Contemporânea, v. 17, n. 48, p. 513-532, 2020.

INGOLD, Tim. Trazendo as coisas de volta à vida: emaranhados criativos num mundo de materiais. Horizontes Antropológicos, v. 18, n. 37, p. 25–44, 2012.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Sistema IBGE de Recuperação Automática – SIDRA. Censo Demográfico. Rio de Janeiro, 2010. Disponível em: <https://sidra.ibge.gov.br/tabela/1489#resultado>. Acesso em: 30 jun. 2023.

MACHADO, Vanda. Pele da cor da noite. 2. ed. Salvador: EDUFBA, 2017.

MARQUES, Lucas. Fazendo orixás: sobre o modo de existência das coisas no candomblé. Religião e Sociedade, v. 38, n. 2, p. 221–243, 2018.

MARTINS, Gilberto de Andrade; THEÓPHILO, Carlos Renato. Pólo técnico - estratégias de pesquisa. In: Metodologia da Investigação Científica para Ciências Sociais Aplicadas. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

ORO, Ari Pedro; ANJOS, José Carlos Gomes Dos. Festa de Nossa Senhora dos Navegantes em Porto Alegre: sincretismo entre Maria e Iemanjá. Porto Alegre: Secretaria Municipal da Cultura e Editora da Cidade, 2009.

RABELO, Miriam Cristina Marcilio. O presente de Oxum e a construção da multiplicidade no candomblé. Religião e Sociedade, v. 35, n. 1, p. 237–255, 2015.

SCHWARCZ, Lilia Moritz; VAREJÃO, Adriana. Pérola imperfeita: a história e as histórias na obra de Adriana Varejão. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

SILVA, Hélio Raymundo Santos. A situação etnográfica: andar e ver. Horizontes antropológicos, v. 15, n. 32, p. 171-188, 2009.

SODRÉ, Muniz. O campo da singularidade – Parte 2. In: Claros e escuros: identidade, povo, mídia e cotas no Brasil. 3. ed. Petrópolis: Vozes, p. 155–262, 2015.

SODRÉ, Muniz. O terreiro e a cidade: a forma social negro brasileira. 3. ed. Rio de Janeiro: Mauad X, 2019.

SODRÉ, Muniz. Pensar Nagô. Petrópolis: Vozes, 2017.

Downloads

Publicado

2024-01-31

Como Citar

RODRIGUES DORNELES, Dandara. A importância da materialidade e dos fazeres na composição dos Barquinhos de Iemanjá no Rio Grande do Sul. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 37, n. 1, p. 82–97, 2024. DOI: 10.24885/sab.v37i1.1151. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/1151. Acesso em: 21 fev. 2024.