Musealização da Arqueologia

Diagnóstico do patrimônio arqueológico em museus potiguares

Autores

  • Abrahão Sanderson Nunes Fernandes da Silva

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v26i2.382

Palavras-chave:

Museus, Coleções, Arqueologia, Rio Grande do Norte

Resumo

As coleções arqueológicas quando em contextos museológicos são muitas vezes pouco articuladas com outros conjuntos patrimoniais, revelando relações que foram estabelecidas para com esses bens e evidenciando um processo de isolamento e esquecimento dos objetos arqueológicos enquanto constituintes das memórias locais, regionais ou nacionais. Esta "estratigrafia do abandono" é observada no Rio Grande do Norte a partir dos bens arqueológicos existentes nos museus Câmara Cascudo, Lauro da Escóssia, Seridó e Soledade. Assim, estudando realidades institucionais distintas, busca-se contribuir para a percepção não só do potencial informativo e comunicativo das coleções arqueológicas potiguares encontradas nesses museus, mas também tem-se por objetivo evidenciar a maneira como esse campo do patrimônio cultural brasileiro tem sido abordado no Rio Grande do Norte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-06-30

Como Citar

FERNANDES DA SILVA, A. S. N. . Musealização da Arqueologia: Diagnóstico do patrimônio arqueológico em museus potiguares. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 26, n. 2, p. 59–76, 2014. DOI: 10.24885/sab.v26i2.382. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/382. Acesso em: 7 ago. 2022.

Edição

Seção

Especial