Da responsabilidade social de antropólogos e arqueólogos

Sobre contratos, barragens e outras coisas mais

Autores

  • Carlos Fausto

Palavras-chave:

Laudo antropológico, arqueologia de contrato, hidroelétricas, rio Xingu

Resumo

Este texto foi escrito (mas nunca impresso) em novembro de 2006 em reação ao desfecho (que então se anunciava) no que toca à exploração hidroelétrica dos formadores do rio Xingu, no norte do Mato Grosso. Como se pode esperar, aqueles que defendiam, como princípio de precaução, a preservação dos rios e o direito indígena ao seu patrimônio imaterial saíram derrotados. A discussão sobre o papel de antropólogos e arqueólogos nesse processo, contudo, ainda está por ser feita. Daí minha concordância em publicar o texto abaixo depois de muitos anos de ser escrito. Espero que ainda sirva para aguçar nossa reflexão e reanimar nosso espírito crítico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-12-30

Como Citar

FAUSTO, C. . Da responsabilidade social de antropólogos e arqueólogos: Sobre contratos, barragens e outras coisas mais. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 28, n. 2, p. 202–215, 2015. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/436. Acesso em: 19 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigo