Project central (Bahia, Brazil)

Rock art in the Chapada Diamantina uplands

Autores

  • Maria da Conceição de M. C. Beltrão Museu Nacional/UFRJ
  • Martha Locks Museu Nacional/UFRJ
  • Darlan Cordeiro Museu Nacional/UFRJ

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v8i1.484

Palavras-chave:

Arte Rupestre, Chapada Diamantina

Resumo

 Iniciado em 1982, o Projeto Central cobre uma área de 105.000 m2 com o seu epicentro no município de Central, no coração da caatinga. Um dos objetivos do projeto é estudar as milhares de pinturas rupestres da ârea, das quais aquelas com representações de mamíferos tem sido estudadas deølhadamente desde 1987 (Beltrão e Lock, 1988). Sítios no quartzito pré-cambiano, no municipio de Morro do Chapéu na borda nordeste da Chapada Diamantina, contém considerável número de pinturas, principalmente mamíferos (veados), seguido por antropomorfos
e pássaros. Nestes sltios 94% das pinturas representam "Biomorfos em ação" e 6% das figuras são "biomorfos estáticos".

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Beltrão, M.C. de M.C.; Danon, J; Nadcr, R; Mcsquita, S.S. & Bonfin, M.T.M.P. (1990). Les Représentations Pictographiqucs de la Sena da Pedra Calcária: Les Tocas de Búzios et de Esperança. ln L' Anthropologie, 94(1): 139-154.

Beltrão, M.C. de M.C. & Lima, T.A. (1936). Os Zoomorfos da Sena Azul e da Sena de Santo Inácio. In: Revista do Patrimônio Histórico e Artístico NacíonaL 21: 146-157.

Beltrão, M.C. dc M.C. & Locks, M. (1988). Possible Representations of Pleistocene Mammals in Rock Paintings in the Arca of Central, Bahia, Brazil. Acad. Brasil. Ciênc. 6O(4): 491-492. Rio de Janciro.

Beltrão, M.C. dc M.C. & Locks, M. (1990). Climatic Changes in the Archeological Region of Central, Bahia, Brazil, as shown by interpretation of pre-historic rock paintings. In Anais do 1º Congresso Internacional de Etnobiologia - Ethnobiology: Implications and Applications. Proccedings of the First International Congress of Ethnobiology, 1: 99-112, Supercores, Emílio Goeldi Museum, Belérn, Pará.

Beltrão, M.C. de M.C. & Luce, C.N. (1990). Eventos, Signos e Símbolos na Pré-Historia Brasileira. Ed. Europa, in conmemoration of the V Centenary of the Discovery of America. (in prcss)

Campos, M. D'Olne; Beltrão, M.C. de M.C.; Lima, T.A.; Mourão, R.R.F.; Danon, J. (1985). Astros em pinturas rupestres na Bacia do Rio São Francisco, Bahia, Brazil. 45th International Congress of Amerìcanists, Bogota, Colombia. (in press)

Cavalcanti, C. (1981). Como Entender a Pintura Moderna. Editora Rio. pp.179-183.

Guidon, N. (1975) Les Peintures Rupestrce de Várzca Grande, Piauí, Cahiers d'Archéologie d'Amérique du Sud, 3. Paris. École Practique des Hautes Études en Sciences Sociales. pp.11-65.

Guidon, N. (1978/79/80). Arte Rupestre no Piauí. In: Schmitz, P.I., Barbosa, A.S. & Ribeiro, M.B. (eds.). Temas de Arqueologia Brasileira 4: Arte Rupestre - Anuório de Divulgação Cienlífica, 8: 15-34. Univcrsidade Católica de Goiás, Goiânia.

Guidon, N. (1981). Tradições e Estilos da Arte Rupestre no Piauí. ln: Catalogo da Exposição Pré-História Brasileira. Mus. Hist. Nat'. UFMG. Belo Horizonte. pp.19-20.

Marschack A. (1964). Lunar Notation on Upper Paleolithic Remains. Science, 146: 743-745.

Pessis, A. M. (1984). Método de Interpretação de Arte Rupestre: Análise Preliminar da Ação. In Revista de Arqueologia 2(1): 47-58 0 January/June - CNPq - Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém, Pará.

Prous, A., Lanna, A. L. D., and Paula, F. L. de (1980). Estilística e Cronologia na Arte Rupestre de Minas Gerais. In Pesquisas Antropologia 31: 121-145. Instituto Anchietano de Pesquisas, Rio Grande do Sul.

Downloads

Publicado

1994-06-30

Como Citar

BELTRÃO, M. da C. de M. C.; LOCKS, M.; CORDEIRO, D. Project central (Bahia, Brazil): Rock art in the Chapada Diamantina uplands. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 337–351, 1994. DOI: 10.24885/sab.v8i1.484. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/484. Acesso em: 27 set. 2022.

Edição

Seção

Artigo