Por uma Arqueologia Feminista da ditadura no Brasil (1964-1985)

Autores

  • Jocyane Ricelly Baretta Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v20i2.541

Resumo

O presente texto é um exercício interpretativo entre as relações de gênero e o mundo material da repressão em Centros de Detenção e Tortura no Brasil. Tomo como base a Arquitetura do DOPS/RS, além dos materiais e outros elementos não humanos utilizados para tortura de pessoas dentro desses espaços. Para tanto, me proponho a examinar esse meio material, através de seu entrecruzamento com os relatos de ex-presas(os) políticas, vistos sob a ótica do feminismo descolonial, com intuito de trazer à luz novos elementos da dinâmica repressiva brasileira, bem como, trabalhar a perspectiva de gênero como forma de valorizar os relatos de mulheres e de possibilitar a sua visibilidade nesse processo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-12-30

Como Citar

BARETTA, J. R. Por uma Arqueologia Feminista da ditadura no Brasil (1964-1985). Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 30, n. 2, p. 08–34, 2017. DOI: 10.24885/sab.v20i2.541. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/541. Acesso em: 16 ago. 2022.