The feminist critique

incorporating gender, childhood and identity in archaeological research

Autores

  • Fernanda Neubauer University of Wisconsin-Madison
  • Michael J. Schaefer University of Wisconsin-Madison

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v20i2.549

Palavras-chave:

Teoria feminista e arqueologia, Estudos de gênero e identidade, Tangas cerâmicas Marajoara

Resumo

Neste artigo, discutimos o importante papel da crítica feminista na conscientização de pesquisas relacionadas aos estudos de gênero, infância e identidade, e em vocalizar as perspectivas de grupos pouco representados. Como um estudo de caso sobre gênero e vidas sociais antigas, discutimos uma série de marcadores de identidade Marajoara interpretados através do estudo das tangas cerâmicas (coberturas púbicas femininas) na Ilha de Marajó, na Amazônia brasileira (400-1400 A.D.). Estes artefatos foram feitos e usados por mulheres como uma representação material de posição social, gênero e identidade individual. Argumentamos que identidade constitui um aspecto importante e fundamental na pesquisa arqueológica, e que seus mais sólidos estudos de caso constituem aqueles que abrangem uma variedade de inferências sobre gênero para compreender as vidas sociais no passado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-12-30

Como Citar

NEUBAUER, F.; SCHAEFER, M. J. . The feminist critique: incorporating gender, childhood and identity in archaeological research. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 30, n. 2, p. 145–161, 2017. DOI: 10.24885/sab.v20i2.549. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/549. Acesso em: 16 ago. 2022.