Educação Patrimonial em Arqueologia

a dinâmica das práticas evidenciando redes de conhecimento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v32i2.699

Palavras-chave:

Educação Patrimonial, Arqueologia Pública, Rede de Conhecimentos

Resumo

Partindo dos modelos de atuação dos pesquisadores no campo da Arqueologia Pública, identificados por Cornellius Holtorf e associados às premissas da Teoria de Educação e Trabalho Docente Conscientizador, cunhada por Paulo Freire, este artigo apresenta resultados do trabalho desenvolvido em sete projetos de Educação Patrimonial, entre 2009 e 2018, elaborados no âmbito do licenciamento ambiental. Foram consideradas informações relativas ao público envolvido, à contribuição das atividades para a construção do conhecimento, reconhecimento e apropriação do patrimônio, através da observação de quatro aspectos: categorias dos projetos, região geográfica onde o projeto foi realizado, transição entre público-alvo e público participante, e metodologia de realização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, Cilcair. 2019. Nem Eva viu a uva, nem o índio fez a cerâmica: experiências e análises de Projetos de Educação Patrimonial em Arqueologia. Tese de Doutorado. Rio de Janeiro. Programa de Pós-Graduação em Arqueologia, Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro.

CARVALHO, Aline; FUNARI, Pedro Paulo. 2009. As Possibilidades da Arqueologia Pública. História e-História. V. 2009, p 1-10.

Chahin, Samira B. 2019. Diálogos numa corda bamba: sobre a formação continuada de professores. Revista CPC, 14 (27esp), 149-164. Disponível em: https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v14i27espp149-164, consultado em 18 de outubro de 2019.

COLWELL-CHANTHAPHONH, Chip. 2007. History, justice and reconciliation. In: LITTLE. B. & SHACKEL, P. (Orgs.). Archaeology as a tool of civic engagement. Altamira Press, pp. 23-46.

FERRARI, Marcio. 2008. Paulo Freire, o mentor da educação para a consciência. Disponível em: http://novaescola.org.br/conteudo/460/mentor-educacao-consciencia?fb_comment_id=1443476022560047_1638173766423604, consultado em 18/01/16.

FLORÊNCIO, Sônia Rampim; CLEROT, Pedro; BEZERRA, Juliana; RAMASSOTE, Rodrigo. 2014. Educação Patrimonial: histórico, conceitos e processos. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. 2014. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/uploads/publicacao/EduPat_EducacaoPatrimonial_m.pdf, consultado em 27 de março de 2018.

FREIRE, Paulo. 1979. Extensão ou Comunicação. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 93pp.

FREIRE, Paulo. 1981. Ação Cultural para a liberdade e outros escritos. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 245pp.

FREIRE, Paulo. 1996. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra. 54pp.

FREIRE, Paulo. 1997. Professora sim, tia não. Cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Olho D’Água. 84pp.

FREIRE, Paulo. GUIMARÃES, Sérgio. 2011. Dialogando com a própria história. São Paulo: Paz e Terra. 157pp.

FREIRE, Paulo; SHOR, Ira. 2013. Medo e Ousadia - O cotidiano do professor. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 116pp.

FREIRE, Paulo. 2015. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 149pp.

GADOTTI, Moacir. 1996. Paulo Freire: uma biobibliografia. São Paulo: Cortez Editora. 740pp.

GOMES, Patrícia. 2012. Conheça as competências para o século XXI. Disponível em: http://porvir.org/conheca-competencias-para-seculo-21/, consultado em 27/03/2017.

HOLTORF, Cornellius. 2007. Archaeology is a brand. The meaning of archaeology in the contemporary popular culture. Oxford: Archaeopresse. 184pp.

LITTLE, Barbara; SHACKEL, Paul. 2007. Archaeology as a tool of civic engagement. Lanham: Altamira Press. 286pp.

LITTLE, Barbara. 2007. Archaeology and Civic Engagement. IN: Little. B. & SHACKEL, P. (Orgs.). Archaeology as a tool of civic engagement. Altamira Press, pp. 1-22.

MERRIMAN, Nick. 2004. Public Archaeology. London, Routledge. 306 pp.

PELLEGRINO, James W.; HILTON, Margaret L. 2012. Committee on Defining Deeper Learning and 21st Century Skills. Board on Testing and Assessment and Board on Science Education Division of Behavioral and Social Sciences and Education. National Research Council of the National Academies. The National Academies Press, Washington, D.C. Disponível em: https://www.nap.edu/catalog/13398/education-for-life-and-work-developing-transferable-knowledge-and-skills, consultado em 12 de setembro de 2018.

RENFREW, Colin; BAHN, Paul. 2005. Archaeology: the key concepts. New York: Routledge. 233pp.

SANTIAGO, Maria Eliete. 2006. Currículo e Prática Pedagógica em Paulo Freire. In: SCOCUGLIA, Afonso Celso (Org.). Paulo Freire na História da Educação do Tempo Presente. Porto: Edições Afrontamento, Vol. 01, p. 22-217.

SCHIFFER, Michael. 1995. Behavioral Archaeology. First Principles. University of Utah Press, Sauth Lake City. 289pp.

SILVA, Rodrigo Manoel Dias da. 2016. Educação Patrimonial e Políticas de Escolarização no Brasil. Educ. Real. [online]., vol. 41, n. 2, pp. 467-489. ISSN 0100-3143. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/2175-623655022. Consultado em 18 de outubro de 2019.

Downloads

Publicado

2019-12-30

Como Citar

ANDRADE, C. Educação Patrimonial em Arqueologia: a dinâmica das práticas evidenciando redes de conhecimento. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 32, n. 2, p. 239–255, 2019. DOI: 10.24885/sab.v32i2.699. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/699. Acesso em: 7 ago. 2022.