Situação geomorfológica dos sítios arqueológicos no município de Camalaú – Paraíba

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v34i1.752

Palavras-chave:

sítios arqueológicos, Geoarqueologia, pré-colonial

Resumo

O meio físico nos permite compreender a paisagem e as formas, processos de ocupação de grupos pretéritos. Na perspectiva da Geoarqueologia, o ser humano apreende o espaço conforme o uso do meio físico modificando-o, com a adaptação e processos de manufatura de instrumentos a e formação de sítios, o que implica em transformação e transição cultural. O artigo organiza informações dos assentamentos pré-coloniais de Camalaú. Metodologia de caracterização geoarqueológica, elaboração de SIG e execução de cartas temáticas. Possibilita perceber as estratégias de ocupações, que levam em consideração as formas de relevo e a posição geográfica em relação ao Norte magnético. Essas escolham permitem a compreensão das estratégias de ocupações pré-coloniais nos Cariris Velhos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AB´SABER, Aziz. N. Geomorfologia. Geomorfologia, Série especial. Instituto de Geografia, São Paulo, 1969.

ACUTO, Félix A. Materialidad, espacialidad y vida social. Reinterpretando el Período Prehispánico Tardío de los Andes del Sur. In ACUTO, F.A; ZARANKIN, A. (ed.). En Sed Non Satiata II. Acercamientos sociales en la arqueología latinoamericana. 2008. P. 159-193.

ALMEIDA, Ruth Trindade de. A arte rupestre nos Cariris Velhos. João Pessoa: Universitária/UFPB. 1979.

ANGELUCCI, Diego E. A partir da terra: a contribuição da geoarqueologia. In: MATEUS, M. MORENO-GARCÍA (Eds.). Paleoecologia Humana e Arqueociências. Um programa multidisciplinar para a Arqueologia sob a tutela da cultura. Trabalhos de Arqueologia, 29, IPA, Lisboa. 2003.

AZEVEDO NETTO, Carlos X; KRAISCH Adriana M. P. de O.; ROSA, Conrad R. Territorialidade e arte rupestre – inferências iniciais acerca da distribuição espacial dos sítios de arte rupestre na região do Cariri paraibano. Revista de Arqueologia. 2007, 20:51-65.

AZEVEDO NETTO, Carlos X., DUARTE, Patrícia; OLIVEIRA, Adriana M. P. de. Uma visão arqueológica da relação entre cultura e ambiente: a inserção ambiental dos sítios arqueológicos do município de São João do Cariri, Paraíba. Ñanduty, Dourados, 2012. 1:116-129.

AZEVEDO NETTO, Carlos X., ROSA, Conrad R.; MIRANDA, Pablo G. de. Semiótica dos sítios cerâmicos da Região do Cariri Ocidental – PB. CLIO, Série Arqueológica, Recife, 2011. 2:265-288.

BEVAN, Andrew; LAKE, Mark. Computational approaches to archeological spaces. University College London Institute of Archaelogy Publications: Computational Approaches to Archaeological Spaces. Walnut Creek, CA, USA. 2013.

BINFORD, Lewis R. Archeological systematics and the study of culture process. American Antiquity, v. 31, n. 1, 1965. 203-210.

BRITO NEVES, B. DE ; SCHMUS, W. R. VAN; SANTOS, E.J. DOS; CAMPOS NETO, M. C.; KOZUCH, M. O evento Carirís Velhos na província Borborema: Integração de dados, implicações e perspectivas, Revista Brasileira de Geociências, 1995. 25(4):279-296.

BUTZER, Karl W. Challenges for a cross-disciplinary geoarchaeology: the intersection between environmental history and geomorphology. Geomorphology, 101, 2008. 402-411.

CASSETI, Valter. Sugestões para a compartimentação do relevo através do tratamento gráfico da informação. Boletim Goiano de Geografia. v. 1, n. 2, 1981. 54-67.

CASSIRER, Ernst. Antropologia filosófica. 2.ed. Tradução de Vicente Félix Queiroz. São Paulo: Mestre Jou. 1977.

CHRISTOFOLETTI, Antonio. Geomorfologia. São Paulo: Edgard Blücher, 1980.

COSTA, José J. D. Impactos Socioambientais das Políticas de Combate à Seca na Paraíba. Tese de Doutorado. São Paulo, Universidade de São Paulo. 2003.

CORREA, Antonio C. de B.; SILVA, Danielle G. Análise geomorfológica e morfoestratigráfica dos modelados deposicionais da área de Conceição das Crioulas, Salgueiro – PE: um subsídio para a reconstrução paleoambiental. Clio Arqueológica, v. 2, n. 19, 2005. p. 05-29.

CPRM – Serviço Geológico do Brasil. Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea. Diagnóstico do município de Camalaú, estado da Paraíba. Recife, CPRM/ PRODEEM. 2005. 22p.

DEL LAMA, Eliane A. Geologia e herança cultural. Revista Brasileira de Geociências, 2006. 2:379 – 381.

ESPINDOLA, Carlos R. Material de origem do solo. Revista do Instituto Geológico, São Paulo, 38(1), 2017. p. 59-70.

FAIRBAIRN, David. The effectiveness of cartographic visualisations in landscape archeology. Proceedings of the International Cartographic Association, 2017.

GOLDBERG, Paul; MEIGNEN, Liliane; MALLOL, Carolina. Geoarchaeology, site formation and transitions. In: SHEA, J. J.; LIEBERMAN, D.F. (ed.). Transitions in prehistory: essas in honor of Ofer Bar-Yousef., 2009.

GUPTA, Neha; DEVILLERS, Rodolphe. Geographic visualization in archeology. Journal Archeological Method Theory. 2017. 24: 858-885.

HONORATO, Laina da C. Arqueologia da paisagem e geoarqueologia: experiências em projetos de pesquisa. TOPOS, 2009. 1:127 – 147.

HORTON, Robert E., Erosional development of streams and their drainage basin: hidrographical approach to quantitative morphology. Geological Society of American Bulletin, Colorado, v.56, n.3, 1945.p. 275-370.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia Estatística. Manual técnico de geomorfologia. IBGE, Rio de Janeiro, RJ, 2009.

INGOLD, Tim. Estar vivo – Ensaios sobre movimento, conhecimento e descrição, Petrópolis, Vozes. 2011.

INGOLD, Tim. Trazendo as coisas de volta à vida: emaranhados criativos num mundo de materiais, in Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, 2012. 37:25-44.

ISNARDIS, Andre; LINKE, Vanessa. Pedras pintadas, paisagens construídas: a integração de elementos culturalmente arquitetados na transformação e manutenção da paisagem. Revista de Arqueologia, São Paulo, 2010. 1:41-58.

LONGLEY, Paul A.; GOODCHILD, Michael F.; MAGUIRE, David J.; RHIND, David W. Geographical Information Systems and Science. 2nd Edition, John Wiley & Sons Ltd. 2005.

LUCENA, Veleda. A ocupação humana e os processos deposicionais. Clio, n. 3. 1986. p. 169-175.

MABESOONE, J. M; LOBO, Helia R. C. Paleosols as stratrigaphic indicators for the Cenozoic history of Northeastern Brazil. Catena, v. 7, 1980. 67-78.

MAIA, Rubson P.; BEZERRA, Francisco H. R. Condicionamento estrutural do relevo no Nordeste Setentrional Brasileiro. Mercartor, v. 13, n. 1, Fortaleza, 2014. 127-141.

MARTIN, Gabriela. Pré-História do Nordeste do Brasil. 5ªed. Recife: Universitária/UFPE. 2008.

MARTIN, Gabriela; ASON, Irma. A tradição Nordeste na arte rupestre do Brasil. Clio Arqueológica. n. 14, 2000. 99-109.

MATOS, Francisco de Assis Soares de. Os antropomorfos no registro rupestre do semiárido paraibano: caracterização das representações na Microrregião do Cariri Ocidental / Francisco de Assis Soares de Matos. – Recife, 2015. 187 f.: il. ; 30 cm.

MORAIS, Jose L. de. Tópicos de arqueologia da paisagem. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, 2000. 10:3 – 30.

NEVES, Cristiane M. Um olhar para o Município de Camalaú: Potencialidades Turísticas no Cariri Paraibano. 2010. Monografia (Graduação), Geografia, Universidade Federal da Paraíba - UFPB), João Pessoa. 2010.

OLIVEIRA, Adriana M. P. de. Entre a pré-história e a história: em busca de uma cultura histórica sobre os primeiros habitantes do Cariri Paraibano. Dissertação de Mestrado. João Pessoa, Universidade Federal da Paraíba. 2009.

PEUVAST, Jean-Pierre; SALES, Vanda Claudino. Aplainamento e geodinâmica: revisitando um problema clássico em geomorfologia. Mercator – Revista de Geografia da UFC, ano1, n. 1, 2002. 1-38.

RUBIN, Julio Cezar Rubin de; SILVA, Rosiclér T. Arqueologia, dinâmica das vertentes e perdas de solo. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, 14, 2004. 179-193.

SANTOS, Adelson. Geomorfologia na pesquisa arqueológica. Clio Série Arqueológica. n. 12, 1997. 205-214.

SILVA, Jorge X. da. Geomorfologia, análise ambiental e geoprocessamento. Revista Brasileira de Geomorfologia, v. 1, n. 1, 2000. 48-58.

SOUZA, Alfredo M.. Dicionário de arqueologia. ADESA, Rio de Janeiro. 1997.

SOUZA, Thiago Fonseca de. Espaço e Apropriação Cultural - As Paisagens dos Sítios Arqueológicos de Camalaú, PB. Monografia (Licenciatura Plena em História), Departamento de História, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa. 2013.

SOUZA, Thiago Fonseca de. Pinturas rupestres e paisagem: um estudo de caso das representações zoomórficas do Vale do Catimbau – PE. Dissertação de Mestrado. Recife, Universidade Federal de Pernambuco. 2016.

SUGUIO, Kenitiro. A importância da geomorfologia em geociências e áreas afins. Revista Brasileira de Geomorfologia, v. 1, n. 1. 2000. p. 80-87.

STEIN, Julie K. A review of site formation processes and their relevance to geoarcheology. In: GOLDENBERG, P.; HOLLIDAY, V.T.; FERRING, C. R. (org.). Earth sciences and archeology. Kluwer Academic/ Plenum Publishers. 2001.

TRICART, Jean. Ecodinâmica. IBGE, Rio de Janeiro. Diretoria Técnica, 1977.

VARNES, David J. The logic of geological maps, with reference to their interpretation and use for engineering purposes. U.S. Geological Survey Professional Paper, 837, 1974.

Downloads

Publicado

2021-01-31

Como Citar

AZEVEDO NETTO, C. X. de; RODRIGUES ROSA, C.; FONSECA DE SOUZA, T. Situação geomorfológica dos sítios arqueológicos no município de Camalaú – Paraíba. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 34, n. 1, p. 177–195, 2021. DOI: 10.24885/sab.v34i1.752. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/752. Acesso em: 16 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigo