Desvios e encantados

Uma outra arqueologia da paisagem na Amazônia

Autores

Palavras-chave:

arqueologia da paisagem, conhecimentos tradicionais, antropização

Resumo

Neste ensaio pretendo abordar os enfoques recentes da Arqueologia Amazônica, trazendo sua aproximação com aspectos da Ecologia Histórica junto as práticas arqueológicas engajadas com coletivos diversos e a tendência de estreitar laços com a Etnologia e com a Antropologia contemporâneas. Busco, por minha experiência pessoal e de pesquisa, justificar alguns desdobramentos de minhas reflexões sobre a centralidade das marcas humanas nas paisagens e a nossa preocupação arqueológica de demonstrar o impacto antrópico sobre a floresta. Tento calibrar essas noções com as formas ribeirinhas, indígenas e tradicionais de relacionamento com o mundo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBERTI, Benjamin. Archaeologies of Ontology. Annual Review of Anthropology. 45:163–79, 2016. DOI: https://doi.org/10.1146/annurev-anthro-102215-095858.

ALMEIDA, Mauro. Caipora e outros conflitos ontológicos. R@u – Revista de Antropologia da UFSCar, vol. 5(1): 7-28. 2013. http://www.rau.ufscar.br/wp-content/uploads/2015/05/vol5no1_01.MauroAlmeida.pdf

BALÉE, William. O Programa de Pesquisa da Ecologia Histórica. (Tradução). Cadernos do Lepaarq. V.14, n.28, p. 180-212, 2017. Doi: https://doi.org/10.15210/lepaarq.v14i28.12675

BARRETO, Cristiana. Meios místicos de reprodução social: arte e estilo na cerâmica funerária da Amazônia antiga. Tese (Doutorado em Arqueologia) Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

BARRETO, Cristiana & OLIVEIRA, Erêndira. Para além de potes e panelas: cerâmica e ritual na Amazônia Antiga. Habitus. v. 14, n.1, p. 51-72. 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.18224/hab.v14.1.2016.51-72

BEZERRA, Marcia. O machado que vaza ou algumas notas sobre as pessoas e as superfícies do passado presente na Amazônia. Vestígios. Revista Latino-Americana de Arqueologia Histórica, v. 12, p. 51-58, 2019. DOI: https://doi.org/10.31239/vtg.v12i2.12198

BEZERRA, Marcia. Teto e Afeto: Sobre as Pessoas, as Coisas e a Arqueologia na Amazônia. 1. ed. Belém: GK Noronha, 2017

CABRAL, Mariana Petry. Entre passado e presente: arqueologia e coletivos humanos na Amazônia. Teoria e Sociedade. 24 (2): 76-91, 2016.

CABRAL, Mariana Petry. De cacos, pedras moles e outras marcas: percursos de uma arqueologia não-qualificada. Amazônica: Revista de Antropologia. 6 (2): 314-331. 2014 a. DOI: http://dx.doi.org/10.18542/amazonica.v6i2.1871

CABRAL, Mariana Petry. E se todos fossem arqueólogos? Experiências na Terra Indígena Wajãpi. Anuário Antropológico, 39 (2): 115-132. 2014 b. DOI: https://doi.org/10.4000/aa.1269

COSTA, Bernardo L. S. da. Levantamento Arqueológico na RDS Amanã – Estado do Amazonas. Dissertação (Mestrado em Arqueologia). Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, São Paulo, 160 p. 2012..

FAULHABER, Priscila. A reinvenção da identidade indígena no médio Solimões e no Japurá. Anuário Antropológico, v. 21, n. 1, p. 83-102, 2018 [1997].

FAUSTO, Carlos & NEVES, Eduardo Góes. Was there ever a Neolithic in the Neotropics? Plant familiarisation and biodiversity in the Amazon. Antiquity, v. 92: 1604-1618. 2018. DOI: https://doi.org/10.15184/aqy.2018.157

GARCIA, Lorena. Paisagens do médio-baixo Xingu: arqueologia, temporalidade e historicidade. Tese (Doutorado em Arqueologia) Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

GOMES, Denise Maria Cavalcante. O perspectivismo ameríndio e a ideia de uma estética americana. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, v. 7, p. 133-159, 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S1981-81222012000100010

GOMES, Jaqueline. Pessoas, Arqueologia e Paisagens na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã, Médio Solimões, Amazonas. Teoria e Sociedade. 24 (2): 92-114, 2016.

GOMES, Jaqueline. Cronologia e Mudança Cultural na RDS Amanã: Um estudo da fase Caiambé da Tradição Borda Incisa. Dissertação de Mestrado (Arqueologia). Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, 2015.

GOMES, Jaqueline, Rafael Costa e Santos e Bernardo Costa. Arqueologia Comunitária na RDS Amanã: história, alteridade e patrimônio arqueológico. Amazônica: Revista de Antropologia (Online), v. 6: 395-417. 2014. DOI: http://dx.doi.org/10.18542/amazonica.v6i2.1874

GONÇALVES, Marco Antônio. O Mundo Inacabado: Ação e Criação em uma Cosmologia Amazônica. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ. 2001.

HABER, Alejandro. Al Otro Lado del Vestigio: políticas del conocimiento y arqueología indisciplinada. Editorial Universidad del Cauca, Popayán; JAS Arqueología, Madrid; Ediciones del Signo, Buenos Aires. 2017.

HARAWAY. Donna. Antropoceno, Capitaloceno, Plantationoceno, Chthuluceno: fazendo parentes. Trad. Susana Dias, Mara Verônica e Ana Godoy. ClimaCom – Vulnerabilidade [Online], Campinas, ano 3, n. 5, 2016. Disponível em: http://climacom.mudancasclimaticas.net.br/antropoceno-capitaloceno-plantationoceno-chthuluceno-fazendo-parentes/#_ednref10

HOLBRAAD, Martin; PEDERSEN, Morten; VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. 2019. A política da ontologia: posições antropológicas (Tradução). Ayé: Revista de Antropologia - v. 1, n. 1. http://www.revistas.unilab.edu.br/index.php/Antropologia/article/view/286/139

INGOLD, Tim. Estar Vivo: Ensaios sobre movimento, conhecimento e descrição. Editora Vozes, Petrópolis, 2019.

JÁCOME, Camila. Dos Waiwai aos Pooco - Fragmentos de história e arqueologia das gentes dos rios Mapuera (Mawtohrî), Cachorro (Katxuru) e Trombetas (Kahu). Tese (Doutorado em Arqueologia). Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo. 2016.

KOHN, Eduardo. Como os cães sonham. Ponto Urbe [Online], n 19 , pp 1-35, 2016. DOI: https://doi.org/10.4000/pontourbe.3326

KRENAK, Ailton. Ideias para Adiar o Fim do Mundo. Companhia das Letras. São Paulo. 2019.

LATOUR, Bruno. Perspectivism: ‘type’or ‘bomb’? Anthropology Today 25(2):1–2. 2009. https://doi.org/10.1111/j.1467-8322.2009.00652.x

LATOUR, Bruno. Jamais fomos modernos. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1994.

LIMA, Deborah. O Homem Branco e o Boto: o encontro colonial em narrativas de encantamento e transformação (Médio Rio Solimões, Amazonas). Teoria & Sociedade. Número Especial: Antropologias e Arqueologias hoje. pp. 173-201. 2014.

LIMA, Deborah. The social category caboclo: History, social organization, identity and outsider's social classification of the rural population of an Amazonian region (the middle Solimões). Tese (Doutorado em Antropologia), Universidade de Cambridge, 1992.

MACHADO, Juliana. Arqueologia e história nas construções de continuidade na Amazônia. Boletim Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas [online] vol.4, n.1, pp.57-70. 2009. https://doi.org/10.1590/S1981-81222009000100006.

MACHADO, Juliana. Lugares de Gente: mulheres, plantas e redes de troca no delta amazônico. Tese (Doutorado em Antropologia). Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro, 350 p. 2012.

MENESES, Ulpiano T. Bezerra de. A identidade da arqueologia brasileira. Estudos Avançados, 29(83), 19-23. 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-40142015000100003

MARSHALL, Yvonne; ALBERTI, Benjamin. A Matter of Difference: Karen Barad, Ontology and Archaeological Bodies. Cambridge Archaeological Journal 42,1: 19-­36. 2014. DOI: https://doi.org/10.1017/S0959774314000067

MORAES, Irislane Pereira de. Do tempo dos Pretos d'antes aos Povos do Aproaga: Patrimônio arqueológico e territorialidade quilombola no vale do rio Capim (PA). Dissertação (Mestrado Antropologia concentração Arqueologia), Universidade Federal do Pará. 237p. 2012. http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/4038

NEVES, Eduardo Góes. Existe algo que se possa chamar de "arqueologia brasileira"? Estudos Avançados, 29(83), 07-17. 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-40142015000100002

NEVES, Eduardo G.; HECKENBERGER, Michael J. The Call of the Wild: Rethinking Food Production in Ancient Amazonia. Annual Review of Anthropology, v. 48, p. 371-388, 2019. DOI: https://doi.org/10.1146/annurev-anthro-102218-011057

OLIVEIRA, Mariana. Passar para Indígena na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã (AM). 2011. Dissertação (Mestrado em Antropologia); Programa de Pós-Graduação em Antropologia, Universidade Federal de Minas Gerais, 2011.

OLIVEIRA, Joana Cabral de. Mundos de roças e florestas. Boletim Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências humanas [online]. vol.11, n.1, pp.115-131, 2016. DOI: https://doi.org/10.1590/1981.81222016000100007.

OLSEN, B. Symmetrical archaeology. In HODDER, Ian. (ed) Archaeological Theory Today. Polity. 2ª ed. 2012.

ROCHA, Bruna Cigaran; BELETTI, Jaqueline; PY-DANIEL, Anne Rap; MORAES, Claide; OLIVEIRA, Vinicius. Na Margem e à Margem: Arqueologia Amazônica em Territórios Tradicionalmente Ocupados. Amazônica: Revista de Antropologia (Online), 6 (2): 358-384. 2014. DOI: http://dx.doi.org/10.18542/amazonica.v6i2.1873

SILVA, Fabíola. Arqueologia colaborativa com os Asurini do Xingu: Um relato sobre a pesquisa no igarapé Piranhaquara, T.I. Koatinemo. Revista de Antropologia, 58 (2), 143-72.2015. DOI: https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2015.108570.

TAMANAHA, Eduardo; AMARAL, Márcio; CASSINO, Mariana; LIMA, Silvia; NEVES, Eduardo; FURQUIM, Laura; LIMA, Marjorie; SILVA, Maurício; GOMES, Jaqueline; CARNEIRO, Carla. Diálogo e práticas arqueológicas. In: Sociobiodiversidade da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá. 1ed.Tefé: IDSM, 2019, v. 1, p. 152-168.

TSING, Anna. Viver nas ruínas: paisagens multiespécies no antropoceno. Thiago Mota Cardoso, Rafael Victorino Devos. Brasília: IEB Mil Folhas, 2019.

TSING, Anna. Margens Indomáveis: cogumelos como espécies companheiras. ILHA v. 17, n. 1, p. 177-201, 2015.

Downloads

Publicado

2021-05-30

Como Citar

GOMES, J. . Desvios e encantados: Uma outra arqueologia da paisagem na Amazônia. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 34, n. 2, p. 61–73, 2021. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/826. Acesso em: 19 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigo