Processos de formação e processos antrópicos no abrigo de Itapeva/SP

contribuições da micromorfologia de solos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v34i1.835

Palavras-chave:

micromorfologia de solos, processos formativos, processos antrópicos

Resumo

O estudo da micromorfologia do solo é uma ferramenta útil para detectar materiais arqueológicos que os arqueólogos não conseguem avistar nas escavações. O objetivo deste artigo é revelar vestígios de ocupação humana a partir de uma análise micromorfológica. Os resultados são derivados da produção de seções delgadas que descrevem materiais de duas áreas diferentes do sitio, denominadas unidades de escavação D18 e G6, referentes às áreas norte e sul, e apontam para a existência de um solo antropogênico com formação de fogueiras. Conclui-se que o sedimento formado é uma mistura de areia, cinza, madeira e argila, que foi depositado em longos períodos e é derivado da ocupação humana e da deposição natural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Fernando O.; MIGUEL, Rucirene; PEDOTT, Rafael; MONMA, Ricardo; BASSI; Fillipo S.; Amaral, Daniela M. Os ceramistas Jê nos arranha-céus do alto Ribeira: Uma análise espacial Itararé-Taquara. Cadernos do Leepaarq, v.14, n. 27, p.409-434, ja-jun, 2017.

ARAUJO, Astolfo. G. M. 2001. Teoria e método em arqueologia regional: um estudo de caso do alto Paranapanema, estado de São Paulo. (Doutorado em Arqueologia). Museu de Arqueologia e Etnologia. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

ARARIPE, Tristão. A. Cidades petrificadas e inscrições lapidares no Brazil. Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro, T. 50, v.74, pt.1, p.213-294, 1887.

AYTAI, Desiderio. As gravações rupestres de Itapeva. Revista da Universidade Católica de Campinas, n.33, p.29-61,1972.

BALME, Jane; PATERSON, Alistair. Archaeology in practice. A student guide to archaeological analyses. ed. Malden, S/E. Blackwell Pub, 2006.

BARRETO, Cristiana. Brazilian archaeology from a Brazilian perspective. Antiquity, n.72: p. 573-581, 1998.

BAR-YOSEF, Ofer; BELFER-COHEN, Anna. From Sedentary Hunter-Gatherers to Territorial Farmers in the Levant. In: GREEG, S.A (Ed.) Between Bands and States. Carbondale, Illinois: Southern Illinois University, Center for Archaeological Investigations, occasional Paper, 1991, p.81-202,

BAR YOSEF, Ofer. A personal view of earth science´s contributions to archaeology. In: GOLDBERG, Paul; HOLLIDAY, Vance; FERRING, R (eds). Earth Sciences and Archaeology. New York: Kluwer Academic Plenum Publishers. 2001, p. 473-488.

BERGARMASCHI, Sergio. 1999. Análise do Siluro-Devoniano (Formação Furnas e Ponta-Grossa) da sub bacia de Apucarana, Bacia do Paraná, SP. (Doutorado em Geologia) Instituto de Geociências, Universidade de São Paulo, São Paulo,1999.

BERNA, Franscesco; BEHAR, Adir; SHAHACK-GROSS; BOARETTO, Elisabetta; GILBOA, Aylet.; SHARON, Ilan; SLAVEV, Sariel; SHIELTEN, Sana; MARK, Naama; ZORN, Jeffrey; WEINER, Steve. Sediments exposed to high temperatures: Reconstructing pyrotechnological processes in Late Bronze and Iron Age Strata at Tel Dor (Israel). Journal of Archaeological Science, n.34, p.358–373, 2007.

BITENCOURT, Ana Luisa Vietti. Morphogenèse, Quaternaire et Archéologie en Millieu Karstique: le site du Morro Furado, Serra do Ramalho (Bahia) - Brésil. (Doctorat en Geologie) - Université de Caen, Basse-Normandie, 1998.

BREWER, Roy. Fabric and Mineral Analysis of Soils. New York: John Wiley & Sons, 1964.

BUTZER, Karl. W. Archaeology as human ecology: method and theory for a contextual approach. S/E, Cambridge, Cambridge University Press, 1982.

CANTI, Mathew G; Linford, Mary. The effects of fire on archaeological soils and sediments: Temperature and colour relationships. Proceedings of the prehistoric society, N.66, p.385-395, 2000.

CASTRO, Selma S. Micromorfologia de solos. Base para descrição de lâminas delgadas. 2˚ edição. Campinas/Goiânia Unicamp IG, DGEO,UFG-IESA, 2008.

COURTY, Marie A; GOLDBERG, Paul; MACHPHAIL, Richard. Soils and Micromorphology in Archaeology. 2. ed. Cambridge: Cambridge University Press, 1991.

COURTY, Marie A. Microfacies analysis assisting archaeological stratigraphy. In: Goldberg, Paul; Holliday, Vance, T; Ferring, Reid (ed). Earth Sciences and Archaeology. New York: Kluwer Academic/Plenum Publishers, 2001. p. 205-293.

CHMYZ, Igor. Pesquisas Paleoetnológicas Paleoetnográficas efetuadas no Vale do rio Paranapanema, Paraná e São Paulo. Boletim de Psicologia e Antropologia. n.5, p.01-248, 1977.

CHMYZ, Igor. Considerações sobre duas novas tradições ceramistas arqueológicas no Estado do Paraná. Pesquisas, Série Antropologia. São Leopoldo; Instituto Anchietano de Pesquisas, n. 18, p.115-125, 1968.

CHMYZ, Igor. O sítio arqueológico PR-UV-01 (Abrigo sob Rocha Casa de Pedra). Arqueologia. Revista do CEPA. Curitiba, UFPR, n.3, p. 1-140, 1967.

CHMYZ, Igor. Dados parciais sobre a arqueologia do Vale do Paranapanema, PRONAPA 1. Resultados preliminares do 1º ano (1965-1966). Belém: Publicações Avulsas do Museu Paraense Emílio Goeldi, n. 6, p.59-78, 1967.

DeBLASIS, Paulo, Antonio. D. Resgate arqueológico no traçado Gasoduto Bolívia-Brasil (Gasbol) no estado de São Paulo: trechos IX e X (de Paulínia a fronteira com o Paraná. Relatório final, Universidade de Sao Paulo, 2000.

EIDT, Robert. C. Theoretical and practical considerations in the analysis of anthrosols. In: Rapp, George, Jr & Gifford, John.A (eds). Archaeological Geology. S/E, New Haven, Yale University Press, 1985. p. 155-190.

EMBRAPA. Manuais técnicos em geociências. 3 ed, Rio de Janeiro, Manual técnico de pedologia, 2015.

FARRAND, William. R. Archaeological sediments in rockshelters and caves. In: STEIN, Julie; K; FARRAND, William. R. (Eds.). Sediments in Archaeological Context. Salt Lake City, UT: University of Utah Press, 2001, p. 29-66.

FOLK, Robert. L. Petrology of Sedimentary Rocks. 1 ed, Austin, TX: Hemphill Pub. Co. 1980.

FRENCH, Charles. Geoarcheology in action. Studies in soil micromorphology and landscape evolution. 1 ed, London and New York, Routledge. Taylor & Francis Group, 2003.

FILIZOLA, Heloisa. F; GOMES, Marco A. F. Coleta e impregnação de amostra de solo para análise de micromorfologia. Comunicado técnico 20. Embrapa, 2004.

HOELTZ, Sirlei E. 2005. Tecnologia lítica: Uma proposta de leitura para a compreensão das indústrias do Rio Grande do Sul, Brasil, em tempos remotos. (Doutorado em Arqueologia) Universidade Pontifícia Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, 2005.

GOLDBERG, Paul; MACPHAIL, Richard. Practical and theoretical geoarchaeology. S/E, Victoria-Australia, Blackwell Publishing, Oxford, 2006.

GUERRA, Antônio T. Novo Dicionário Geológico e Geomorfológico. 4 ed, Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 2005.

JACOBUS, André L; ROSA, André. O. Os antigos habitantes do quadrante patrulhense e os animais. Pesquisas, Antropologia, n.70, p, 241-254, 2013.

KAMASE, Luciane M. Casas subterrâneas e feições doliniformes: um estudo de caso na bacia do alto Taquari (SP). (Dissertação de Mestrado), Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

KUBIENA, Walter L. Micropedology. 1 edition, Iowa, Collegiate Press, Ames, 1938.

LAMBERT, Joseph. B. Traces of the past. Unraveling the secrets of archaeology through chemistry. S/E, Massachusetts Helix Books, Addison–Wesley, Reading, 1997.

MAACK, Reinhard. Vestígios pré-devonianos de glaciação e a sequência de Camadas Devonianas no estado do Paraná. Curitiba: Instituto de Biologia e Pesquisas Tecnológicas. Breves notícias sôbre a geologia dos estados do Paraná e Santa Catarina. Arquivos de Biologia e Tecnologia. n.2, p. 66-154, 1947.

MORAIS, José L. A ocupação do espaço em função das formas de relevo e o aproveitamento das reservas petrográficas por populações pré-históricas do Paranapanema, SP. São Paulo, Coleção Museu Paulista, Série Arqueologia,1979.

MORAIS, José L. Inserção geomorfológica de sítios arqueológicos do Alto Paranapanema, SP. Revista do Museu Paulista. Nova série. São Paulo, n.25, p. 65-85,1978.

NOELLI, Franscisco S. A ocupação humana na região sul do Brasil: Arqueologia, debates e perspectivas. Revista USP, São Paulo, n.44, p. 218-269, (1999-2000).

PALLESTRINI, Luciana. Sítio Nunes. Estado de São Paulo. Projeto Paranapanema: Sítio Arqueológico Nunes, Estado de São Paulo. Revista do Museu Paulista, Nova Série. São Paulo, N.33, p.129-142, 1978.

PALLESTRINI, Luciana. O espaço habitacional em pré-história brasileira. Revista do Museu Paulista, Nova Série. São Paulo, n.25, p. 69-85, 1978.

PALLESTRINI, Luciana. Interpretação de estruturas arqueológicas em sítios do Estado de São Paulo. Revista do Museu Paulista, Série Arqueológica. São Paulo, n.1, p.1-208, 1975.

PALLESTRINI, Luciana. Sítio arqueológico Alves. Revista do Museu Paulista, Nova Série. São Paulo, n.21, p.47-94, 1974.

PALLESTRINI, Luciana. Sítio Arqueológico Fonseca. Revista do Museu Paulista; São Paulo, Universidade de São Paulo. 1969.

PALLESTRINI, Luciana. O sítio arqueológico “Jango Luís”. Revista do Museu Paulista, Nova Série. São Paulo, n.18, p.26-56, 1968.

PALLESTRINI, Luciana; CHIARA, Philomena. Indústria lítica de Camargo 76, município de Piraju, Estado de São Paulo. Coleção Museu Paulista, Série Ensaios. Coletâneas de Estudos em homenagem a Annete Laming-Emperaire. São Paulo, n.2, p. 83-122, 1978.

PALLESTRINI, Luciana; MORAIS, José L. Prassévichus: aldeia pré-histórica no município de Itaberá, SP. Revista do Museu Paulista, Nova Série. São Paulo, n.29, p. 151-167, (1983/84).

PALLESTRINI, Luciana; PERASSO, José G. A Arqueologia: Método y técnicas em superfícies amplias. Biblioteca Paraguaya de Antropologia, IV. Centro de Estudos Antropológicos, Universidade Católica, Asunción. 1984.

PERROTTA, Roberto M. 2015. Caracterização da Indústria Cerâmica do Sítio Bianco (Itapeva-SP). Possíveis Correlações Culturais. (Dissertação de Mestrado), Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

PETRI, Setembrino; FULFARO, Vicente. J. Considerações geológicas sobre a região de Itapeva, SP. Boletim da Sociedade Brasileira de Geologia. n.16, p. 25-40 1967.

PROUS, André. Premiére information sur les maisons souterraines de l´état de São Paulo. Revista de Pré-História, n.1, p.27-145, 1979.

ROBRAHN, Erika M. 1989. A ocupação pré-colonial do Vale do Ribeira de Iguape, SP: os grupos ceramistas do médio curso. (Dissertação de Mestrado), Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1989.

STOOPS, Georges. Guideline for Analysis and Description of Soil and Regolith Thin Section. Editor America, Austin Soil Society of America, 2003.

STOOPS, Georges; MARCELINO, Vera; MEES, Flories. Interpretation of micromorphological features of soils and regoliths. S/E, Amsterdam, Boston, London, New York, Oxford, Paris, San Diego, San Francisco, Singapore Sydney, Tokyo, Elsevier. 2010.

WADLEY, Lyn. Cemented ash as receptacle or work surface for ochre powder production at Sibudu, South Africa, 58.000 years ago. Journal of Archaeological Science, n.37, p. 2397-2406, 2010.

Downloads

Publicado

2021-01-31

Como Citar

SOUZA, T. de .; PORTO, V. C. Processos de formação e processos antrópicos no abrigo de Itapeva/SP: contribuições da micromorfologia de solos. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 34, n. 1, p. 271–287, 2021. DOI: 10.24885/sab.v34i1.835. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/835. Acesso em: 16 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigo