Proarq Audiovisual: o papel do audiovisual e das mídias sociais na difusão e popularização da arqueologia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v37i2.1178

Palavras-chave:

Linguagem audiovisual, Mídias Sociais, Divulgação científica, Popularização da Arqueologia, Proarq Audiovisual

Resumo

O presente artigo aborda o uso do audiovisual e das mídias sociais na divulgação e popularização da arqueologia, por meio do estudo de caso do projeto Proarq Audiovisual. O objetivo é compreender as possibilidades e desafios da comunicação científica na arqueologia acadêmica, destacando o papel da linguagem audiovisual e das mídias sociais na transmissão de informações precisas e confiáveis sobre a arqueologia brasileira. O estudo ressalta a importância de aprimorar as práticas de comunicação científica e promover uma cultura científica pública. O projeto Proarq Audiovisual, ao utilizar vídeos e mídias sociais, buscou estabelecer um diálogo direto com o público interessado em arqueologia. O artigo contribui para uma melhor compreensão da divulgação científica na arqueologia e propõe o uso integrado do audiovisual e das mídias sociais como estratégias eficazes para a disseminação do conhecimento arqueológico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriano da Silva Ferreira, Universidade Federal de Sergipe

Bacharel em Arqueologia pelo Departamento de Arqueologia da Universidade Federal de Sergipe (UFS).

Leandro Domingues Duran, Universidade Federal de Sergipe

Doutor em Arqueologia. Professor no Departamento de Arqueologia da Universidade Federal de Sergipe (UFS), cocoordenador do Laboratório de Arqueologia de Ambientes Aquáticos (LAAA-UFS).

Luis Felipe Freire Dantas Santos, Universidade Federal de Sergipe

Doutor em Arqueologia, bolsista de pós-doutorado Capes (PDPG-POSDOC) do Programa de Pós-Graduação em Arqueologia da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Instituto AfrOrigens.

Referências

ALVES-BRITO, A; MASSONI, N. T; GUIMARÃES, R.R Subjetividades da

comunicação científica: A educação e a divulgação científicas no Brasil têm sido estremecidas em tempos de pós-verdade?. Caderno brasileiro de ensino de Física, v. 37, n.3, p.1598-1627, 2020.

BAIMA, Carlúcio; BIONDO, Fernanda; NITO, Mariana Kimie. Educação Patrimonial no Campo da Arqueologia: desafios e contribuições. Revista Arqueologia Pública, v. 9, n. 3 [13], p. 1-11, 2015.

BERNARDET, Jean-Claude. O que é cinema. 1. ed. São Paulo, SP: Brasiliense, 1980.

BIERNATH, André. Ratanabá: arqueólogo explica por que lenda de 'cidade perdida na Amazônia' não faz sentido. G1 Meio Ambiente, jul.2022.

BUENO, Wilson Costa. Comunicação científica e divulgação científica: aproximações e rupturas conceituais. Inf. Inf., Londrina, v.15, p.1-12, 2010.

CARNEIRO, Carla Gibertoni. Educação Patrimonial e Arqueologia: alguns aspectos desta interface. Amazônica-Revista de Antropologia, v. 6, n. 2, p. 442-458, 2014.

CERQUEIRA, Fábio Vergara et al. Programa Memoriar: sensibilização de jovens para a diversidade identitária por meio da educação patrimonial. Encontro do Núcleo Regional Sul da Sociedade de Arqueologia Brasileira, V. Anais... São Leopoldo: Ed. Unisinos, p. 1-8, 2006.

DIAS, Camila Delmondes et al. Divulgando a arqueologia: comunicando o conhecimento para a sociedade. Ciência e Cultura, v. 65, n. 2, p. 48-52, 2013.

LIMA, Guilherme da S.: GIORDAN, Marcelo. Da reformulação discursiva a uma práxis da cultura cientifica: Reflexões sobre a divulgação cientifica. História, Ciências, Saúde, - Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 28, n.2, p.375-392, 2021.

MANSO, Bruno L.C. Divulgação Científica: O Desafio de popularizá-la na própria ciência. Revista do EDICC, v.1, p.47-57, 2012.

MARINHO, Cláudio R. Patrimônio Arqueológico e Mídias Sociais: ações de educação patrimonial e de divulgação científica em arqueologia. Dissertação de mestrado. Universidade Federal de Pernambuco. Recife, PE, 2021.

MARTIN, Marcel. A linguagem cinematográfica. Tradução de Lauro António e Maria Eduarda Colares. Lisboa: Dinalivro, 2005.

MASSOLA Gustavo M.: CROCHÍK, José L.; SVARTMAN, Bernardo P. Por uma crítica da divulgação científica. Psicologia USP, v. 26, n. 3, p.310-315, 2015.

MELO, José Marques de. (Ed.). Enciclopédia Intercom de comunicação. São Paulo, SP: Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, 2010.

MORAES, A. S.; LIMA, R. V. O uso do audiovisual na divulgação científica da arqueologia: possibilidades e desafios. In: Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n. 68, p. 96-109, 2019.

MORENO DE SOUSA, JOÃO CARLOS. Internet Use for Archaeological Education. In: Smith, Claire. (Org.). Encyclopedia of Global Archaeology. 2ed.Cham: Springer International Publishing, 2018, v., p. 1-10.

NATAL, Camila B.: ALVIN, Marcia H. A divulgação científica e a inclusão social.

Revista do EDICC, v.5, n.1, p.76-86, 2018.

NICHOLS, Bill. Introdução ao documentário. 3ª Ed. Campinas: Papirus, 2008.

SANTAELLA, Lucia. De onde vem o poder da mentira?. Estação das Letras e Cores Editora, 2021.

ROCHA, Débora B. Sobre a aposentadoria compulsória de Indiana Jones: Uma análise sobre a Arqueologia no YouTube entre 2010 e 2019. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal de Sergipe. Laranjeiras, SE, 2022.

SILVA, Marcelo M. Comunicação e Divulgação Científica em Arqueologia. Revista de Arqueologia SAB, v. 30, n. 1, p. 45-56, 2017.

SOARES, Sergio J. P. Documentário e roteiro de cinema: da pré-produção a pós- produção. Tese de doutorado. Universidade Federal de Campinas. Campinas, SP, 2007.

TEGA-CALIPPO, G. M. V. Arqueologia em notícia: pesquisas impressas, sentidos circulantes e memórias descobertas. Dissertação de Mestrado. Unicamp. Campinas, SP, 2012.

XAVIER, Ismail. O discurso cinematográfico: a opacidade e a transparência. São Paulo: Paz e Terra, 2005.

Downloads

Publicado

2024-05-15

Como Citar

FERREIRA, Adriano da Silva; DURAN, Leandro Domingues; SANTOS, Luis Felipe Freire Dantas. Proarq Audiovisual: o papel do audiovisual e das mídias sociais na difusão e popularização da arqueologia. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 37, n. 2, p. 150–169, 2024. DOI: 10.24885/sab.v37i2.1178. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/1178. Acesso em: 24 jun. 2024.