Cognição e cultura no mundo material

Os itaparicas, os umbus e os lagoassantenses

Autores

  • João Carlos Moreno de Sousa

Palavras-chave:

Tecnologia lítica, Processo cognitivo, Transição Pleistoceno-Holoceno

Resumo

Este trabalho apresenta os resultados de uma pesquisa cujo principal objetivo foi analisar amostras de três coleções de indústrias líticas brasileiras datadas da transição Pleistoceno-Holoceno e Holoceno Inicial através de uma abordagem tecnológica com aplicações teóricas da abordagem cognitiva, a fim de compreender as principais diferenças e similaridades da cultura material entre sociedades humanas contemporâneas de diferentes contextos

Para esta pesquisa foi selecionado um “sítio modelo” de cada indústria. O sítio arqueológico Gruta das Araras (GO-JA-03), localizado no complexo arqueológico de Serranópolis, Goiás, foi utilizado como modelo para compreensão da indústria lítica classicamente classificada como Tradição Itaparica. O sítio Laranjito (RS-I-69), localizado na margem esquerda do médio Rio Uruguai, no município de Uruguaiana, Rio Grande do Sul, foi utilizado como sítio modelo para a indústria Tradição Umbu. O sítio Lapa do Santo foi utilizado como sítio modelo para a indústria lítica da região de Lagoa Santa, Minas Gerais. Nesta análise foi dada uma ênfase maior aos vestígios líticos que não costumam ser classificados como artefatos formais, como por exemplo: as Lesmas, associadas à Tradição Itaparica; e as pontas bifaciais, associadas à Tradição Umbu.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-06-30

Como Citar

MORENO DE SOUSA, J. C. . Cognição e cultura no mundo material: Os itaparicas, os umbus e os lagoassantenses. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 28, n. 1, p. 171–173, 2015. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/422. Acesso em: 19 ago. 2022.

Edição

Seção

Resumo de Tese e Dissertação