Narrativas arqueológicas e museológicas sob rasura

provocações feministas

Autores

  • Camila A. de Moraes Wichers Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v20i2.543

Palavras-chave:

Arqueologia, Museus, Feminismos

Resumo

Historicamente, as práticas arqueológicas e museológicas estiveram associadas à construção de identidades nacionais, nas quais despontava uma forma de cidadão pleno: homem, branco, heterossexual e proprietário. Nesses contextos, as narrativas elaboradas pela Arqueologia e pelos museus podem ser compreendidas como mais um eixo de normatização e opressão. Nesse texto, percorro as reciprocidades entre a Arqueologia de Gênero e a Arqueologia Feminista, trazendo algumas provocações feministas inspiradas em abordagens queer e decoloniais no que concerne à construção de identidades e representações. Destaco, ainda, a necessidade de narrativas plurais e descentradas, constantemente deslocadas e recriadas nos processos de Musealização da Arqueologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-12-30

Como Citar

MORAES WICHERS, C. A. de . Narrativas arqueológicas e museológicas sob rasura: provocações feministas. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 30, n. 2, p. 35–50, 2017. DOI: 10.24885/sab.v20i2.543. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/543. Acesso em: 16 ago. 2022.