Caminhando no pluriverso: coisas, livusias e assombrações na perspectiva das arqueologias afetivas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v37i1.1109

Palavras-chave:

Livusias, Pluriverso, Arqueologias Afetivas

Resumo

Em nossos trânsitos pelo Sudeste e Sudoeste do Piauí, temos percebido que seguir as práticas arqueológicas pode produzir engajamentos com seres e eventos assombrados, que projetam para a dimensão da experiência, a existência de múltiplas realidades. Tais cruzamentos são expressos em narrativas que se relacionam em parte com o termo “livusia”. Argumentamos que, nessas interfaces, vêm sendo elaboradas algumas estratégias de construção de mundos e de associações entre seres e coisas, que desafiam os discursos autorizados sobre o patrimônio. Na conjuntura, discorreremos como as arqueologias abertas para diferentes formas de conhecimento estão bem posicionadas para refletir sobre interações que são sedimentadas nos territórios da sensorialidade e dos afetos, permitindo visualizar esboços do pluriverso, no contexto de uma ontologia política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro Elias Canaan Mageste, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Doutor em Arqueologia/MAE-USP. Docente do Programa de Pós-Graduação em Arqueologia e Colegiado de Arqueologia e Preservação Patrimonial da Universidade Federal do Vale do São Francisco. Coordenador do Laboratório de Preservação Patrimonial

Alencar de Miranda Amaral, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Doutor em Arqueologia. Docente do Programa de Pós-Graduação em Arqueologia e Colegiado de Arqueologia e Preservação Patrimonial da Universidade Federal do Vale do São Francisco e Programa de Pós-Graduação em Arqueologia da Universidade Federal de Pernambuco

Referências

ALBERTI, Benjamin. Archaeologies of Ontology. Annual Review of Anthropology, vol. 45, p.163-179, 2016.

ALVES, Vicente Eudes Lemos. As bases históricas da formação territorial piauiense. Geosul, vol. 18, n. 36, p. 55-76, 2003.

AQUINO, Théo P. N. De hospital a quartel: memórias e histórias da cidade de São Raimundo - PI. Monografia (Graduação em Arqueologia e Preservação Patrimonial) – Universidade Federal do Vale do São Francisco, São Raimundo Nonato, 2016.

ASSIS, Lucas Ribeiro dos Santos. Só ficou a história no mundo: arqueologia pública, narrativas colaborativas e patrimônios culturais de comunidades rurais do município de Jurema - PI. Dissertação (Mestrado em Arqueologia) - Universidade Federal do Vale do São Francisco, São Raimundo Nonato, 2021.

BELL, Michael Mayerfeld. The Ghosts of Place. Theory and Society, vol. 26, n. 6, p.813-836, 1997.

BEZERRA, Marcia. Teto e Afeto: Sobre as pessoas, as coisas e a Arqueologia na Amazônia. Belém: GKNoronha, 2017.

__________. O machado que vaza ou algumas notas sobre as pessoas e as superfícies do passado presente na Amazônia’. Revista Latino-Americana de Arqueologia Histórica, vol. 12, n. 2, 2019, p. 50-58.

BLASES, Mario; DE LA CADENA, Marisol. PLURIVERSE: Proposals for a World of Many Worlds. In: LA CADENA, Marisol; BLASER Mario (Eds.) A world of many worlds. Durham: Duke University Press, 2018, 2018, p.1-22.

BOEDA, Eric; CLEMENTE-CONTE, Ignacio; FONTUGNE, Michel; LAHAYE, Christelle; PINO, Mario; FELICE, Gisele D.; GUIDON, Niede; HOELTZ, Sirlei; LOURDEAU, Antoine; PAGLI, Marina; PESSIS, Anne-Marie; VIANA, Sibele; COSTA, Amelie.; DOUVILLE, Eric. A new late Pleistocene archaeological sequence in South America: the Vale da Pedra Furada (Piauí, Brazil). Antiquity, vol.88, p. 927–955, 2014.

BUCCO, Cristiane de Andrade. O caso da Serra da Capivara, vinte anos de socialização do conhecimento através da arte-educação. Revista ALTER IBI, vol. 1, n.1, p. 34-45, 2014.

CABRAL, Mariana Petry. No tempo das pedras moles: arqueologia e simetria na floresta. Tese (Doutorado em Antropologia com ênfase em Arqueologia) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2014.

CARD, Jeb J. Spooky Archaeology. Albuquerque: University of New Mexico Press, 2018.

CARR, Gilly. Concrete’s memory Positioning ghosts of war in the Channel Islands. Terrain Anthropologie & sciences humaines, vol. 69, p.1-13, 2018.

CASCUDO, Luís. C. Dicionário do Folclore Brasileiro. 10 Edição Rio de Janeiro: Edições de Ouro (Coleção Terra Brasilis). n.d.

CASTRO, Sádia Gonçalves de. Elogio do cotidiano: educação ambiental e a pedagogia silenciosa da caatinga no sertão piauiense. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2008.

CLOUGH, Patricia Ticineto. Introduction. In: CLOUGH, Patricia T.; HARLEY, Jean (Eds.) The Affective Turn: Theorizing the social. Durham: Duke University Press, 2007, p. 01-33.

DERRIDA, Jacques. Espectros de Marx. Tradução de Anamaria Skinner. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1994.

DESCOLA, Philippe. Beyond Nature and Culture. Chicago: University of Chicago Press, 2013.

ESCOBAR, Arturo. Más allá del desarrollo: postdesarrollo y transiciones hacia el pluriverso. Revista de Antropología Social, vol. 21, p. 23-62, 2012.

__________. Designs for the Pluriverse: Radical Interdependence, Autonomy, and the Making of Worlds. Durham: Duke University Press, 2018.

ESCOLAR, Diego. Arqueólogos y brujos: la disputa por la imaginación histórica em la etnogénesis Huarpe. Relaciones de la Sociedad Argentina de Antropología vol. 28, p. 23-43, 2003.

ESPÍRITO SANTO, Diana; BLANES, Ruy. Introduction: On the Agency of Intangibles. In: BLANES, Ruy; ESPÍRITO SANTO, Diana (Eds.) The Social Life Of Spirits. Chicago: The University of Chicago Press, 2013, p.1-32.

ESPÍRITO SANTO, Diana & TASSI, Nicolas. Introduction In: ESPÍRITO SANTO, Diana; TASSI, Nicolas (Eds.) Making Spirits. Materiality and transcendence. London: I. B. Tauris, 2013, p.1-30

SAADA-FAVRET, J. Ser afetado. Tradução de Paula Siqueira. Cadernos de Campo, n°13, p. 155-161, 2005.

FREUD, Sigmund. (2006/1919). O estranho. In: Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, vol. 17. Tradução de J. Salomão. Rio de Janeiro: Imago, 2006 [1919], p. 237-270.

FREDENGREN, Christina. 2016. Unexpected Encounters with Deep Time Enchantment. Bog Bodies, Crannogs and “Otherworldly” sites. The materializing powers of disjunctures in time. World Archaeology, vol. 48, n. 4, p. 482–499, 2016.

GNECCO, Cristobál. Caminos de la Arqueología: de la violencia epistémica a la relacionalidad. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas vol.4, n.1, p. 15-26, 2009.

GODOI, Emília Pietrafesa. O trabalho da memória: cotidiano e história no sertão do Piauí. Campinas: UNICAMP, 1999.

GÓMEZ-MONTÃNEZ, Pablo Felipe. Memoria, patrimonio arqueológico y utopias interculturales: dogma y misticismo en el parque arqueológico Las Piedras del Tunjo en Facatativá, Colombia. Hallazgos vol.10, n.19, p.79-99, 2013.

GONÇALVES, Rosa Maria. Do outro lado do espelho: fundamentos teórico-poéticos para o Museu do Homem Americano. Dissertação (Mestrado em Museologia e Patrimônio) Universidade Federa do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.

GONZÁLEZ, Lélia. Racismo e Sexismo na Cultura Brasileira. Revista Ciências Sociais Hoje, Anpocs, p.223-244, 1984.

GONZÁLEZ, Lélia. A categoria político-cultural de amefricanidade’. Tempo Brasileiro vol. 92, n. 93, p.69–82, 1988.

GONZÁLEZ-RUIBAL, Alfredo. The Past is Tomorrow. Towards an archaeology of the vanishing present. Norwegian Archaeological Review vol. 39, n.2, p.110-125, 2006.

__________. Time to Destroy: An Archaeology of Supermodernity. Current Anthropology, vol. 49, n.2, p.247-279, 2008.

__________. Hacia otra arqueología: diez propuestas. Complutum, vol. 23, n.2, p. 103-116, 2012.

GORDON, Avery F. Ghostly Matters: Haunting and the Sociological Imagination. 2nd edition., Minneapolis: University of Minnesota Press, 2008.

__________. Some Thoughts on Haunting and Futurity. Borderlands vol. 10, n.2, p. 1-21, 2011.

GROSFOGUEL, Ramón. Descolonizar as esquerdas ocidentalizadas: para além das esquerdas eurocêntricas rumo a uma esquerda transmoderna descolonial. Tradução de Larissa Pelúcio. Contemporânea, vol. 2, n. 2, p. 337-362, 2012.

GUIDON, Niède. Parque Nacional Serra da Capivara: modelo de preservação do Patrimônio arqueológico ameaçado. Revista do Instituto Histórico e Artístico Nacional, n° 33, p.75-93, 2007.

HABER, Alejandro F. Animismo, relacionalidad, vida: perspectivas post-ocidentales. In: HERMO, Dário; MIOTTI, Laura (Eds.). Biografías de paisajes y seres: visiones desde la Arqueologia Sudamericana. Córdoba: Encuntro Grupo Editor, 2011, p. 75-98.

HAMILAKIS, Yannis. A Arqueologia e a lógica do capital: Puxando o freio de emergência. Revista de Arqueologia, vol. 28, n.2, p. 45–63, 2015.

__________. Sensorial Assemblages: Affect, Memory and Temporality in Assemblage Thinking. Cambridge Archaeological Journal, vol. 27, n.1, p.169–182, 2017.

HARTEMANN, Gabby. Voltar, contar e lembrar de Gangan: por uma Arqueologia griótica afrodecolonial em Mana, Guiana. Dissertação (Mestrado em Antropologia com ênfase em Arqueologia) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2019.

HENARE, Amiria; HOLBRAAD, Martin; WASTELL, Sari. Introduction: thinking through things. In: HENARE, Amiria; HOLBRAAD, Martin; WASTELL, Sari (Eds.) Thinking Through Things: Theorising artefacts ethnographically. London: Routledge, 2007, 1-31.

INGOLD, T. Trazendo as coisas de volta a vida: emaranhados criativos num mundo de materiais. Tradução de Letícia Cesarino. Horizontes Antropológicos, vol. 18, n. 37, p. 25-44, 2012.

JACQUES, Clarisse Callegari. Os sentidos da cultura material no cotidiano e na memória das famílias da Comunidade Quilombola de Cinco Chagas do Matapi. Revista Arqueologia Pública vol. 8, n.2, p.7–21, 2013.

KESTERING, Celito; SOUSA, Gizelle Santos de. Umbuzeiro dos defuntos: um marco na história de São Lourenço do Piauí. Cadernos do LEPAARQ vol. 11, n. 22, p.124-142, 2014.

KOHN, Eduardo. Anthropology of Ontologies. Annual Review of Anthropology vol. 44, n.1, p. 311-327, 2015.

KOPENAWA, Davi; ALBERT, Bruce. A Queda do céu. Palavras de um xamã yanomami. São Paulo, Companhia das Letras, 2015.

KRENAK, Ailton. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

LA CADENA, Marisol de. Natureza incomum: histórias do antropo-cego. Tradução de Jamille Pinheiro Dias. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n. 69, p. 95-117, 2018.

LANDIM, Joseane Paes. Serra Branca dos maniçobeiros: um conjunto habitacional sob rocha que (sobre)vive na memória. Dissertação (Mestrado Profissional em Patrimônio Cultural) - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Rio de Janeiro, 2014.

LATOUR, Bruno. Jamais fomos modernos: ensaio de antropologia simétrica. Tradução de Carlos Irineu da Costa. São Paulo, Editora 34, 1994.

LIMA, Tânia Stolze. O dois e seu múltiplo: reflexões sobre o perspectivismo em uma cosmologia Tupi. Mana vol. 2, n.2, p. 21-47, 1996.

LOURDEAU, Antoine. A Serra da Capivara e os primeiros povoamentos sul-americanos: uma revisão bibliográfica. Boletim Museu Paraense Emílio Goeldi Ciências Humanas vol.14, n.2, p. 367-398, 2019.

MACÊDO, Géssika Sousa. Retalhos afetivos de tecidos coletivos: vivências de arqueologias decoloniais em São Braz do Piauí. Dissertação (Mestrado em Arqueologia) – Universidade Federal do Vale do São Francisco, São Raimundo Nonato, 2021.

MACHADO, Juliana Salles. Arqueologias Indígenas, os Laklãnõ Xokleng e os objetos do pensar. Revista de Arqueologia vol. 30 n.1, p. 89-119, 2017.

MAGESTE, Leandro Elias Canaan; MACÊDO, Géssika Sousa; PAES, Evanilza Lopes de Castro; SANTOS, Carlos Eduardo Ferreira dos. As arqueologias de São Braz do Piauí: apontamentos iniciais sobre as narrativas e usos dos bens arqueológicos no presente’. Cadernos do Lepaarq vol. 17, n. 34, p.164-182, 2020.

MAGESTE, Leandro Elias Canaan; AMARAL, Alencar de Miranda; SANTOS, Mayke Lopes dos Santos. Reflexões iniciais sobre as Arqueologias da Universidade Federal do Vale do São Francisco. In: MAGESTE, Leandro Elias Canaan; AMARAL, Alencar de Miranda; CARDOSO, Rosemary A. (Org.) Arqueologia e Patrimônio: Trandisciplinaridades, Patrimônios e Problemas Contemporâneos. São Raimundo Nonato: UNIVASF, 2021, p. 133-160.

MAGESTE, Leandro Elias; AMARAL, Alencar de Miranda. As arqueologias afetivas na produção discente da Universidade Federal do Vale do São Francisco: desdobramentos históricos e interfaces teóricas na construção da Arqueologia no Sudeste e Sudoeste do Piau. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, vol. 17, n°2, 2022, p. 1-33.

MARÍN, Juan Camilo Perdomo. Agencias, mundos y ontologías como escenarios de problematización de la Antropología Contemporánea. Maguaré, vol. 33, n. 2, p. 25-68, 2019.

MERENCIO, Fabiana Terhaag. A imaterialidade do material, a agência dos objetos ou as coisas vivas: a inserção de elementos inanimados na teoria social’. Cadernos do LEPAARQ vol.10, n.20, p.183-204, 2013.

MIGNOLO, Walter D. Desobediência epistêmica: a opção descolonial e o significado de identidade em política. Tradução de Ângela Lopes Norte. Cadernos de Letras da UFF n. 34, p. 287-324, 2008.

__________. Colonialidade: o lado mais escuro da modernidade. Tradução de Marco Oliveira. Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 32, n. 94, p. 1-18, 2017.

MILLER, Daniel. Trecos, Troços e coisas: Estudos antropológicos sobre a cultura material. Tradução de Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

MIRANDA, Augusto Moutinho. Os causos, Memórias e História dos engenhos do Estuário Paraense – uma interface entre Arqueologia da Paisagem e Arqueologia Sensorial. Monografia (Graduação em Arqueologia e Preservação Patrimonial) – Universidade Federal do Vale do São Francisco, São Raimundo Nonato, 2016.

MONTEIRO, Gabriela. Cursos de Arqueologia nas regiões Nordeste e Sudeste do Brasil e seu viés social e material. Revista de Arqueologia Pública, vol. 17, p. 01-29, 2022..

MOSHENSKA, Gabriel. The archaeological uncanny. Public Archaeology vol. 5, n.2, p. 91–99, 2006.

MOTT, Luiz R. B. Os índios e a pecuária nas fazendas de gado do Piauí colonial’. Revista De Antropologia vol. 22, p. 61-78, 1979.

NÓBREGA, Márcia. Variações sobre “livusias”: coincidência entre a terra e os (fins de) mundos contidos numa ilha no rio São Francisco, Brasil. Etnográfica, vol. 23, n.2, p. 469-487.

OLIVEIRA, Ana Stela Negreiros. O Povoamento Colonial Do Sudeste Do Piauí: Indígenas e Colonizadores, Conflitos e Resistência. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.

OLIVEIRA, Jaime Santana de.; BORGES, Joina Freitas. Sociedade, Arqueologia e Patrimônio: As relações de pertencimento da Comunidade Zabelê com a área arqueológica do Parque Nacional Serra da Capivara (PNSC). História Unicap, vol. 2, n.3, p.108-121, 2015.

OLIVEIRA, João Pacheco. Pardos, mestiços ou caboclos: os índios nos censos nacionais no Brasil (1872-1980). Horizontes Antropológicos, vol. 3, n.6, p. 61-84, 1997.

PAPHITS, Tina. Haunted landscapes: place, past and presence. Time and Mind, vol. 13, p.1-9, 2020.

PELLINI, José. Archaeology of Affection’. In: SMITH, Claire (Ed.) Encyclopedia of Global Archaeology. New York: Springer, 2018, p. 1-9.

POMPA, Maria Cristina. Histórias do fim do mundo: para uma leitura do movimento sócio-religioso de Pau de Colher. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1995.

QUIJANO, Aníbal. La Nueva Heterogeneidad Estructural de América Latina. In: SONNTAG, Heinz (Ed.) ¿Nuevos Temas, Nuevos Contenidos?: Las ciencias sociales de América Latina y el Caribe ante el nuevo siglo UNESCO. Caracas: Editorial Nueva Sociedad, 1989, p.29- 51.

RIBEIRO, Loredana. Cobra, cadeia e assombração o passado outro nas narrativas garimpeiras sobre os sítios arqueológicos. In: RIVOLTA, María Clara; MONTENEGRO, Mónica; FERREIRA, Lúcio Menezes (Eds.) Multivocalidad y activaciones patrimoniales en arqueología: perspectivas desde Sudamerica. Buenos Aires: Universidad de Buenos Aires, 2014, p.303-326.

RIBEIRO, Marcelo Alves. Arqueologia da Paisagem: Materialidades do movimento de Pau de Colher (1937-1938). Dissertação (Mestrado em Arqueologia) – Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2019.

SALDI, Leticia; MALFERRA, Luis; BARRIENTOS, J. Alejandro. Ontologías en disputa. Diálogos entre la antropología y la arqueología para la problematización de paisajes regionales. Antípoda. Revista de Antropología y Arqueología, n. 37, p.3-26, 2019.

SANTANA, Ingrid Adrielle Souza Freitas. Codinome macumba: a vida na Tenda de Nação Africana do Pai Oxalá e suas estruturas sagradas. Mestrado (Dissertação em Antropologia com ênfase em Arqueologia) – Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2019.

SANTOS, Antonio Bispo. Colonização e Quilombos: modos e significados. INCTI: Brasília, 2015.

SANTOS, Fábio Isidio dos. Histórias, causos e lugares: um olhar da Arqueologia para as narrativas de “alivusias” e dos Lugares de Memória de Caldeirãozinho, Jurema, Piauí. Monografia (Graduação em Arqueologia e Preservação Patrimonial) – Universidade Federal do Vale do São Francisco, São Raimundo Nonato, 2019.

SCHAAN, Denise Pahl; MARTINS, Cristiane Pires; PORTAL, Vera Lúcia Mendes. Patrimônio Arqueológico do Marajó dos Campos. In: SCHAAN, Denise Pahl; MARTINS, Cristiane Pires (Org.) Muito além dos campos: Arqueologia e História na Amazônia Marajoara. Belém: GKNORONHA, 2010, p. 71-86.

SHANKS, Michael. The Archaeological Imagination. Walnut Creek: Left Coast Press, 2012.

SILVA, Déborah Gonsalves. Arranjos de sobrevivência: relações familiares entre escravos no sertão do Piauí (São Raimundo Nonato, 1871-1888). Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2013.

SILVEIRA, Flávio Leonel Abreu da; BEZERRA, Marcia. Paisagens fantásticas na Amazônia: entre as ruínas e coisas e as memórias na Vila de Joanes, Ilha do Marajó. In: MAUÉS, Raymundo Heraldo; MACIEL, Maria Eunice (Org.) Diálogos Antropológicos: diversidades, patrimônios, memórias. Belém: L&A Editora, 2012, p.119-150.

SILVA, Gewkordeiro. Sobrevivendo as livusias do Nordeste. Editora UESB: Vitória da Conquista, 2018.

SIQUEIRA, Claudio M. B. A educação patrimonial na Arqueologia Brasileira: Um estudo de caso no entorno do Parque Nacional Serra da Capivara. Monografia (Graduação em Arqueologia e Preservação Patrimonial) – Universidade Federal do Vale do São Francisco, São Raimundo Nonato, 2014.

SMITH, Laurajane. & WATERTON, Emma. Heritage, Communities and Archaeology. Gerald Duckworth and Co.: London, 2009.

SOUSA, Marisa Lima Miranda; AMARAL, Alencar de Miranda; CARDOSO, Rosemary Aparecida. A graça se fez matéria: os ex-votos de madeira do sítio Toca do Cruzeiro, Coronel José Dias/PI’. Revista de Arqueologia vol. 34, n.3, p. 307–336, 2021.

SOUZA, Thiago Marques de. O Patrimônio edificado de Campo Formoso – BA. Monografia (Graduação em Arqueologia e Preservação Patrimonial) – Universidade Federal do Vale do São Francisco, São Raimundo Nonato, 2016.

SURFACE-EVANS, Sarah L.; JONES, Sarah J. Discourses of the Haunted: An Intersubjective Approach to Archaeology no Mount Pleasant Indian Industrial Boarding School. American Anthropological Association, vol. 31, p.110–121, 2020.

TAMÁS, Bényei. Ghosts as Sites of Memory. In: VARGA, Pál S.; KATSCHTALER, Karl; MORSE, Donald E.; TAKÁCS, Miklós (Eds.). Loci Memoriae Hungaricae I: The Theoretical Foundations of Hungarian ’lieux de mémoire’ Studies/Theoretische Grundlage der Erforschung ungarischer Erinnerungsorte. Debrecen: Debreceni Egyetemi Kiadó, 2013, p. 152-168.

TIRADO, Genara Pulido. 2009. Violência epistémica y descolonización del conocimiento. Sociocriticism vol. 24, n.1/2, p. 173-201, 2009.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Perspectivismo e multinaturalismo na América indígena. In: VIVEIRO DE CASTRO, Eduardo (Org.) A Inconstância da Alma Selvagem e Outros Ensaios de Antropologia. São Paulo: Cosac & Naif, 2002, p. 347-399.

WITMORE, Christopher. Archaeology and the New Materialisms. Journal of Contemporary Archaeology, vol. 1, n.2, p.203–246, 2014.

WOLFF, Luiza Spinelli Pinto. Seres materiais entre sons e afetos: uma etnografia arqueológica dos objetos em terreiras de Pelotas/RS. Dissertação (Mestrado em Antropologia com ênfase em Arqueologia) – Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2016.

Downloads

Publicado

2024-01-31

Como Citar

MAGESTE, Leandro Elias Canaan; AMARAL, Alencar de Miranda. Caminhando no pluriverso: coisas, livusias e assombrações na perspectiva das arqueologias afetivas. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 37, n. 1, p. 227–258, 2024. DOI: 10.24885/sab.v37i1.1109. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/1109. Acesso em: 21 fev. 2024.