Identidade e sexo

a construção do gênero através do corpo na iconografia Moche

Autores

  • Renata Verdun da Silva Carmo Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Denise Maria Cavalcante Gomes Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v20i2.493

Palavras-chave:

Gênero, Moche, Perspectivismo Ameríndio

Resumo

Este artigo apresenta reflexões sobre o modo como o gênero foi figurado na iconografia Moche. Além de representações de homens e mulheres, também foram identificados personagens – denominados aqui de seres não humanos – que não correspondiam a estes padrões tradicionais. À luz do conceito do perspectivismo ameríndio de Eduardo Viveiros de Castro (1996, 2002), estes seres puderam ser posicionados adequadamente na discussão atual sobre identidade de gênero. Nesse sentido, é fundamental entender o corpo a partir da capacidade da transformação (metamorfose) como um espaço de perspectivas, já que, nesta iconografia, a corporalidade é expressa de amplas maneiras. Um dos objetivos deste estudo, portanto, foi compreender essas novas formas de ser e repensar os tradicionais padrões fixos de gênero.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-12-30

Como Citar

CARMO, R. V. da S. .; GOMES, D. M. C. . Identidade e sexo: a construção do gênero através do corpo na iconografia Moche. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 30, n. 2, p. 86–105, 2017. DOI: 10.24885/sab.v20i2.493. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/493. Acesso em: 16 ago. 2022.