Geofísica arqueológica no ambiente da Arqueologia Urbana

proposta metodológica para projetos públicos

Autores

  • Scott Joseph Allen Universidade Federal de Pernambuco
  • Jorge Luís Porsani Universidade de São Paulo
  • Bruno Poluha Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v30i1.510

Palavras-chave:

GPR-Ground Penetrating Radar, Geofísica arqueológica, Arqueologia Urbana

Resumo

A reforma e a requalificação de centros históricos — como construção, saneamento, pavimentação, entre outras — requerem que uma pesquisa arqueológica seja realizada antes de qualquer intervenção. Nesse contexto, busca-se um equilíbrio entre o que pode sofrer impactos negativos e o que deve ser estudado e preservado arqueologicamente, sempre buscando atender à necessidade do melhoramento dos locais públicos. O Largo da Igreja Nosso Senhor do Bonfim, Marechal Deodoro, Alagoas, ofereceu oportunidade de empregar o método geofísico GPR (Ground Penetrating Radar ou Georadar) para orientar escavações, identificar áreas para preservação e informar engenheiros civis sobre possíveis desafios para a execução do projeto civil. Os resultados foram interessantes, proporcionando um bom argumento para a incorporação de metodologias geofísicas em projetos de Arqueologia Urbana similares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-06-30

Como Citar

ALLEN, S. J.; PORSANI, J. L.; POLUHA, B. Geofísica arqueológica no ambiente da Arqueologia Urbana: proposta metodológica para projetos públicos. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 30, n. 1, p. 235–254, 2017. DOI: 10.24885/sab.v30i1.510. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/510. Acesso em: 16 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigo