Território, lugares e memória dos Asurini do Xingu

Autores

  • Fabíola Andréa Silva

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v26i1.366

Palavras-chave:

Arqueologia, Territorio, Memória, Asurini do Xingu

Resumo

A Arqueologia e a Etnoarqueologia buscam, entre vários objetivos, compreender o modo como as populações humanas exploram, transformam e gerenciam as paisagens e os seus recursos e, simultaneamente, verifcar como tais comportamentos resultam na formação dos registros materiais. Neste trabalho quero contribuir para esta agenda de pesquisa, apresentando uma reflexão sobre o modo específco como os Asurini do Xingu – um povo Tupi-Guarani que vive às margens do Xingu, no estado do Pará – apreendem o seu território na Terra Indígena Kuatinemu e quais os signifcados que atribuem a determinados lugares, bem como aos vestígios materiais (arqueológicos e históricos) neles existentes, constituindo o que se pode defnir como lugares da memória

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-06-30

Como Citar

SILVA, F. A. . Território, lugares e memória dos Asurini do Xingu. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 26, n. 1, p. 28–41, 2013. DOI: 10.24885/sab.v26i1.366. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/366. Acesso em: 19 ago. 2022.