Potes e pedras

uma gramática de monumentos megalíticos e lugares naturais na costa norte do Amapá

Autores

  • João Darcy de Moura Saldanha Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá
  • Mariana Petry Cabral Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v25i1.339

Palavras-chave:

arqueologia do Amapá, Megalitismo, Arqueologia dos Lugares Naturais

Resumo

Na costa do Amapá e da Guiana Francesa ocorreu o desenvolvimento de uma cultura pré-colonial que apresenta, como uma de suas características principais, a construção de monumentos megalíticos e a utilização de lugares naturais com formações rochosas, 
ambos utilizados para fins ritualísticos e/ou funerários. Embora diferentes em essência,
estes tipos de sítios possuem uma estruturação similar dos depósitos, indicando que performances parecidas foram feitas em ambos os tipos de sítios, misturando elementos
naturais e culturais em uma espécie de “gramática” semelhante que se utiliza de potes ceramicos e pedras de granito ou laterita na construção de significados. Aqui apresentamos uma síntese do uso destes locais durante a pré-história tardia da região, procurando entender a natureza, forma e temporalidade das deposições de artefatos. A percepção da forma como estes grupos interagiram e modificaram a paisagem, ora de maneira bem visível, ora de forma sutil, contribui para discutirmos a construção de espaços sociais não-domésticos na Amazônia pré-colonial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARRETO, C. 2005. Social complexity and inequality in ancient Amerindian societies: perspectives from the Brazilian Lowlands. Centre for Brazilian Studies, Universidade de Oxford, Oxfor, UK. Working Paper Number CBS-63-05: 1-31.

BARRETO, C. 2008. Meios Místicos de Reprodução Social: Arte e Estilo na Cerâmica Funerária da Amazônia Antiga. Tese de Doutorado, USP.

CABRAL, M. P. & SALDANHA, J. D. M.. 2008. Paisagens megalíticas na costa norte do Amapá. Revista da SAB 21:9-26.

GOELDI, E. 1905. Excavações Archeologicas em 1895. 1ª parte: As Cavernas funerarias atificiaes dos indios hoje extinctos no rio Cunany (Goanany) e sua ceramica. Memórias do Museu Goeldi:1-45+estampas

GREEN, L. F., GREEN, D. R., & NEVES, E. G.. 2003. Indigenous Knowledge and Archaeological Science: The Challenges of Public Archaeology in the Reserva Uaça. Journal of Social Archaeology 3:365-397. HECKENBERGER. M. J. 2005. The Ecology of Power: culture,

place and personhood in the southern Amazon, AD 1000-2000. New York, Routledge

MCEWAN, C., BARRETO, C. & NEVES, E.(Ed.), 2001. The unknown Amazon. Nature in culture in ancient Brazil. London: British Museum Press.

MEGGERS, B. J., & EVANS, C., 1957. Archaeological investigations at the mouth of the Amazon. Bulletin of the Bureau of American Ethnology 167:1-664.

NIMUENDAJÚ, C. 2004. “In Pursuit of a Past Amazon - Archaeological Researches in the Brazilian Guyana and in the Amazon Region,” in In Pursuit of a Past Amazon - Archaeological

Researches in the Brazilian Guyana and in the Amazon Region by Curt Nimuendajú: A posthumous work compiled and translated by Stig Rydén and Per Stenborg, vol. 45. Editado por P. Stenborg. Goteborg: Ethnological Studies.

PETERSEN, J. B., NEVES, E. G., & HECKENBERGER, M., 2001. “Gift from the Past: Terra Preta and Prehistoric Amerindian Occupation in Amazonia,” in Unknown Amazon. Editado por C. McEwan, C. Barreto, & E. G. Neves. London: British Museum Press.

ROSTAIN, S. 1994. L’Occupation Amérindienne Ancienne Du Littoral de Guyane. Tese de Doutorado, Universidade de Paris I, França.

SCHAAN, D. P., 2004. The Camutins Chiefdom: Rise and development of social complexity on Marajó Island, Brazilian Amazon. Tese de Doutoramento, Univesity of Pittsburg,

SCHAAN, D. P., RANZI, A.& PÄRSSINEN, M. (orgs) 2007. Arqueologia da Amazônia Ocidental: os geoglifos do Acre. Belém, Universidade Federal do Pará.

STENBORG, P. 2004. In Pursuit of a Past Amazon - Archaeological Researches in the Brazilian Guyana and in the Amazon Region by Curt Nimuendajú: A posthumous work compiled and

translated by Stig Rydén and Per Stenborg. Vol. 45. Ethnological Studies. Goteborg.

VIVEIROS DE CASTRO, E. 2002. A Inconstância da Alma Selvagem – e outros ensaios. Cosac Naif. São Paulo.

Downloads

Publicado

2012-06-30

Como Citar

DARCY DE MOURA SALDANHA, J.; PETRY CABRAL, M. Potes e pedras: uma gramática de monumentos megalíticos e lugares naturais na costa norte do Amapá. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 25, n. 1, p. 48–57, 2012. DOI: 10.24885/sab.v25i1.339. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/339. Acesso em: 15 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigo