O uso do programa R na Arqueologia Paulista

um estudo de caso dos grupos ceramistas Tupiguarani e Itararé-Taquara

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v32i1.617

Palavras-chave:

Programa R, Tradição Tupiguarani, Tradição Itararé-Taquara

Resumo

Este artigo apresenta um estudo de caso explorando o amplo potencial de aplicação do programa de estatística R na análise de dados arqueológicos. O programa R é um ambiente de desenvolvimento integrado para cálculos estatísticos e gráficos, tendo seu uso a partir de pacotes que são bibliotecas de cálculos aplicadas a áreas de estudo específicas. Neste artigo, utilizam-se dados dos sítios arqueológicos dos grupos ceramistas das tradições Tupiguarani e Itararé-Taquara, que se localizam nas bacias dos Rios Tietê e Paranapanema no Estado de São Paulo, como estudo de caso para a utilização do método. Apresentam-se análises descritivas de atributos elencados previamente e análises inferenciais com modelos de regressão logística de Distância Euclidiana (DE) e Regressão logística Bayesiana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AFONSO, Marisa Coutinho 2005. Um olhar para a arqueologia pré-histórica do Estado de São Paulo. 2005. Tese de Livre Docência. Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, São Paulo.

ARAUJO, Astolfo Gomes de Mello. 2007. A tradição cerâmica Itararé-Taquara: características, área de ocorrência e algumas hipóteses sobre a expansão dos grupos Jê no sudeste do Brasil. Revista de Arqueologia. 20: 09-38.

ASSIS, Valéria Soares de. 1996. Da espacialidade Tupinambá. Dissertação de Mestrado – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

BAXTER, Mike; COOL, Hilary. 2016. Basic statistical graphics for archaeology with R: life beyond Excel.

BINFORD, Lewis. 1962. A new method of calculating dates from Kaolin pipe stem samples. Southeastern Archaeological Conference, Newsletter 9(1): 19-21.

BONOMO, Mariano; ANGRIZANI, Rodrigo Costa; APOLINAIRE, Eduardo; NOELLI, Francisco Silva. 2015 A model for the Guaraní expansion in the La Plata Basin and littoral zone of southern Brazil. Quaternary International. 356, 54-73

BROCHADO, José Proenza. 1973. Migraciones que difundieron la tradición alfarera Tupiguarani. Relaciones 7, Sociedad Argentina de Antropologia, Buenos Aires. p. 7- 39.

BROCHADO, José Proenza. 1984. An ecological modelo f the preado f pottery and agriculture into Easter South America. Tese de Doutorado, University of Illinois at Urbana, Champaign, Ann Arbor UMI.

BUCK, Caitlin E., KENWORTHY, J.B., LITTON, C.D. and SMITH, A.F., 1991. Combining archaeological and radiocarbon information: a Bayesian approach to calibration. Antiquity, 65 (249), pp.808-821.

CARLSON, David. 2017. Quantitative methods in archaeology using R. Cambridge University Press, Texas A & M University.

CLARKE, David. 1968. Analytical archaeology. Londres, Methuen.

CORREA, Ângelo. 2014. Pindorama de Mboîa e Îakaré: continuidade e mudança na trajetória das populações Tupi. Tese de Doutorado. MAE/USP.

COWGILL, George L., 1970. Some sampling and reliability problems in archaeology. In: Archeologie et calculateurs: Problemes semiologiques et mathematiques (pp. 161-175).

DUNNELL, Robert. 1980. Evolutionary theory and archaeology. In Advances in archaeological method and theory (pp. 35-99). Academic Press.

DUNNELL, Robert; DANCEY, William, 1983. The siteless survey: a regional scale data collection strategy. In Advances in archaeological method and theory (pp. 267-287). Academic Press.

ESTEVES, Luís Gustavo; FOSSALUZA, Victor; LIMA, Adriano Gonçalves; CARRARA, Virgínia T. 2017. Relatório de Análise Estatística sobre o Projeto: “Arqueologia Paulista e o marcador cerâmico como delimitador de fronteira étnica: um estudo da região sul do estado de São Paulo”, Relatório final. (RAE – CEA – 17P23).

GASPAR, Maria Dulce. 1991. Aspectos da organização social de um grupo de pescadores, coletores e caçadores: região compreendida entre Ilha Grande e o delta do Paraíba do Sul, Estado do Rio de Janeiro. Tese de doutorado. MAE/USP.

GASPAR, Maria Dulce. 1996. Análise da bibliografia sobre pescadores, coletores e caçadores que ocuparam o Estado do Rio de Janeiro. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia. SP. 6: 337-367.

LANDA, Beatriz dos Santos. 1995. A mulher Guarani: atividades e cultura material. Dissertação de Mestrado – Rio Grande do Sul, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

LATHRAP, Donald Ward. 1970. The Upper Amazon, New York, Praeger.

MAGESTE, Leandro Elias Canaan. 2017. Cronologia e variabilidade: os ceramistas Tupiguarani da Zona da Mata Mineira e Complexo Lagunar de Araruama. Tese de Doutorado São Paulo.

MARWICK, Ben. 2016. Computational reproducibility in archaeological research: basic principles and case study of their Implementation. Journal of Archaeological Method and Theory. New York, January.

MEDRI, Waldir. 2011. Análise exploratória de dados. Centro de Ciências Exatas – CCE. Departamento de Estatística. Londrina. Disponível em: http://www.uel.br/pos/estatisticaeducacao/textos_didaticos/especializacao_estatistica.pdf Acessado em 18/01/2017.

MEGGERS, Betty Jane; EVANS, Clifford. 1973. A reconstituição da pré-história amazônica: algumas considerações teóricas. IN: O Museu Goeldi no ano do Sesquicentenário, Publicações avulsas, Belém, 20, p. 51-69.

MONTICELLI, Gislene. 1995. Análises das informações obtidas com os Mbyá-Guarani sobre suas antigas vasilhas de cerâmica. Revista CEPA. Santa Cruz do Sul, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 23(29): 233-239.

MOTA, Lucio Tadeu. 1998. O aço, a cruz e a terra: índios e brancos no Paraná provincial (1853-1889). Tese de Doutorado – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual de São Paulo, Assis, 531f.

MOTA, Lúcio Tadeu. 2016. A passagem e a presença dos Jê Meridionais por São Paulo e Paraná: uma reflexão etno-histórica. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, n. 27, p. 135-157.

MOTA, Lúcio Tadeu. 2000. Os índios Kaingang e seus territórios nos campos do Brasil meridional na metade do século passado. In: Lúcio Tadeu Mota; Francisco Silva Noelli; Kimiye Tommasino. (Org.). Uri e Wãxi: estudos interdisciplinares dos Kaingang. 1ªed.Londrina: EDUEL, v. 1, p. 81-190.

MOTA, Lucio Tadeu; ASSIS, Valéria Soares de. 2008. Populações indígenas no Brasil: histórias, culturas e relações interculturais. Maringá, Eduem.

MOTA, Lucio Tadeu; NOELLI, Francisco Silva. 1999. Exploração e guerra de conquista dos territórios indígenas nos vales dos rios Tibagi, Ivaí e Piquiri. IN: DIAS, R. B.; GONÇALVES; J. H. R. (Org.) Maringá e o Norte do Paraná. Maringá, Eduem, p. 21-50.

MORAES, Camila Azevedo de. 2007. Arqueologia tupi no Nordeste de São Paulo: um estudo de variabilidade artefatual. Dissertação de Mestrado. MAE/USP. São Paulo.

MYERS, Oliver. 1950. Some Applications of Statistics to Archaeology. Published by the Service des Antiquités de l'Egypte, Cairo, 1950. In Proceedings of the Prehistoric Society (Vol. 16, pp. 200-201). Cambridge University Press.

NOELLI, Francisco Silva. 1993. Sem Tekoá não há Tekó - Em busca de um modelo etnoarqueológico da aldeia e da subsistência Guarani e sua aplicação a uma área de domínio no delta do rio Jacuí, Rio Grande do Sul. Dissertação de Mestrado. Porto Alegre, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul,

OKUMURA, Mercedes; ARAUJO, Astolfo Gomes de Mello. 2019. Archaeology, biology, and borrowing: A critical examination of Geometric Morphometrics in Archaeology. Journal of Archaeological Science, 101, pp.149-158.

OTÁROLA-CASTILLO, Erick.; TORQUATO, Melissa. 2018. Bayesian statistics in archaeology. Annual Review of Anthropology, 47, pp.435-453.

PEARSON, Jessica; GROVE, Matthew. 2013. Counting sheep: sample size and statistical inference in stable isotope analysis and palaeodietary reconstruction. World Archaeology, 45(3), pp. 373-387.

PEREZ, Glauco Constantino. 2018. Arqueologia Paulista e o marcador cerâmico como delimitador de fronteira étnica: um estudo das regiões sul e oeste do Estado de São Paulo. Tese de doutorado. MAE/USP. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/71/71131/tde-05042018-092642/pt-br.php

PEREZ, Glauco Constantino; AFONSO, Marisa Coutinho; MOTA, Lúcio Tadeu. 2018ª. Métodos de análise espacial para sítios arqueológicos: um modelo preditivo para o Estado de São Paulo. Cadernos do LepaArq. V. XV. N.30. jul-dec.. P.98-120.

PINHEIRO, Niminon Suzel. 1999. Vanuíre. Conquista, colonização e indegenismo: oeste paulista, 1912-1967. Tese de Doutorado. Universidade Estadual Paulista. UNESP/SP.

REDMAN, Charles. 1974. Archeological sampling strategies. Reading, Massachusetts: Addison-Wesley.

RODRIGUES, Robson Antônio. 2007. Os caçadores-ceramistas do sertão paulista: um estudo etnoarqueológico da ocupação Kaingang no vale do Rio Feio/Aguaí. 2007. Tese de Doutorado. Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo. São Paulo.

SAIA, Soraya Elaine Marques Gouveia. 2006. Reconstrução paleoambiental (vegetação e clima) no Quaternário tardio com base em estudo multi/interdisciplinar no Vale do Ribeira (sul do estado de São Paulo). Mestrado. USP, São Paulo.

SCHMITZ, Pedro Ignácio. 2007. Índios guaranis, Kaingang e Xokleng: territórios indígenas e fronteiras. IN: MOREIRA, L. F. V. (Org.). Instituições, fronteiras e políticas na História Sul-americana. Curitiba: Editora Juruá. p. 129-148.

SOARES, André Luís. 1997. Guarani: organização social e arqueologia. Coleção Arqueologia 4, EDIPUCRS, RS,

SPAULDING, Albert. 1953. Statistical techniques for the discovery of artifact types. American antiquity, 18(4), pp.305-313.

SUSNIK, Branislava. 1975. Dispersón Tupi-Guarani prehistorica. Ensayo analítico. Museo Etnográfico Andrés Barbero Ltda., Asunción, Paraguay.

Downloads

Publicado

2019-06-25

Como Citar

PEREZ, G. C.; OKUMURA, M.; AFONSO, M. C.; MOTA, L. T. O uso do programa R na Arqueologia Paulista: um estudo de caso dos grupos ceramistas Tupiguarani e Itararé-Taquara. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 32, n. 1, p. 84–107, 2019. DOI: 10.24885/sab.v32i1.617. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/617. Acesso em: 19 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigo