Anzóis, redes e pescadores

reflexões sobre a Arqueologia da Pesca

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24885/sab.v32i2.684

Palavras-chave:

Pesca, Associações, Materiais, Pescadores

Resumo

O objetivo do presente artigo é propor uma reflexão sobre a pesca no registro arqueológico, por meio das associações entre pescadores e materiais observados em uma comunidade pescadora da Barra do João Pedro, em meio ao rosário de lagoas, do litoral norte do Rio Grande do Sul. A partir das contribuições da socioantropologia da pesca, da Arqueologia dos sambaquis e da etnoarqueologia buscar-se-á os fundamentos para tal proposição. Observando que a materialidade se encontra no centro dessas argumentações, os anzóis, redes e pescadores serão o eixo para desvelar essa associação entre corpos e artepescas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADOMILLI, G. 2002. Trabalho, meio ambiente e conflito: um estudo antropológico sobre a construção da identidade social dos pescadores do Parque Nacional da Lagoa do Peixe – RS. Dissertação de Mestrado. Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 114p.

ADOMILLI, G. 2007. Terra e mar, do viver e do trabalhar na pesca marítima: tempo, espaço e ambiente junto a pescadores de São José do Norte – RS. Tese de Doutorado. Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 343p.

BEGOSSI, A (org). 2004. Ecologia de Pescadores da Mata Atlântica e da Amazônia. São Paulo: NUPAUB-USP/HUCITEC/FAPESP/NEPAM-UNICAMP, 322 pp.

BIANCHINI, G. 2015. Por entre conchas e corpos: uma discussão sobre a prática social materializada no registro de um Sambaqui. Tese de Doutorado. Rio de Janeiro, Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 205p.

CALVINO, I. 1990. As cidades invisíveis. São Paulo: Companhia das Letras, 150pp.

COLONESE, A. et al. 2014. Long-Term Resilience of Late Holocene Coastal Subsistence System in Southeastern South America. Plos One . 9(4):1-13.

DE MASI, M. 1999. Prehistoric Hunter-gatherers Mobility in the Southern Brazilian Coast. Santa Catarina Island. Tese de doutorado. San Francisco, Stanford University.

DIEGUES, A. (org.). 1997. Ilhas e sociedades insulares. São Paulo: NUPAUB-USP, 235pp.

DIEGUES, A (org.). 1998. Ilhas e Mares: simbolismo e imaginário. São Paulo: HUCITEC, 292pp.

DIEGUES, A. 1999a. A sócio-antropologia das comunidades de pescadores marítimos no brasil: uma síntese histórica. Disponível em http://nupaub.fflch.usp.br/sites/nupaub.fflch.usp.br/files/color/leal1.pdf

DIEGUES, A. (org). 1999b. Os Saberes Tradicionais e a Biodiversidade no Brasil. NUPAUB - Núcleo de pesquisas sobre populações humanas e áreas úmidas Brasileiras - Universidade de São Paulo. 211 pp.

DIEGUES, A. (org). 2000. A imagem das águas. São Paulo: Hucitec/NUPAUB-USP, 207 pp.

DIEGUES, A. 2004. A Pesca Construindo Sociedades. São Paulo: NUPAB – USP, 315 pp.

FERREIRA, M. 2012. “Eu tirava conclusão de uma nuvem pra outra”: Uma reflexão sobre histórias, saberes e culturas da pesca artesanal em Arraial do Cabo. Revista de História Oral, v. 1, n. 15. p. 9-34.

FIGUTI, L. 1992. Les sambaquis COSIPA (4200 à 1200 ans AP): étude de la subsistance chez les peuples préhistoriques des pêcheurs-ramasseurs de bivalves de la côte centrale de l’État de São Paulo, Brésil. Tese de Doutorado. Paris, Museu Nacional de História Natural 212p.

FIGUTI, L. 1993. O homem pré-histórico, o molusco e o sambaquis: considerações sobre a subsistência dos povos sambaquianos. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia da USP, 3, p. 67-80.

FIGUTI, L.; PLENS, C.; DEBLASIS, P. 2013. Small Sambaquis and Big Chronologies: Shellmound Building and Hunter-Gatherers in Neotropical Highlands. Radiocarbon, v. 55, p. 1215-1221.

FISH, S; DEBLASIS, P; GASPAR, M. D.; FISH, P. 2000. Eventos incrementais na construção de sambaquis, litoral sul do Estado de Santa Catarina. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia 10: p. 69-87.

FRANCO, T. 1998. Prehistoric fishing activity in Brazil: a summary. In: PLEW, M. (org). Explorations in American archaeology: essays in honor of Wesley R. Hurt. Laham: University Press of America, p. 7-36.

GASPAR, M. D. 1991. Aspectos da organização social de um grupo de pescadores, coletores e caçadores: região compreendida entre a Ilha Grande e o delta do rio Paraíba do Sul, RJ. 374 f., 2v. Tese de Doutorado. São Paulo, Universidade de São Paulo.

GASPAR, M. D. DEBLASIS, P.; FISH.S ; FISH, P. 2008. Sambaqui (Shell Mound) Societies of Coastal Brazil. In: SILVERMAN, H.; ISBEL, W.I. (Org.). Handbook of South América Archaeology. 1ed.Lisboa: Springer, p. 319-335.

GASPAR, M. D., KLOKLER, D.; BIANCHINI, G. Social structure and organization of mound building sambaqui groups of the southern and southeastern Brazil. Encaminhado para publicação Latin American Arcchaeology.

INGOLD, T. 2015. Estar vivo: ensaios sobre movimento, conhecimento e descrição. Petrópolis: Editora Vozes, 390pp.

KLÖKLER, D. 2008. Food for body and soul: mortuary ritual in shell mounds (Laguna - Brazil). Tese de Doutorado. Tucson, Universidade do Arizona, 368p.

KLÖKLER, D. 2012. Consumo ritual, consumo no ritual: festins funerários e sambaquis. Habitus, v. 10, p. 83-104.

KLOKLER D; GASPAR, M. D. 2013. "Há uma estrutura funerária em meu sambaqui..., esse sambaqui é uma estrutura funerária!". In: GASPAR, M. D; MENDONÇA DE SOUZA, S.(Orgs). Abordagens Estratégicas em Sambaquis. Erechim/RS: Habilis, p 109-125.

KLÖKLER, D. 2014. A Ritually Constructed Shell Mound: Feasting at the Jabuticabeira II Site. In: M. Roksandic, S. Mendonça de Souza, S. Eggers, M. Burcell, and D. Klokler. (Org.). The cultural dynamics of shell middens and shell mounds: A worldwide perspective,. 1ed.Albuquerque: University of New Mexico Press, p. 151-162.

KNEIP, A; FARIAS, D; DEBLASIS, P. 2018. Longa duração e territorialidade da ocupação sambaquieira na laguna de Santa Marta, Santa Catarina. Revista de Arqueologia da Sociedade de Arqueologia Brasileira. Impresso, v. 31, p. 25-51.

LIMA, T. A.; LOPEZ MAZZ, J. M. 1999. La emergencia de complejidad entre los cazadores recoletores de la costa atlántica meridional sudamericana. Revista de Arqueologia Americana, México, IPGH, v. 17, 18, y 19: p. 129-175.

MALDONADO, S. 1994. Mestres e Mares, espaço e indivisão na pesca marítima. São Paulo: Annablume, 2° edição, 193 pp.

MALDONADO, S. 2000. O caminho das pedras: percepção e utilização do espaço marinho na pesca simples. In: DIEGUES, A. C (org). A imagem das águas. São Paulo: Hucitec/NUPAUB-USP p. 59-68.

NISHIDA, P. 2007. A Coisa Ficou Preta: Estudo do Processo de Formação da Terra Preta do Sítio Arqueológico Jabuticabeira II. Tese de Doutorado. São Paulo, Universidade de São Paulo. 112p.

SAUTCHUK, C. 2007. O arpão e o anzol, técnica e pessoa no estuário do Amazonas (vila Sucuriju, Amapá). Tese de Doutorado, Brasília, Universidade Nacional de Brasília, 309p.

SCHEEL-YBERT, R. 1998. “Stabilité de l’ecosyème sur le Littoral Sud-Est du Brésil à l’Holocène Supérieur (5 500 - 1 4000 ans BP). - Les Pécheurs-Cueilleurs et le Milieu Végétal: Apports de L’Anthracologie”. Tese de Doutorado. Montpellier, Université de Montpellier II.

SILVA, L. 2011. Etnoarqueologia da pesca. Um estudo sobre as áreas de atividade e práticas de pesca dos pescadores da Barra do João Pedro, RS. Cadernos do LEPAARQ – Textos de Antropologia, Arqueologia e Patrimônio. Pelotas, v. VIII, n°15/16 p. 113-127.

SILVA, L. 2012. Pescadores da Barra do João Pedro, um estudo etnoarqueológico. Dissertação de Mestrado. Porto Alegre, PPGH, PUCRS, 127pp.

SILVA, L. 2015. Com vento a lagoa vira mar: uma etnoarqueologia da pesca no litoral norte do RS. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, Belém, v. 10, n. 2, p. 537-547.

SILVA, L. 2017. (Re)visitando as pessoas e as coisas: a etnoarqueologia enquanto uma arqueologia do presente. Revista de Arqueologia da Sociedade de Arqueologia Brasileira, v. 30, p. 175-185.

SILVA, L. 2018. Os materiais de pesca fluindo. Uma Arqueologia com os pés na água. Tese de Doutorado. Rio de Janeiro, Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 206p.

SILVA, L. 2019. A fluidez das relações materiais. Uma arqueologia com os pés na água. Revista de Arqueologia da Sociedade de Arqueologia Brasileira. V. 32, n. 1, p.108-128.

VILLAGRAN, X. 2010. Estratigrafias que falam: geoarqueologia de um sambaqui monumental. São Paulo: Annablume, 214pp.

WAGNER, G; SILVA, L. 2013. Maritimidade, haliêutica e a arqueologia dos sambaquis. Tempos Acadêmicos, Criciúma, v. 1, n.11, p. 54- 67.

WESOLOWSKI, V. 1999. Práticas funerárias pré-históricas do litoral de São Paulo. In: TENÓRIO, M. (Org.). Pré-história da Terra Brasilis. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, p. 189-195.

Downloads

Publicado

2019-12-30

Como Citar

SILVA, L. A. da; GASPAR, M. D. Anzóis, redes e pescadores: reflexões sobre a Arqueologia da Pesca. Revista de Arqueologia, [S. l.], v. 32, n. 2, p. 04–15, 2019. DOI: 10.24885/sab.v32i2.684. Disponível em: https://revista.sabnet.org/ojs/index.php/sab/article/view/684. Acesso em: 7 ago. 2022.